Hubs de Gente

enhanced by Google
 

Daniel de Oliveira

Posição no Ranking dos famosos:
Compartilhar:
  • Nome

    Daniel de Oliveira

  • Idade

    34 anos (19/06/1977)

  • Naturalidade

    Belo Horizonte, Brasil

  • Signo

    Gêmeos

  • Status

    casado com Vanessa Giácomo

Daniel de Oliveira fez comerciais de TV antes de sua primeira novela, “Brida”, na Manchete. Pouco depois foi chamado para um teste em “Malhação”, da Globo, onde está até hoje. Além de novelas e minisséries, Daniel fez cinema: interpretou Cazuza no filme sobre o músico. Outra atuação na telona lhe deu o prêmio de melhor ator em Gramado - “A Festa da Menina Morta”. É casado com a atriz Vanessa Giácomo, com quem tem dois filhos.

Ler biografia completa

FAMOSOS RELACIONADOS

  • Cléo Pires
  • Camila Pitanga
  • Lázaro Ramos
  • Carolina Dieckmann
  • Caio Blat
  • Mariana Ximenes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Todas as notícias

Daniel de Oliveira no Twitter

Siga o Twitter do iG Gente

Biografia completa de Daniel de Oliveira

BIOGRAFIA

Nascido em Belo Horizonte em 1977, Daniel de Oliveira cresceu em um ambiente familiar que propiciou sua aproximação com a música, esportes e diferentes pontos de vista. Aos sete anos, mudou-se com a família para o Iraque, já que seu pai, empreiteiro, viajava o mundo em função do trabalho. A experiência de um ano por lá lhe rendeu lembranças fortes, com passeios de carro pelo deserto em direção a Bagdá ou mesmo a Síria. De volta a Minas Gerais, o futuro ator se apaixonou pela bola, participando de algumas competições. Também praticou capoeira e natação. Aos 14 anos, passou a frequentar o Núcleo de Estudos Teatrais em Belo Horizonte, trabalhando em peças infantis como “O Sítio do Pica-Pau-Amarelo”, “A Bela e a Fera” e “Hércules”.

Com 21 anos, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde fez os seus primeiros comerciais na TV. Logo em seguida, foi convidado a participar de sua primeira novela: “Brida”, da Rede Manchete. Embora o trabalho tenha durado apenas três meses, uma carreira promissora se anunciava: durante um teste para o seriado “Mulher”, foi convidado pelo produtor de “Malhação” a fazer uma bateria de testes para a série juvenil. Conseguia, finalmente, seu primeiro papel na Rede Globo. No mesmo ano que ingressou na maior emissora do País, exerceu também o seu primeiro papel no cinema, como Bosco, um viciado em drogas, no filme “O Circo das Qualidades Humanas”. No ano seguinte, participou de “A Padroeira”, interpretando o padre Gregório. Três anos mais tarde, viveria Bernardo na minissérie “Um só coração”.

O ano de 2004 foi especial para Daniel de Oliveira: além de assumir o personagem principal da novela “Cabocla”, de 2004, o ator recebeu os aplausos da crítica e do público ao interpretar um dos maiores ícones do rock brasileiro no cinema. O excelente trabalho desempenhado em “Cazuza – O tempo não pára”, resultado de inúmeras observações dos trejeitos do cantor e 11 quilos a menos, rendeu-lhe diversos prêmios. Alcançava, com isso, o prestígio que muitos atores demoram décadas para conquistar.

O papel como o palhaço Quirino na primeira temporada da minissérie “Hoje é dia de Maria” (na segunda temporada, o ator assumiu dez diferentes interpretações), em janeiro de 2005, seria sucedido pelo trabalho de dublagem do principal personagem da animação da Disney “O galinho Chicken Little”. Em 2006, participou da novela “Cobras e Lagartos”, como Duda. Mas o retorno à televisão não deixaria seus trabalhos no cinema em segundo plano: em “Zuzu Angel”, confirmou a vocação para personagens complexos, ao viver o drama dos presos e torturados da ditadura. Participou do curta “14 Bis”, sendo ninguém menos que o próprio Santos Dumont. Também dublou o pinguim Mano, na animação “Happy Feet”. Em 2007, atuou em “Batismo de Sangue”, em que interpretou Frei Betto.

Contudo, a carreira que até então tinha sido baseada em personagens dóceis ou revolucionários deu um salto com a interpretação do primeiro vilão na novela “Desejo Proibido”, entre 2007 e 2008. No ano seguinte, estreou como apresentador de “Movie Box” no canal Telecine. Mexeu em uma ferida da sociedade ao interpretar o indigesto líder de uma seita – que mantinha relações incestuosas com o pai – em “A Festa da Menina Morta”. Mais uma vez, o ator chamou a atenção da crítica em 2008 por sua atuação em “Boca do Lixo”, em que incorpora o criminoso Hiroito de Moraes Joanides. Em 2010, voltou ao crime organizado nos cinemas com o filme “400 contra 1”, que lhe rendeu críticas modestas.

<span>Daniel de Oliveira interpretando Cazuza</span> - <strong>Foto: Divulgação</strong> <span>Daniel de Oliveira e sua mulher Vanessa Giácomo </span> - <strong>Foto: Divulgação</strong> <span>Daniel de Oliveira e Vanessa Giácomo</span> - <strong>Foto: Divulgação</strong> <span>Daniel de Oliveira</span> - <strong>Foto: Divulgação</strong>

Em 1996, o pai de Daniel Oliveira cometeu suicídio. Embora a tragédia tenha deixado um gosto amargo no começo da fase adulta de Daniel de Oliveira, o ator seguiu em frente. Já participando de algumas telenovelas, começou em 2001 um relacionamento discreto com a atriz Débora Falabella, com quem viveu durante quase quatro anos. Durante as gravações de “Cabocla”, entretanto, Daniel fez par romântico com Vanessa Giácomo – o que teria motivado o relacionamento com sua então companheira. Em 2007 o relacionamento entre Daniel e Vanessa os dois já era oficial, e ambos se casaram. A união resultou em dois filhos: Raul, nascido em janeiro de 2008, e Moisés, em 2010.

Daniel de Oliveira é muito reservado em relação a sua vida pessoal. Fala pouco de sua infância e relacionamentos afetivos durante entrevistas, embora fale com orgulho que Vanessa é companheira em casa e no trabalho. De acordo com ele, a elaboração de personagens complexos, como o que protagonizou em “A Festa da Menina Morta”, só é possível graças à força que a mulher lhe dá durante as gravações.

Embora tenha conquistado a simpatia do público com papéis em novelas e minisséries, Daniel de Oliveira ficou reconhecido nacionalmente pelo papel no filme “Cazuza – O tempo não para”, um desafio bastante complexo para um jovem ator. Pelo trabalho, ganhou diversos prêmios, firmando-se entre os principais nomes de produções cinematográficas brasileiras. A partir de então, novas interpretações requisitaram novos desafios. Confirmou seu talento para personagens mais complexos em produções como “Zuzu Angel”, “Boca do Lixo” e o polêmico “A Festa da Menina Morta”. Mesmo diante do caminho promissor nas telas do cinema, não deixa o telespectador em apuros: atualmente, compõe o elenco da novela “Passione”.

Televisão

1998: Novela “Brida” (Rede Manchete)
1999: Série “Malhação”
2001: Novela “A Padroeira”
2004: Novelas “Um Só Coração”, “Cabocla”
2005: Minissérie Hoje É Dia de Maria” - Primeira Temporada
2006: Novela “Cobras e Lagartos”
2007: Novela “Desejo Proibido”
2009: Série “Decamerão – A Comédia do Sexo” e minissérie "Som&Fúria”
2010: Novela “Passione”

Cinema

2000: “O Circo das Qualidade Humanas”.
2004: “Cazuza – O tempo não pára” e “A dona da história” (participação especial)
2005: “O galinho Chicken Little” (dublagem)
2006: “Zuzu Angel”, “14 Bis”, “Batismo de Sangue”, “Happy Feet”(dublagem)
2007: “A Festa da Menina Morta”
2008: “Mais Uma História no Rio”
2010: “400 contra 1”, “Boca do Lixo”e “31 Minutos”

Teatro

“Alice no País das Maravilhas”
“O Sítio do Picapau Amarelo”
“Lucrécia, o veneno dos Bórgias”
“Êxtase”

Prêmios

2004: Ganhou o prêmio Qualidade Brasil como Melhor Ator de Cinema; o prêmio TAM de Cinema Brasileiro na categoria Melhor Ator pelo filme; o Troféu APCA de Melhor Ator de Cinema; foi premiado no Festival de Cinema Brasileiro em Miami como Melhor Ator; recebeu o BEA como Melhor Revelação Masculina de Cinema Nacional e o prêmio do Festival de Cinema Ibero-Americano LaCinemaFe pelo filme “Cazuza – O Tempo não pára”.
2008: Levou o Kikito de Melhor Ator no Festival de Gramado pelo filme “A Festa da Menina Morta”.
 

Ver de novo