Ator muda de patamar com a estreia de "O Justiceiro" no próximo dia 17 de novembro na Netflix. Energia e carisma valem participação em bons filmes em Hollywood, tendência que deve se intensificar a partir de agora

Joe Bernthal em cena de
Divulgação
Joe Bernthal em cena de "O Justiceiro"

É justo dizer que se Sylvester Stallone nasceu para interpretar Rocky Balboa e Arnold Schwarzenegger é o exterminador do futuro em pessoa, que Jon Bernthal nasceu para ser o Justiceiro. O personagem já havia sido defendido no cinema por três outros atores, o sueco Dolph Lundgren e os americanos Thomas Janes e Ray Stevenson, mas quando Bernthal surgiu na pele de Frank Castle na segunda temporada de “Demolidor” não ficou pedra sobre pedra. Estávamos diante do Justiceiro definitivo.

Leia também: Cinco razões que explicam porque “O Justiceiro” é a melhor série Marvel/Netflix

Era questão de tempo até a Netflix confirmar uma série solo do personagem que roubou a cena e respondeu em grande parte pela qualidade do segundo ano da série do demônio de Hell´s Kitchen.  Outro paradigma foi quebrado para a série protagonizada por Jon Bernthal ser lançada em 17 de novembro. A Netflix reviu seu posicionamento de só lançar duas séries da parceria com a Marvel por ano. Depois de “Punho de Ferro” e “Defensores”, “O Justiceiro” fecha a safra de 2017 com chave de ouro.

Leia também: Focado em Ezekiel, episódio resgata valores que consagraram "The Walking Dead"

Joe Bernthal e Andrew Lincoln em cena de
Divulgação
Joe Bernthal e Andrew Lincoln em cena de "The Walking Dead"

Bernthal não é necessariamente um grande ator, de muitos recursos dramáticos, mas é dotado de um tremendo carisma, uma presença de cena robusta e uma energia incomum. É também, um dínamo dramático. É impossível não acreditar nele como ator. Uma característica que foge ao universo dos atores de ação, mas que chamou atenção de importantes realizadores. Não à toa, sempre que se experimenta pelo cinema, Bernthal consegue um lugar ao sol em bons projetos.  Foi coadjuvante de luxo em filmes como “O Lobo de Wall Street” (2013), “Sicario: Terra de Ninguém” (2015), “O Contador” (2016), “Terra Selvagem” (2017) e “Em Ritmo de Fuga” (2017).

“O Justiceiro”, claro, representa a guinada na carreira de um ator que sempre trabalhou duro por ela. A primeira vez que Bernthal chamou a atenção foi como Shane de “The Walking Dead”, o amigo convertido em antagonista de Rick Grimes (Andrew Lincoln). Ali o ator preencheu muito bem os requisitos de um personagem complexo e de sutil abordagem, ainda que fosse um homem bruto e simplista. Não à toa, o criador Frank Darabont o escalou para ser o protagonista da série limitada “Mob City” (2013).

Leia também: Kevin Spacey: a derrocada de um dos grandes nomes de Hollywood

Jon Bernthal em cena da minissérie
Divulgação
Jon Bernthal em cena da minissérie "Mob City", primeiro protagonista na TV
Jon Bernthal ao lado de Leonardo DiCaprio e Margot Robbie em
Divulgação
Jon Bernthal ao lado de Leonardo DiCaprio e Margot Robbie em "O Lobo de Wall Street"

São muitas as razões para Bernthal ser o casting ideal para Frank Castle. Seu talento para incorporar urgência e desilusão salta aos olhos. Não à toa grande parte de seus personagens detêm esses traços. Outra característica salutar na seara dos atores que habitam o universo da ação é seu jeito peculiar para compor tipos cascudos e com um código de honra próprio. Produções como “Corações de Ferro” (2014), “Ajuste de Contas” (2013) e “O Acordo” (2013) se beneficiam disso.

Justiceiro e Demolidor se enfrentam no 2º ano de
Divulgação
Justiceiro e Demolidor se enfrentam no 2º ano de "Demolidor": introdução do personagem que ganhou série própria

Com o Justiceiro, um personagem complexo e cheio de reminiscências para serem exploradas, o ator tem uma chance de ouro para trabalhar sua musculatura dramática e ele se sai muito bem na tarefa. Além do ar soturno e carrancudo, Jon Bernthal dá a Castle uma melancolia profunda e reverberante. É um trabalho com inesperada capilaridade para uma série que mira antes o mero entretenimento do que qualquer outra coisa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.