Ao longo de mais de 30 anos de carreira, a banda liderada por Axl Rose teve muitos altos e baixos. No Rock in Rio 2017 tenta resgatar tempos de glória

Enquanto o Brasil recebia a primeira edição do Rock in Rio , em 1985 nascia, na Califórnia, uma das maiores bandas de hard rock da história: o Guns N’ Roses. Com fãs fieis ao redor do mundo e no Brasil, a banda viria, ao longo dos últimos 30 anos, levar legiões aos palcos do festival carioca. 

Leia também: A invasão das divas pop no Rock in Rio

Formação atual da banda: Dizzy Reed, Steven Adler (participação especial), Richard Fotus, Duff McKagan, Axl Rose, Slash, Melissa Reese e Frank Ferrer
Divulgação/Guns n' Roses
Formação atual da banda: Dizzy Reed, Steven Adler (participação especial), Richard Fotus, Duff McKagan, Axl Rose, Slash, Melissa Reese e Frank Ferrer

Originalmente, Axl Rose e Tracii Guns se uniram para formar uma banda, que levou o sobrenome de ambos. Porém, Tracii logo deixou o grupo e foi substituído por Slash na guitarra. Com Duff McKagan no baixo, Izzy Stradlin também na guitarra e Steven Adler na bateria, surgiu a formação inicial da banda. Mesmo passando por algumas dificuldades no começo, o Guns N’ Roses lançou seu primeiro disco, “ Appetite for Destruction ” em 1987 e viu sua carreira alçar níveis astronômicos. Cheio de hits, como “Welcome to the jungle”, Sweet Child O’ Mine” e “Paradise City”, o disco logo se tornou o mais vendido dos Estados Unidos. Até hoje, ele permanece entre os mais vendidos dos EUA.

Leia também: O que deu certo e o que deu errado na internacionalização do Rock in Rio

Fama e drama

Com o sucesso do álbum, o Guns, que já abria shows para bandas como Iron Maiden, seguiu para sua primeira turnê solo. Com a fama, logo vieram as confusões. Desde o começo da carreira, o Guns N’ Roses se envolveu em muitas polêmicas por onde passasse. Em 1991, durante um show em St. Louis, nos EUA, Axl viu um fotógrafo na plateia e, sem pensar duas vezes, desceu e atacou o homem. No mesmo ano, a banda participou de um festival em Montreal, no Canadá. Porém, alegando problemas no som e dor de garganta, Axl abandonou o show, causando revolta nos fãs, que iniciaram um tumulto no local.

Axel Rose durante apresentação do Guns em Buffalo nos Estados Unidos em agosto deste ano
Divulgação
Axel Rose durante apresentação do Guns em Buffalo nos Estados Unidos em agosto deste ano

Ainda assim, o grupo continuava em uma ascendente, lançando outros bem sucedidos álbuns: “G N’ R Lies” e “ Use Your Illusion I e II”, com o duplo vendendo 960 mil cópias no primeiro dia. Nesse período, a história da banda se cruzou pela primeira vez com o Rock in Rio: eles tocaram na segunda edição, realizada em 1991. Por aqui, já não acompanhava o baterista Steven Adler, demitido por conta de seu problema com drogas. Em excelente forma, o Guns deixou de vez seu nome cravado no país. Cerca de 200 mil pessoas puderam acompanhar a ópera rock que o grupo apresentava no palco.

Problemas e decadência

Axl Rose sempre foi considerada uma pessoa difícil de lidar. Além dos dramas no palco, ele ainda enfrentou diversos problemas com a justiça por sua atitude na vida particular. Sendo assim, não é difícil imaginar que os conflitos logo surgiriam entre os integrantes. Ainda em 1991 Izzy, que era amigo de infância de Axl, deixou a banda, alegando justamente essas confusões como motivo de sua desistência.

A turnê de “Use Your Illusion” seguiu até 1993, com mais um retorno ao Brasil em dezembro. Nesse ano eles ainda lançaram “The Spaghetti incidente?”, um disco só com covers que, com exceção de “Live And Let Die”, é pouco lembrado e prestigiado. Esse ano foi também o último em que a banda tocou junta por longos anos. A relação entre Axl e Slash só piorava e, em 1996, o guitarrista deixou a banda. Duff McKagan saiu em seguida e Axl então entrou no anonimato. Apesar de nunca ter oficialmente acabo, o Guns N’ Roses ficou inativo até 2001 quando, mais uma vez no Rock in Rio, Axl Rose tentaria trazer a banda de volta ao sucesso do começo dos anos 1990.

Axl subiu ao palco da terceira edição do festival brasileiro ao lado de novos integrantes: Buckethead e Robin Finck. A essa altura, a banda já contava com fãs fiéis por aqui e, mesmo não estando em sua melhor forma, arrastou mais uma vez uma multidão que ouviu, além de hits dos discos de sucesso, novidades que seriam lançadas no “ Chinese Democracy ”, álbum de inéditas prometido por anos.

A banda se apresenta nos Estados Unidos
Divulgação
A banda se apresenta nos Estados Unidos

Com o sucesso de mais uma participação no RiR, o Guns fez uma turnê pelos EUA, mais uma vez cheia de confusões, atrasos e abandonos de shows. Em 2004 a banda foi confirmada para a edição de Lisboa do Rock in Rio mas, com a saída de Buckethead, a apresentação foi cancelada.

Aos trancos e barrancos, o Guns fez outras turnês nos anos seguintes, inclusive no Rock in Rio Lisboa. "Chinese Democracy", prometido desde 1994, foi lançado em 2008. Em melhor forma, Axl liderou a turnê de divulgação do disco e, em 2011, voltou ao Rock in Rio no Brasil onde, mais uma vez, apresentou um show de sucesso.

No mesmo ano a banda foi indicada ao Rock and Roll Hall of Fame e muitos especularam sobre um retorno da formação original, incluindo Slash e Duff McKagan.

Formação original e Brasil

O Brasil, mais especificamente o Rock in Rio, sempre tiveram uma relação importante com a carreira do Guns N’ Roses. Foi aqui que, levados pela dedicação dos fãs, eles retornaram e foi recebidos de braços abertos quando em outros lugares do mundo a banda era pouco apreciada. Sendo assim, eles voltaram ao Brasil em 2014, como parte de uma turnês pela América Latina, e passaram por nada menos que nove cidades, incluindo Fortaleza, Recife e Florianópolis. Nessa época, Duff já ensaiava um retorno a banda, substituindo o baixista Tommy Stinson em algumas apresentações.

Em 2016, finalmente, houve o encontro da formação original. Slash e Axl deixaram suas desavenças de lado e voltaram a se apresentar juntos. A banda com sua formação saiu em turnê novamente e voltou ao Brasil no final de 2016.

Em 2017, Axl Rose, Slash, Duff McKagan, Richard Fortus (guitarra), Dizzy Reed (teclado), Frank Ferrer (bateria) e Melissa Reese (teclados), voltam mais uma vez ao Brasil. Depois de tanta tempestade, o Guns N’ Roses enfrenta uma calmaria e pode pensar, mais uma vez, em um futuro para acompanhar a clássica discografia que os fãs acompanham há 30 anos.

Leia também: Os dez melhores shows da história do Rock in Rio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.