A frente do Linkin Park desde 1999, Chester Bennigton já se abriu sobre abuso sofrido na infância e problemas com álcool e drogas

Chester Bennington, vocalista do Linkin Park , foi encontrado morto na última quinta-feira (20), vítima de suicídio . Sua morte foi vista com grande surpresa pro todos pois, apesar de batalhar contra a depressão, o cantor aparentava estar bem e seguia com os muitos compromissos com o Linkin Park. Inclusive, no dia de sua morte, Chester era esperado para uma sessão de fotos com o resto da banda. Além disso o Linkin Park, que lançou o disco “ One More Light ” este ano, tinha acabado sua turnês pela Europa e América do Sul (eles estiveram no Brasil em Maio, onde encerraram o Maximus Festival em São Paulo), e estava prestes a começar uma turnê pelos Estados Unidos, na próxima quinta-feira (27).

Leia também: Morre Chester Bennington, vocalista do Linkin Park, aos 41 anos

Chester Bennington travou uma longa batalha contra a depressão
Divulgação
Chester Bennington travou uma longa batalha contra a depressão

Se o ocorrido foi uma surpresa para todos, a luta de Chester Bennington com a depressão não era. O cantor já falou diversas vezes sobre a sua dor, e a refletiu nas músicas do Linkin Park. Ele chegou a confessar em um entrevista em 2011 para a Revista Kerrang! que foi molestado quando tinha sete anos, e se abriu sobre como isso o afetou: “Se eu parar para pensar em quando eu era criança, em quando eu fui molestado e aconteceram todas aquelas coisas ruins ao redor de mim, eu tremo. Tremo só de pensar”.  Na ocasião, ele também admitiu ser alcoólatra, mas que estava sóbrio pois não queria mais essa vida para si e para sua família.

Leia também: Dobradinha: Maroon 5 e Linkin Park divulgam músicas inéditas; ouça

Música

Os problemas enfrentados por Bennington, o abuso de álcool e substâncias químicas, a depressão, tudo isso serviu de inspiração para que escrevesse algumas das maiores músicas do Linkin Park. “ Crawling ”, por exemplo, um dos maiores hits de “ Hybrid Theory ” (2000), era sobre perder o controle de si mesmo, de acordo com Chester. Mais recente, a faixa “Heavy”, presente no último disco, retrata seus problemas com a depressão. “A música começa com a frase ‘eu não gosto de onde minha mente está agora’. Isso é real. Não é um lugar seguro para mim, a não ser que eu esteja fazendo o que eu devo fazer: cuidar de mim, ser real, me abrir, tirar isso de mim, seguir todos os passos para me sentir inteiro”, confessou em uma entrevista para a Rock Sound.

Chris Cornell

A morte de Chester Bennington foi anunciada no mesmo dia que Chris Cornell faria aniversário. O vocalista do Soundgarden e do Audioslave foi encontrado morto em maio, em circunstâncias muito parecidas as de Chester. Amigos de longa data, Bennington se manifestou na ocasião, dizendo que “não imagino um mundo sem você nele”.

Leia também: Cinco destaques do Maximus Festival

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.