O filme, protagonizado por Isis Valverde, utiliza de recursos atuais como pano de fundo para um romance, mas não oferece nada original. Longa-metragem estreia nos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (1)

A premissa a gente já conhece: mocinha conhece mocinho, eles se apaixonam, passam por momentos felizes, até que por algum motivo se separam, e tem que enfrentar obstáculos para ficarem juntos novamente. A história é conhecida, o que não significa que não funcione mais. Muitos filmes testam essa passagem com roupagens diferentes e dão muito certo, afinal, a comédia romântica é um dos gêneros mais populares do cinema. Mas, às vezes, o tema cai no óbvio, e o resultado são filmes que até podem valer uma sessão no sofá, mas são facilmente esquecíveis. Esse é o caso de “Amor.com”.

Leia também: Novo "Rei Arthur" reconta história clássica à la Guy Ritchie

Isis Valverde e Gil Coelho protagonizam
Divulgação
Isis Valverde e Gil Coelho protagonizam "AMor.com", que conta um romance com a internet como pano de fundo

" Amor.Com ", dirigido por Anita Barbosa, ganha seus pontos por utilizar um recurso que está em alta no momento: os youtubers. Katrina ( Isis Valverde ) é uma jovem youtuber com milhões de seguidores, e status de “influenciadora digital”. Logo no começo vemos sua participação na inauguração de uma loja de marca, comentando tudo instantaneamente com suas seguidoras. Katrina não larga o celular e todos os seus movimentos são pensados para agradar seu público, e seus contratantes. Tudo muda quando sua fiel companheira, a internet, a trai, e alguns nudes são vazados. Com medo de ter sua reputação destruída por esse deslize, ela acaba cruzando com o nerd Fernando ( Gil Coelho ), que vai salvá-la na humilhação pública.

O filme se dedica então a mostrar o desenvolvimento do improvável casal, desde o primeiro encontro esquisito, com ambos vestidos de zumbi, até o rapaz praticamente morando com Katrina. Fernando também tem um canal no Youtube, mas suas ambições profissionais são bem diferentes das de Katrina. Assim, a fase de lua-de-mel do casal termina, e eles são obrigados a lidar com suas diferenças.

Leia também: Dos quadrinhos ao protagonismo LGBT: A vida e obra de Laerte

Apesar de falar sobre o digital, tudo é tratado de forma muito superficial. O filme tem o mérito de debater a relação das pessoas com a tecnologia e a própria Isis falou ao iG sobre isso. Em entrevista , ela comentou que o filme tem a importância de mostrar a nossa relação com a internet e debater até que ponto podemos deixar nossa vida virtual tomar conta da real.

FIlme estrelado por Isis Valverde estreia dia 2 de junho nos cinemas
Divulgação
FIlme estrelado por Isis Valverde estreia dia 2 de junho nos cinemas

Isis, aliás, é o ponto alto do filme. Ela se perde um pouco quando está na pele da blogueira em frente às câmeras, falando aos seguidores, mas logo se encontra e mostra uma personagem decidida e firme no que quer, desde um contrato profissional, até o rapaz por quem se apaixona. Fernando é o oposto: pouco dado a relações interpessoais, ele se relaciona com “a mulher dos seus sonhos” somente por que ela se dá ao trabalho de ir atrás dele. Não ajuda o fato de Gil estar completamente perdido no filme, sem conseguir interpretar com precisão nem o “nerd”, nem o “namorado”, nem nada.

Sobra para Isis, que contou sobre seu envolvimento no filme desde o começo. Ela falou que antes tinha receio de fazer comédia no cinema mas, quando viu que isso era bobagem, abraçou o papel e se divertiu muito fazendo o filme, que ela considera um “filho antigo” seu com Anita.

Comédia

Um dos pontos altos do filme fica por contra do trio formado por Fernando, e seus dois melhores amigos, muito mais conscientes de seus papeis. João Cortês , conhecido pelos comerciais de uma rede de telefonia, diverte como o escrachado Panda, e César Cardadeiro, o eterno Pedrinho do “Sítio do Pica-Pau Amarelo”, faz rir ao não fazer rir com as péssimas piadas de Lante.

Amor.com ” pode bem ser um bom programa de fim de tarde, mas dificilmente vai cumprir com o papel de gerar um debate sobre os limites da internet na nossa vida.

Leia também: "Alien": 16 curiosidades sobre a franquia que revolucionou o cinema

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.