Quinto filme prepara terreno para eventuais sequências sem o icônico personagem vivido por Johnny Depp, mas sem perder de vista o maior trunfo da franquia. Produção estreia nesta quinta-feira (25) no Brasil

Seis anos depois de “Navegando em Águas Misteriosas”, “Piratas do Caribe” ganha mais um exemplar. “A vingança de Salazar” resgata os personagens de Will Turner ( Orlando Bloom ) e Elizabeth Swann (Keira Knitghley), bem como promove a estreia de potenciais novos protagonistas, o filho do casal, Henry Turner, vivido por Brenton Thwaies, e Carina Smyth (Kaya Scodelario), uma moça inteligente e curiosa da ciência tomada como bruxa. No entanto, e compreensivelmente, “Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar” continua apostando em Jack Sparrow ( Johnny Depp ) como astro absoluto.

Johnny Depp volta a encarnar Jack Sparrow em
Divugação
Johnny Depp volta a encarnar Jack Sparrow em "Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar"


Leia também: Fama e fracasso: qual foi impacto de "Piratas do Caribe" para seus atores?

É bem verdade que Depp parece menos inspirado. O tempo sem viver o personagem, o desgaste do mesmo e o péssimo momento na carreira parecem ter atingido o mojo do ator. Mas Sparrow ainda é um sopro de vigor na franquia e move toda a trama. Uma nova maldição está à espreita. O morto-vivo Salazar (Javier Bardem) e seus comandados, que pertenciam a uma brigada espanhola que buscava varrer os mares dos piratas até se deparar com Sparrow, busca vingança contra o pirata que cada vez menos parece corresponder ao mito. “Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar” investe na receita consagrada da franquia: ação, deslumbrantes efeitos especiais e boas tiradas para Depp. Nem todas funcionam; o que reforça a noção do personagem estar desgastado.

Leia também: Javier Bardem é o destaque do 1º teaser do novo "Piratas do Caribe"

Barbossa (Geoffrey Rush), um dos melhores personagens da série, está de volta. Seus interesses novamente convergem com os de Sparrow e mais uma vez os vemos formando uma improvável, mas sempre respeitosa e divertida parceria. Javier Bardem, que já provara mandar bem como vilão em “007 – Operação Skyfall” (2012), dá boas curvas dramáticas a seu Salazar e mostra-se um oponente à altura do carisma de Sparrow. Não à toa, há uma ligação umbilical entre os dois revelada no filme.  Em mais uma demonstração do avanço dos efeitos especiais modernos, um Jack Sparrow jovem cruza decisivamente o caminho de Salazar e repare como esse momento é vital para a construção do mito em torno do personagem. É uma das cenas mais bacanas do novo filme.

Salazar é o novo e letal antagonista de Sparrow
David Santos Jr/FOTOARENA
Salazar é o novo e letal antagonista de Sparrow

Leia também: Às vésperas de um novo "Piratas do Caribe", Johnny Depp tenta recuperar apelo

“Piratas do Caribe” é uma das franquias mais interessantes da Disney. Surgida de um brinquedo, apresentou um dos últimos personagens icônicos nascidos no cinema e já rendeu quase US$ 4 bilhões. A despeito do desgaste, é natural que o estúdio articule novas sequências e “A Vingança de Salazar” prepara o terreno em muitas frentes – e de maneira inteligente.  Mas parece um flerte com o imponderável dar sequência à franquia sem Jack Sparrow e ele já fez por merecer seu descanso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.