Plataforma de música Deezer quer aumentar o número de usuários de streaming e aposta no sertanejo como porta de entrada

A Deezer foi um dos primeiros serviços de streaming a chegar no Brasil. Antes mesmo do Spotify ou Apple Music, a empresa já impressionava com um vasto catálogo, inclusive de música brasileira. Em 2017, com o streaming bem estabilizado no mundo e ganhando forma no Brasil, a empresa volta seus olhos ao país, tentando atrair um novo público para o serviço. A proposta é massificar o consumo de streaming, de acordo com Yasmin Muller, editora de música da Deezer. Em parceria com as principais gravadoras do Brasil, a Deezer promoverá uma série de eventos e conteúdos exclusivos, para aproximar os músicos de potenciais usuários. “O mercado brasileiro é imenso, ainda tem muito para crescer”, comenta Yasmin.

Deezer aposta em quatro talentos da música brasileira com o
Divulgação
Deezer aposta em quatro talentos da música brasileira com o "Deezer Next"

Leia também: Sertanejo domina listas de músicas mais ouvidas no Brasil em 2016

Sertanejo

Entre as estratégias da marca para aumentar o número de usuários está a aproximação com os artistas, além de investir em novos talentos . Para isso, a Deezer aposta no gênero musical mais escutado na plataforma: o sertanejo . Das faixas que se encontram no “Top 10” do serviço nos últimos seis meses, cerca de 70% a 80% são representadas pelo gênero. Por isso, Yasmin explica que o sertanejo é a porta de entrada para o streaming.

A ascensão definitiva do streaming será em 2017?

Com isso em mente, a marca lançou o “Deezer Next”, estratégia global, que no país contempla quatro artistas novas, apostas da música em 2017: Sofia Oliveira, Day & Lara, Julia & Rafaela e Isadora Pompeo. O processo para escolher as artistas, de acordo com Yasmin, foi longo. Primeiro eles fizeram uma pesquisa de tendências para ver quais artistas que estavam surgindo e tinham indicativo bom na plataforma. Em seguida falaram com parceiros, gravadoras e distribuidoras comentando o projeto e pedindo sugestões.

Com as artistas escolhidas, serão várias as ações para aproximá-las do público, inclusive a gravação de um EP inédito, além de eventos e promoções dentro da plataforma. A ideia é que o “Deezer Next” seja um programa anual. Com a experiência de 2017, Yasmin explica, eles pretendem adiantar o processo para 2018. A ideia é começar a selecionar novos artistas ainda este ano e começar em janeiro, contemplando mais gêneros.

Estratégias

Outra aposta da marca é o “ Deezer Moods ”. A ideia é convidar artistas para fazer uma playlist com músicas para diversas ocasiões como “dias chuvosos”, “trilha do churrasco” e outros, onde o artista escolhe suas faixas favoritas e comenta suas escolhas. Marília Mendonça , Henrique e Diego e a aposta Day e Lara .

Ação com o Flamengo gerou música inédita cantada por Wesley Safadão
Divulgação
Ação com o Flamengo gerou música inédita cantada por Wesley Safadão

Wesley Safadão também participa de uma ação, dessa vez voltada para os amantes de futebol. Em parceira com o Flamengo , Safadão gravou a faixa “Canto Rubro Negro”, exclusiva para o Deezer. Além disso, na página do clube na plataforma, são diversas playlists inspiradas nas realizações, como “Brasileiro de 2009” e “Libertadores de 1981”. A ideia é envolver atletas e outros clubes no futuro.

 Ainda pensando em áudio, mas não necessariamente música, a Deezer deve investir em outras frentes como notícias e podcasts. Para o segundo semestre, a plataforma ainda deve lançar um projeto voltado para o mundo fitness. Sem entregar muito, Yasmin comentou que a ação será voltada para os viciados em esporte e atividades físicas.

Playlist

Como editora de música da Deezer, Yasmin tem a difícil missão de criar playlists. Ela comenta que é um processo bem trabalhoso, com foco em música brasileira, o que por si só é um desafio, dado o grande número de gêneros musicais nacionais. No momento, são cerca de 12 gêneros que recebem atenção, entre lançamentos, músicas clássicas, hits e apostas. Os dados oferecidos pela plataforma ajudam a entender o que as pessoas estão ouvindo mais, quais músicas pulam, em que ordem preferem ouvir e muitas outras informações que ajudam a montar uma playlist mais completa.

Yasmin explica que tenta contar uma história com cada playlist e, assim, fisgar os usuários para que naveguem por outras músicas, álbuns e playlists da Deezer . É um trabalho árduo, mas com potencial. De acordo com a ABPD (Associação Brasileira dos Produtores de Discos), as duas modalidades de streaming, remuneradas por subscrição ou publicidade, representaram respectivamente 35,5% e 30,1% do total do faturamento com música digital no Brasil em 2015. As mídias digitais representam, ao ano, cerca de 60% da receita do mercado. E esse número deve seguir crescendo.

Leia também: Day & Lara participam de desafio da Deezer e mostram gosto musical eclético

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.