Famoso pelo hit "Fast Car", DJ britânico falou ao iG sobre a carreira e a música eletrônica atual: "Está melhor do que nos anos 1990"

O ano de 2016 não foi bom pra muita gente, mas o DJ britânico Jonas Blue não tem motivos para reclamar. Foi no ano passado que o produtor estourou com o hit Fast Car, que dominou a Europa e bateu mais de 50 milhões de visualizações no YouTube. Tanto sucesso fez com que o músico fizesse uma pequena turnê pelo Brasil no último fim de semana.

Leia mais: Armin Van Buuren exalta expansão da música eletrônica e a cena brasileira

O DJ britânico Jonas Blue, famoso pelo hit
Reprodução
O DJ britânico Jonas Blue, famoso pelo hit "Fast Car", passou pelo Brasil na semana passada

"O ano passado mudou a minha vida", confessou Jonas Blue em entrevista ao iG. "Eu lancei três singles e todos mudaram minha vida, me permitiram a tocar no mundo e conhecer artistas incríveis", continuou o DJ, que também soltou Perfect StrangersBy Your Side.

"Eu nunca esperei fazer tanto sucesso", admitiu o britânico. "Eu só fazia músicas em um pequeno estúdio em Londres, apenas pela minha paixão por música", disse. Com Fast Car, ele ganhou disco de platina no Reino Unido, Austrália, Suécia, Alemanha e Nova Zelândia, além de um disco de ouro nos Estados Unidos.

Leia mais: Do rap ao eletrônico, música gospel se reconfigura e cresce em 2016

Na entrevista abaixo, o britânico fala sobre a passagem pelo Brasil, sua carreira e a música eletrônica atual. "Os DJs são os novos rockstars", disse o músico.

Leia a entrevista:

iG: Como foram os shows no Brasil?
Jonas Blue: Eu sabia que a energia seria maluca, mal podia esperar. O show em São Paulo foi um dos melhores shows da minha carreira.

iG: Como foi 2016 para você?
JB: Foi um ano que mudou a minha vida. Eu soltei Fast Car em dezembro de 2015, mas estourou em 2016. Eu lancei três singles e todos mudaram minha vida, me permitiram a tocar no mundo e conhecer artistas incríveis. Foi um ano ótimo, apesar de saber que foi difícil para muita gente.

iG: Você esperava fazer tanto sucesso com Fast Car?
JB: Eu nunca esperei nada. Eu só fazia músicas em um pequeno estúdio em Londres, apenas pela minha paixão por música. Eu não esperava que as coisas ficassem tão grandes, mas sou muito grato por isso ter acontecido. Tenho uma fanbase incrível que me permite viajar o mundo inteiro.

iG: Como você vê a música eletrônica atualmente?
JB: Eu acho que é uma ótima época para a música eletrônica. Você liga o rádio e ouve música eletrônica. O problema é que a cena está muito saturada, muita gente quer estar envolvida. Como artista, você tem que fazer algo diferente para se destacar. DJs são os novos rockstars, eles estão no topo dos rankings.

Leia mais: Sertanejo domina listas de músicas mais ouvidas no Brasil em 2016

iG: Você acha que a relação das pessoas com a música eletrônica hoje é igual aos anos 1990?
JB: Nos anos 1990, dance music era uma coisa bem underground, não estava em foco. Hoje está melhor porque o mundo se conecta na música eletrônica. A minha música só funciona porque ela se conecta com muita gente em todo o mundo.

iG: O que você sabe sobre a música eletrônica no Brasil?
JB: Acabei de descobrir gente nova, como o Alok, e eu adorei as músicas. Eu gosto muito dos ritmos brasileiros.

iG: O que você está planejando para este ano?
Jonas Blue: Meus planos são lançar três singles e um álbum no fim do ano. Vou continuar fazendo tour, dessa vez fazendo alguns shows com banda completa.

Leia tudo sobre: músicas