Jornalista e youtuber Carol Moreira diz, em exclusiva ao iG, querer contribuir para debate sobre certos comportamentos machistas ainda tolerados pela sociedade e se antecipa às críticas: "O vídeo está aí para ser julgado"

 A internet amanheceu com uma nova e barulhenta polêmica. O astro hollywoodiano Vin Diesel , conhecido pelos filmes da série “Velozes e Furiosos” e de “XXX”, cuja divulgação da sequência motivou sua vinda ao Brasil para participar da CCXP 2016 , exagerou nas cantadas a jornalista e youtuber Carol Moreira durante uma entrevista exclusiva concedida para o canal dela na plataforma de vídeos.

A repórter e youtuber Carol Moreira expõe como se sentiu durante a entrevista com Vin Diesel
Reprodução/Youtube
A repórter e youtuber Carol Moreira expõe como se sentiu durante a entrevista com Vin Diesel

“O Vin Diesel ficou me elogiando entre aspas, só que elogio é você falar uma vez ‘ó que linda que você é’ e pronto; mas ele ficou querendo causar”, contou em entrevista exclusiva ao iG no início da tarde desta  quinta-feira (22) a jornalista. A experiência desagradável que Carol Moreira relatou na apresentação do vídeo postado na quarta-feira (21) em suas redes sociais aconteceu na sexta-feira (2).  “Eu gravei uma cabeça para o vídeo meio que para esclarecer tudo isso e dizer como eu me senti”, explica. “A única coisa que eu disse foi ‘ele atrapalhou o meu trabalho e eu não gostei’. Eu nunca falei que fui assediada. Se as pessoas viram assédio nisso, talvez até exista, mas cada um pode julgar, o vídeo está lá. O que importa é que fiquei desconfortável".

Leia mais:  Vin Diesel exagera em cantadas a youtuber brasileira em entrevista

A jornalista conta que não se deu conta da gravidade do comportamento de Diesel no calor do momento. Que apenas na edição teve dimensão do que havia ocorrido e que chegou a consultar amigos para se certificar de que todos viram a mesma coisa que ela. “Eu editei a entrevista como qualquer outra. Só que como isso tinha acontecido ao longo da entrevista e a minha reação não foi tão clara, porque eu só ficava rindo e meio sem graça”, analisa Carol. “Eu não soube ter reação”, rememora para logo emendar: “justamente porque ele é um astro de Hollywood e a minha relação com a distribuidora estava em jogo. Tinha muita coisa delicada ali.”

“Precisamos falar sobre isso”

Vin Diesel exagera em cantadas
Reprodução/Youtube
Vin Diesel exagera em cantadas

Muita segura de sua posição e convicta da maneira como está abordando um debate que vira e mexe explode cheio de contradições e pontos de vista nas redes sociais, Carol diz não se incomodar de ser um catalisador para a continuidade do debate. “Muitas mulheres passam por isso, sabe? Estão em um ambiente de trabalho e aí vem um homem e te coloca numa situação desconfortável. Você não sabe o que fazer”, observa para logo relacionar com sua vivência pessoal no caso. “Então na hora eu não soube reagir. Mas depois quando eu vi a edição percebi que a gente precisava falar sobre isso. E se tá dando tanta polêmica é porque a gente ainda precisa falar sobre isso.”

Leia mais:  Anitta relembra pobreza antes da fama: "Não sabia o que era dinheiro"

Ela crê, ainda, que o debate é mais multifacetado do que muitos se dão conta. “Por um lado, os astros e famosos precisam saber que não é porque ele é famoso que ele pode atrapalhar o meu trabalho ou me tratar de forma que ele ache adequada ou divertida em um momento que estou  ali trabalhando, não para falar de mim”. A jornalista diz que episódios como o que viveu podem ser pedagógicos para mulheres e homens que vivenciam situações parecidas no ambiente de trabalho. “Para que a gente possa falar sobre isso e até que chegue o dia em que isso não seja mais um tabu, sabe?!”

Não é desculpa

Quem assiste ao vídeo percebe que o ator talvez esteja sob influência de substâncias químicas. Diesel aparentar estar, no mínimo, embriagado. Para Carol Moreira não só essa não é uma questão relevante, como pode distorcer a percepção do caso, já que muitas pessoas poderiam entender isso como algo a atenuar o comportamento do astro. “Eu acho que isso não importa (estar alcoolizado). Eu acho que não faz diferença. Ele atrapalha meu trabalho independente do estado da mente dele”.

Carol Moreira durante a CCXP 2016
Reprodução/Instagram
Carol Moreira durante a CCXP 2016

Indagada sobre a demanda de classificar a atitude de Diesel como assédio, Carol mostra-se mais interessada em contribuir para esse debate ao qual agora faz parte de maneira central, do que em abastecer correntes de ódio nas redes sociais. “O vídeo está lá para você julgar. Se acha que sim, se acha que não... Aliás, esse é um debate importante para a gente ter hoje em dia, sabe? Sinceramente acho que isso não é o problema, se foi assédio ou não, esse tipo de comentário. O que importa é a gente perceber que sim, que ele foi machista e que sim, ele atrapalhou o meu trabalho”.

Intensa e ainda sob impacto da atordoante repercussão de seu vídeo, Carol Moreira checa seu celular a quase todo o momento. Entre mensagens de apoio e sandices que não merecem citação, ela espera que o episódio contribua para a conscientização social de que todo elogio merece atenção, mas também o cuidado para não descambar para a objetificação. “Acho que as pessoas tornaram o debate muito maior e toda a mídia em volta...  mas como eu disse, se isso for preciso para a gente falar sobre o assunto, que seja”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.