Na tela, o galã do filme “Estamos Juntos”, contracena com Leandra Leal, Dira Paes, Lee Taylor e Nazareno Casero

Pré-estreia do longa “Estamos Juntos” contou com a presença de todo o elenco. O filme do cineasta paulistano, Toni Venturi , já desperta curiosidade por trazer um triângulo amoroso. “É um filme jovem. Sobre uma etapa de decisões na vida. Sabe quando a gente descobre que o buraco é mais embaixo? E percebe que está em um momento de mudança? Tudo isso em uma grande cidade, que é São Paulo. É isso que meu filme mostra”, revela o diretor Toni Venturi. As atrizes Vera Holtz e Larissa Maciel também prestigiaram o filme. A exibição aconteceu na segunda-feira (30), às 21h30, no Kinoplex do Shopping Leblon, zona Sul do Rio.

Cauã Reymond e Vera Holtz
Felipe Assumpção/Daniel Delmiro / AgNews
Cauã Reymond e Vera Holtz

Murilo, o personagem de Cauã Reymond , é uma das grandes expectativas do filme. O ator vive um DJ homossexual, amigo divertidíssimo de Carmem ( Leandra Leal ). De origem provinciana, Murilo adora agitar a badalada noite de São Paulo. “É um personagem diferente. Tenho muito orgulho dessa participação”, garante Cauã. E é ele que fica ao lado da amiga, quando os sintomas de uma grave doença começam a surgir.

O DJ também vira seu confidente quando ela se envolve com um homem misterioso, vivido por Lee Taylor , e com o músico Juan ( Nazareno Casero , ator argentino, que estreia no Brasil), por quem Cauã também se apaixona. Sobre o beijo gay ele conta que foi uma cena natural. “Nós gravamos sim o beijo, mas no filme tem um corte. A cena chega perto de um beijo, mas é bem discreto”, revela. “Para Cauã, o papel foi um desafio, que ele acabou aceitando”, diz Toni, e explica que ele só aceitou o convite depois de ler o roteiro. “Ele está maravilhoso no filme. Construiu muito bem o personagem. A tela brilha com ele”, elogia.

“O filme começa com a Carmem muito bem sucedida, com a vida do jeito que ela planejou. Sempre muito focada no trabalho. E de repente os papéis se invertem: de médica, ela passa a ser paciente”, conta Leandra Leal. A atriz se preparou muito para viver Carmem, e garante que aprendeu muito com a personagem. “Na primeira semana do meu laboratório no hospital eu percebi que o importante mesmo é estar vivo. Esse é o cerne da questão. Estar vivo é o que interessa”, definiu.

Leandra também comentou sobre sua boa forma. “Não gosto de dar dica de alimentação. Acredito que temos que nos preocupar com a saúde. Acho que emagreci devido à maturidade, de perceber a importância de me cuidar mais”, assume.

Carmem fará com que suas duas realidades se confrontem. “Mas o filme não trata só de doença. Muito pelo contrário, ele fala da vida, sobre o que realmente é importante na vida”, conta. Sua personagem acaba se envolvendo num trabalho voluntário com o movimento sem-teto, e conhece uma militante da causa, vivida por Dira Paes . E tudo gira em torno desses universos díspares. O trabalho no hospital, se deparar com a doença, e a mobilização de um grupo social por moradia. “É para as pessoas rirem e chorarem. Quero que o público se emocione”, declara Toni Venturi.

“Estamos Juntos” estreia dia 17 de junho, e já foi consagrado com troféus no CinePE 2011, em sete categorias: melhor filme, melhor direção; melhor atriz para Leandra Leal; roteiro ( Hilton Lacerda ), fotografia ( Lula Carvalho ), montagem ( Marcio Hashimoto ) e o prêmio da crítica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.