O ator contou que não gosta do rótulo de ‘casal perfeito’ para o seu relacionamento com Grazi Massafera

Cauã Reymond
Beto Lima
Cauã Reymond
Cauã Reymond deixou a mulherada alvoroçada em sua passagem na Promenade Chandon 2011 que aconteceu nesse domingo (21) nas ruas do bairro Jardins, em São Paulo. Sucesso com o personagem Jesuíno, de “ Cordel Encantado ”, que na ficção faz a linha ‘príncipe encantado rústico', na vida real o ator deixa de lado os rótulos quando o assunto é seu relacionamento com Grazi Massafera .

Siga o iG Gente no Twitter e receba as notícias das celebridades em tempo real

“Às vezes fico um pouco temeroso quando começam a falar que a gente é um casal perfeito e tal, eu entendo, até porque eu também sou super curioso com a vida dos outros, mas eu acho que somos um casal bem normal”, minimiza. “Temos fases boas, fases mais difíceis, fases que um está trabalhando mais e os olhares não estão batendo... Eu não gosto muito de ficar otimizando uma coisa que não é verdade”.

Leia mais: Saiba tudo o que acontecer em Cordel Encantado

Juntos há pouco mais de quatro anos, Cauã revela um ‘segredinho’ para manter a relação sempre tranquila. “Temos uma preocupação que é importante para qualquer casal que é cuidar da relação, entender quando um está trabalhando muito e o outro ceder. Um sempre tem que ceder”.


Cordel Encantado...

Em ótima fase profissional, Cauã comemora a oportunidade de dar vida a Jesuíno e de fazer uma novela de época com raízes nordestina.

“Eu sempre quis fazer uma novela como essa, o Jesuino é meu primeiro mocinho e eu aprendo com ele. O caráter dele e a forma como ele conduz, é um personagem raro hoje em dia, de muita honra”, comenta. “Acho que essa coisa de mexer com o lúdico, traz de volta essa história de ‘Conto de Fadas', porque hoje em dia é de acordo com a necessidade, o capitalismo selvagem, querer se dar bem na vida, nem é passando por cima de alguém, mas às vezes a honra fica fora disso”.

E se fazer uma novela de época já é complicado para qualquer ator por conta de não poder improvisar fora do texto, falar com sotaque nordestino foi ainda mais difícil para Cauã.

“Eu convenci minha mulher a passar as férias no nordeste”, revela o ator sobre seu laboratório de preparação para a trama. “No começo ela ficava treinando sotaque junto comigo, eu brincava e dizia que ela estava pronta para fazer a novela também”.

Cauã Reymond chegou ao evento falando ao celular
Beto Lima
Cauã Reymond chegou ao evento falando ao celular

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.