iG acompanhou um dia de gravações da arquiteta que está no elenco de “Mulheres Ricas”, reality show da Band que estreia em 2012

Brunete Fraccaroli preparada para mais um dia de gravações
André Giorgi
Brunete Fraccaroli preparada para mais um dia de gravações

Brunete Fraccaroli chega ao Oscar Café em São Paulo, pontualmente às 10h, horário marcado para mais um dia de luxo na companhia da amiga Elisabeth Abduch . “Eu e a Beth ‘fazemos gazeta’, matamos o trabalho uma vez por mês, uma vez a cada dois meses, e aproveitamos para passear, tomar café, fazer compras. A gente desliga o celular e temos um dia só para relaxar”, explica a arquiteta. A diferença deste encontro para os demais é que, desta vez, a farra das garotas será televisionada. Brunete é uma das integrantes do reality show “Mulheres Ricas”, que estreia na Band no primeiro trimestre de 2012. Também estão no elenco a socialite e apresentadora Val Marchiori , a socialite carioca Narciza Tamborindeguy , a piloto de Fórmula Truck Débora Rodrigues e a joalheira Lydia Sayeg .

Sempre tive uma visão da Narciza (Tamborindeguy) de louquinha, né? Ela não tem nada disso. É uma menina muito bacana, pé no chão"

Enquanto aguarda sua companheira no café, Brunete recebe a notícia da produção que aquele não será mais o último dia de gravação, como comunicado anteriormente. E comemora. “Estou amando gravar porque é algo que não muda a minha rotina”, conta a arquiteta.

Com a chegada de Beth, a gravação começa e, como se as câmeras não estivessem ali, as amigas iniciam o encontro como o habitual: com uma troca de presentes. Brunete entrega um colar da Louis Vuitton (“É bijoux. Não sou rica para dar joias assim”) e ganha um esmalte verde metálico da marca Chanel.  Durante a conversa, Brunete aproveita para mostrar o chaveiro em forma de Torre Eiffel que ganhou após um encontro às escuras com um francês armado por Val durante as gravações do programa. Em entrevista ao iG, a arquiteta contou que, provavelmente, o Blind date não renderá um romance. “Acho que não tem muito perfil para um relacionamento. Mas foi gostoso, um amigo novo”.

ENTREVISTA COM VAL MARCHIORI: "Brunete (Fraccaroli) é uma mulher muito difícil, depressiva e a Narciza (Tamborindeguy) é sempre uma incógnita"

Depois do café da manhã, as Brunete e Beth seguem para um spa, onde escolhem uma massagem de uma hora para relaxar. De lá, seguem para as compras. Primeiro, passam pouco mais de uma hora a procura de sapatos, uma das paixões de Brunete. Na loja do Fernando Pires , ela mostra o modelo da bota que foi usado para personalizar a Barbie criada com seu nome. Além de sua miniatura, Brunete tem uma coleção com 402 bonecas.

Brunete Fraccaroli brinca entre as pernas do manequim
André Giorgi
Brunete Fraccaroli brinca entre as pernas do manequim

Após comprar sapatos, as amigas vão em busca de roupas. O dia se encerra com um forte abraço entre elas e a certeza de um próximo dia de luxo. Provavelmente, sem o registro das câmeras. O que faz Brunete brincar: “Adorei TV. Não quero ser mais arquiteta.”

Gostaram muito de mim porque sou muito alegre, porque justamente eu sou a Barbie, né?"

iG: Você comentou sobre o fato de não andar com seguranças, mas temer assaltos. Você não tem medo de ficar muito visada por causa do programa?
Brunete Fraccaroli: Tenho. Inclusive, fiquei uns três meses dizendo que não queria participar por causa do nome do programa. Primeiro, não sou uma mulher rica, sou uma mulher bem-sucedida. Mas eles me explicaram que era um 'blend' que vem da Espanha e que mulheres ricas são mulheres belas, que têm glamour. Não tem nada a ver com dinheiro. Fiquei chateada, mas ao mesmo tempo, achei que poderia ser alguma coisa muito divertida pra mim e me convenceram. Mas estou com medo, lógico que estou com medo.

iG: Não pensa em andar com seguranças quando o programa for ao ar?
Brunete Fraccaroli: Não acho que preciso de segurança, não tenho uma vida tão comprometida. Mas acho que as pessoas têm que compreender que (o programa) não tem nada a ver dinheiro com poder. Acho que sou muito mais poderosa, no sentido de chegar em qualquer lugar e as pessoas me receberem bem, mais celebridade, do que “mulheres ricas”.

iG: Tem alguma exigência que você fez em relação a algo que não quer mostrar sobre sua vida?
Brunete Fraccaroli: Falei que não queria mostrar minha filha, que inclusive vai casar agora. Ela é uma pessoa super na dela. Não me obrigaram a nada que eu não quisesse mostrar. Foi muito bacana. Eu não quero fazer mil compras, parecer que eu gasto um US$ 1 milhão porque eu não faço isso. A gente se diverte e aproveita a vida. Eu vi muito rico não aproveitar a vida. Acho que a gente tem que viver como rico, não ser rico.

iG: Você já conhecia as outras participantes antes?
Brunete Fraccaroli: A Val e a Narciza eu não conhecia. A Débora eu conheci há muitos anos quando fui decorar a Ilha de Caras e ela estava começando a vida dela de sem-terra. Foi muito legal nosso encontro. Eu já fiz um projeto de um shopping pra a Lydia. Ficamos todas muito amigas. Foi muito divertido a gente se encontrar, se conhecer. Acho que criou um link bacana.

Brunete Fraccaroli se prepara para gravação em spa
André Giorgi
Brunete Fraccaroli se prepara para gravação em spa

Sou muito mais poderosa, no sentido de chegar em qualquer lugar e as pessoas me receberem bem, mais celebridade, do que 'mulheres ricas'"

iG: Como ficou o relacionamento de vocês nesses três meses de gravação?
Brunete Fraccaroli: Achei muito bom. A Narciza e eu, por exemplo, nos demos superbem. Sempre tive uma visão da Narciza de louquinha, né? Ela não tem nada disso. É uma menina muito bacana, pé no chão, namora, tem uma vida agitada. Foi de uma família muito rica, mas ela não tem grana disponível. A Débora tem a vida dela também. Acho que ela fez uma carreira brilhante com a Fórmula Truck. Para conseguir o status que tem, ela batalha todo dia. Eu e a Lydia já nos dávamos superbem, já decorei a loja dela e fazemos uma troca: faço o projeto e ela me dá joia, é superbacana. Agora, a Val é a mais, assim... ela não tem problema expor, dizer o que tem, o que acontece, ela não tem medo. Realmente, é a que tem mais dinheiro. O nome “Mulheres Ricas” é mais um chamariz para despertar a curiosidade das pessoas, que só veem Big Brother, todo mundo meio estropiado, que vem lá de não sei onde. Eles queriam fazer um reality de pessoas que tivessem um pouco de recursos e vivessem uma vida que as pessoas almejassem ter.  

iG: Além das gravações, vocês têm uma amizade fora do programa?
Brunete Fraccaroli: Outro dia, fui jantar com a Val, a gente conversa. Vou fazer a loja da Lydia independente do programa. Fui com a Débora pescar no barco dela. Então, a gente criou uma amizade bacana. Nunca imaginei ser amiga da Val, da Narciza, da Débora. Todas as coisas que a gente fez, de ir de helicóptero pra cá, ir de barco pra lá, sabe... são coisas que no dia a dia não dá pra fazer. Eu trabalho muito. Para mim, foi um break na minha carreira. Tive que dar um espaço pra isso e estou me divertindo.

iG: Quem é a mais consumista do grupo?
Brunete Fraccaroli: Acho que a Val. Ela adora as coisas, não tem problema nenhum com grana. As outras, não. A Debora não é nada consumista. Ela só curte mesmo o que é de carro. Ela não quer nem comprar roupa, gastar com nada. Para a Lydia, joias são superimportantes. Acho que o bacana é a autenticidade de cada uma. A vida é assim, acho que a gente tem que mostrar o que a gente gosta. Se a gente pode mostrar um pouco de alegria... Eles gostaram muito de mim porque sou muito alegre, porque justamente, eu sou a Barbie, né? (risos) Por que só mostrar problema e tristeza? Se eu pudesse acabar com discriminação, com a desigualdade social, nossa, eu faria.

Fui pisoteada por uma multidão em um carnaval da Bahia, então fiquei muito limitada. Não posso viajar em qualquer classe do avião"

iG: E quem é a mais pão dura?
Brunete Fraccaroli: Não acho pão dura, mas acho que a Débora é a que menos consome, porque pra ela não dá prazer. Nenhuma de nós é pão dura. Pelo contrário. Acho que nós somos muito generosas. A Lydia, outro dia, ofereceu um (champanhe) Dom Pérignon pra gente. A Val está sempre pagando a conta. Acho que a Narciza tem um pouco mais de dificuldade, não posso dizer que ela é pão dura. Ela não tem, então ela não tem como gastar.

iG: E no que gosta de gastar seu dinheiro?
Brunete Fraccaroli: Em bolsa e sapato. Adoro porque não engorda (risos). Adoro viajar, é o dinheiro mais bem gasto do mundo. Acho que dinheiro não é para guardar, é pra gastar. Sou da filosofia que gasto tudo o que tenho. Não vou guardar meu dinheiro. Prefiro comprar uma bolsa legal, um sapato bonito, viajar gostoso, confortável. Eu sou claustrofóbica, tenho agorafobia (medo de multidões e espaços abertos). Fui pisoteada por uma multidão em um carnaval da Bahia, então fiquei muito limitada. Não posso viajar em qualquer classe do avião. Tenho que viajar na classe que tenha a porta (risos). Saio primeiro. Então prefiro investir nessas coisas, que me deem qualidade de vida. Acho que muito mais do que gastar, quero qualidade de vida.

Brunette Fraccaroli se diverte em loja de sapatos, uma de suas paixões
André Giorgi
Brunette Fraccaroli se diverte em loja de sapatos, uma de suas paixões

iG: E quantos sapatos e bolsas você no closet?
Brunete Fraccaroli: Não tenho muitos. Toda vez que compro um, dois sapatos, eu tiro um ou dois do meu armário. Meu armário é todo certinho, guardado por cores, então não cabe mais. Por isso eu doo. Primeiro que não fico com consciência pesada de estar gastando. Segundo, estou sempre ajudando alguém.

iG: Você é apaixonada por sapatos, mas tem dificuldade de encontrá-los, pois calça 33...
Brunete Fraccaroli: É! Por isso mesmo que eu fico desesperada. Quando eu acho meu número, quero comprar a coleção inteira. Uma vez, teve uma liquidação da Daslu e só tinha sapato 33 e 34. Acho que comprei 60 pares de sapato. Cheguei em casa e joguei todos os outros sapatos velhos fora.

iG: Qual foi seu maior gasto, seu maior luxo?
Brunete Fraccaroli:
Meu maior luxo é minha Mercedes, que eu acho que é um carro bom, blindado. Fiquei 14 anos com três carros velhos. Adoro meus carros velhos. Não ligo pra carro. Mas esse luxo eu me permiti. Preciso de um carro seguro, saio muito sozinha à noite. E depois eu preciso de um carro que não quebre no meio da rua, que eu possa viajar, que eu possa visitar obra fora.

iG: E a coisa mais “desnecessária” que já comprou?
Brunete Fraccaroli: Ahhh, eu compro tantas coisas desnecessárias. Uma caveira de cristal. As pessoas acham horrível, mas era uma fortuna e eu comprei. Eu não resisto a objetos de decoração. Uma das maiores extravagâncias que eu fiz foi a cadeira dos (irmãos) Campana.

Brunette Fraccaroli em sua Mercedes-Benz, carro que considera seu maior luxo
André Giorgi
Brunette Fraccaroli em sua Mercedes-Benz, carro que considera seu maior luxo

iG: Você sabe, mais ou menos, quanto ela vale?
Brunete Fraccaroli: Eu paguei caríssimo, US$ 40 mil dólares (cerca de R$ 67 mil). Mas hoje ela está uns US$ 370 mil (cerca de R$ 625 mil). Foi um superinvestimento (risos). Ela é uma cadeira de museu, de colecionador. Comprei quando eles estavam começando, então não foi uma coisa cara.

iG: Costuma gastar com a Sissi, sua maltês?
Brunete Fraccaroli: A Sissi é minha filha. Quando comprei a Sissi, ela veio com a pata manca e com o pelo todo crespo. Eu queria um maltês lindo de morrer e veio esse estrupício. Aí me apaixonei. No dia seguinte, fui reclamar e a moça disse que eu podia trocar o cachorro. Imagina se eu vou trocar um cachorro, não é um vestido. Então comecei a tratar a Sissi. Ela faz acupuntura por causa da pata. Outro dia comprei um carrinho de bebê pra ela. Ela vai ao pet shop e ela é supercuidadinha. Não gasto muito com ela, mas dou todos os privilégios que um ser humano merece (risos). Ela não é uma cachorra de exposição, pra sair mostrando, ela é uma cachorra pra amar.

Tive um relacionamento de sete anos e fiquei apaixonada por ele dez (risos). Três chorando. Sou difícil de trocar as coisas por novas"

iG: A Val comentou em entrevista que arrumou um encontro às escuras pra você e, hoje, quando você entrou no café, arrematou olhares. Está chovendo homem agora com a divulgação do programa?
Brunete Fraccaroli: (Risos). Sou super low profile nessa parte, sou superseletiva. Não é questão de chover homem, mas nunca senti falta de homens na minha vida. Eu que não quero. Tive um relacionamento de sete anos e fiquei apaixonada por ele dez (risos). Três chorando. Então eu sou assim. Sou difícil de trocar as coisas por novas. Não me entrego fácil. Mas quando me entrego, é pra toda a vida. E infelizmente meus relacionamentos não deram pra toda vida.

iG: E esse encontro, não deu certo?
Brunete Fraccaroli: Ah, esse encontro foi bem engraçado. Ele é francês, muito inteligente, expressivo. Tem muita cultura, adorei. Foi muito bom. Mas acho que não tem muito perfil para um relacionamento. Nem eu dele, nem ele o meu. Mas foi gostoso, um amigo novo. Uma abertura de portas. Sempre estou aberta a coisas novas. Quem sabe. Eu queria tanto um amor que eu falasse assim: “ai, bate meu coração, que sai assim pela boca”. Quem sabe ainda?

iG: O que é luxo pra você?
Brunete Fraccaroli:
Luxo é qualidade de vida, é não ter limites, é fazer o que a gente quer, é matar um dia de trabalho pra poder se paparicar, é a gente poder ser a gente mesmo, é ser autêntico. Isso é um luxo pra mim.

ENTREVISTA COM VAL MARCHIORI: "Brunete (Fraccaroli) é uma mulher muito difícil, depressiva e a Narciza (Tamborindeguy) é sempre uma incógnita"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.