Campeões da 8º e 9ª edição do reality falam sobre o destino do R$ 1 milhão faturado e os novos confinados

Max Porto e Rafinha não participaram da mesma edição do BBB, mas se tornaram grandes amigos. Tanto é que, quando Rafinha deixa o Rio de Janeiro e segue para São Paulo, fica na casa de Max. “Durmo com o cachorro dele lambendo minha boca”, brincou Rafinha em um bate papo descontraído com o iG Gente durante o ultimo dia da São Paulo Fashion Week.

Os campeões da 8ª e 9ª edição do reality show mostraram que tem muito em comum. Inclusive o voto para campeão da décima edição do BBB. “O Diogo. Não vai ter como competir”, apontam os dois. Mas Max tem uma segunda opção. “Também gosto da Paula. Um paredão com ela seria difícil”.

Para a final, a dupla de milionários também já tem voto certo: “Diana, Paula, Cris e Diogo”. Para Max, a diferença entre os participantes da primeira e desta edição é gritante. “Naquela época, não existia escola de BBB. Não existia a cultura de ser um brother. Hoje, todo mundo é perito em BBB”, sentenciou. Já, Rafinha, afirmou que, independente de qual edição do programa o brother entra “não dá para ser um personagem, não tem como esquecer as câmeras”.

Destino do milhão

Max e Rafinha já deram um destino para os prêmios que faturaram. Enquanto o músico escolheu investir em sua banda, o artista plástico optou por poupar. “Também tenho apartamentos alugados, construí uma casa e estou trazendo para o Brasil uma marca de tênis”, contou Rafinha, que se sente uma cara realizado por suas conquistas. “Completei todos os meus sonhos. Tenho minha casa, meu estúdio e minha banda. Pra mim, está ótimo”.

Max, que será papai em breve, preferiu aplicar o dinheiro de outra maneira. “Assim que o dinheiro caiu na minha conta, mandei tudo para o investimento. Fiquei zerado. Hoje em dia, tenho meus empreendimentos, como uma marca de toy art. Um milhão foi um belo start”, conclui. “Mas se for ver bem, hoje em dia não é muito dinheiro”, rebate Rafinha.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.