Rapper, que deixou a casa do BBB14 na noite de quinta-feira (27), ainda falou sobre a identificação que teve com Vanessa

Valter Slim traçou seu caminho no "Big Brother Brasil 14" como quem monta uma música. É verso por verso, palavra por palavra. Mas talvez o jogo pedisse agilidade, coisa que foi brecada pela tranquilidade e extrema necessidade de observação do rapper. Por isso (ou por nada disso), o público escolheu ele para deixar a casa na noite de quinta-feira (27), com 75% dos votos. Um grande índice que não assustou Valter.

"Acho que as pessoas têm uma identificação com o que acontece na trama. Aconteceram outras coisas que deixaram outras pessoas em evidência. Saio muito tranquilo, muito feliz com minha atuação, porque realmente fui a pessoa que sou e não fingi em momento nenhum e nem forcei nada para tentar ganhar um espaço, para aparecer. Se esses 25% são de pessoas que realmente acreditam e confiam em quem eu sou, já vale mais do que os outros 75% de pessoas que não têm uma opinião formada sobre como votou e etc, e foi mais pelo calor da emoção, de repente", disse Slim.

Durante todo o programa, o rapper conseguiu, com cautela, ler as peças dispostas no tabuleiro com mais audácia que outros jogadores. A boa memória também é uma aliada de Slim, que se mostrou bastante chateado com atitudes de Angela . "Na verdade, observei muito. Muita gente veio falar dela e, quando falavam, eu parava um pouco para pensar. E o que estou falando são de atos. São coisas que a pessoa vai fazendo e você começa a ligar uma coisa na outra. Diferente das pessoas que falavam sem ter uma base, comecei a juntar as peças", contou.

"Comecei a ver que ela falou que o Diego poderia estar fraco porque ele disse aquela coisa do homofóbico. E uma vez peguei ela conversando com as meninas sobre isso, e quando todo mundo votou no Diego, eu pensei: 'pô, mas todo mundo achava o Diego forte, votaram nele por quê?'. Vi que alguma coisa tinha ali. Esse lance do Marcelo , nessa última formação de Paredão, ela votou na Vanessa , se arrependeu porque tinha que ter votado nele, depois se arrependeu porque conversou com ele e queria que ele ficasse. Ou seja, ela percebeu que ele era forte e quis se aproximar. Eu queria uma oportunidade de chegar e falar com ela tudo isso que fui juntando", declarou.

Faltando cinco dias para a grande final, Slim aposta em Marcelo como grande campeão "porque é o que sobrou", segundo ele. "Discordo de várias coisas que aconteceram, acho que ele tem muitos pontos que não batem. Sou uma pessoa que tem muita memória, as pessoas podem achar que sou estrategista por isso, mas é só porque lembro tudo. Me lembro dele falando que tinha foco na Letícia , e depois falou que o foco primeiro foi a Angela, e aí ele mudou o foco para Letícia, a Letícia não queria nada, daí ele foi para a Angela, a Angela também não queria, e ele voltou para Letícia... Isso para mim não é foco. A Vanessa era a única pessoa que me interessava ali dentro. Então, em momento nenhum eu fui para outro lado", afirmou Slim.

Sobre o possível trelelê com Vanessa, que ficou só no campo da imaginação, Valter foi sincero ao comentar seus reais sentimentos pela sister e o assédio da eliminada Aline . "Com ela (Aline) foi muito mais fácil, porque não tinha uma química. Com a Vanessa eu já tinha uma identificação muito maior. Acho que a gente tinha muitas coisas em comum. Acabei indo para um outro lado - e isso é uma coisa minha mesmo - , porque eu sei que ela já passou por várias coisas e eu tive várias conversas com ela sobre outras coisas, além de relacionamento. Para mim, ficou mais evidente tentar resolver aquilo do que simplesmente ter ela só como mulher. Tinham coisas muito mais profundas, que até ela falou que nunca tinha falado com ninguém. Isso para mim é muito importante, por isso que eu gosto do bate-papo, acho que você tem uma relação muito diferente com as pessoas quando você vai além do superficial", contou.

Slim continuou no assunto: "Vanessa é uma mulher linda. Não sei os motivos dela, ela tem a Clara lá, eu não sei como vai ser aqui fora quando a gente for se relacionar, mas acho que ela era a pessoa que tinha mais a ver comigo. E me segurei muito por causa disso. Não queria viver um negócio ali superficial. Eu queria muito descobrir tudo que ela ficou de falar. E ali não era o lugar. Pensei 'tudo bem, eu posso esperar e se tiver de acontecer, vai acontecer'".

Clanessa é fake?

Sobre o relacionamento com Clara, que muitos julgam ser falso, Slim acredita que se trata, acima de tudo, de uma amizade. "Eu conheço tanto tipo de relação que é mais fria. É muito complicado eu chegar e apontar (se é fake). Pelo que a Vanessa me falou, ela é uma pessoa que não gosta desse grude todo. E com a Clara era muito mais a amizade e o relacionamento vinha um pouquinho depois. Acho que elas tinham muito mais ligação de serem amigas, de compartilhar tudo aquilo junto, a loucura, as brincadeiras e etc. E somando com a atração", opinou.

E a outra? Lembra que a tia Zezinha comentou com Slim que a outra menina, com quem ele estava antes do programa, tinha feito a fila andar com outro? Valter não se abalou com a notícia e afirmou que vai manter sua palavra.

"Quando entrei aqui eu falei que iria ligar para ela para a gente conversar quando eu saísse independentemente de qualquer coisa que acontecesse, mesmo se eu estivesse com alguém lá ou não. A gente tinha uma relação além do ficar, de amigo mesmo. E eu deixei muito aberto que ela poderia viver o que quisesse viver, assim como eu poderia viver o que quisesse viver. Se a gente tiver que voltar, para mim também não vai ser problema nenhum. Se a energia for a mesma de quando eu ficava com ela, para mim não tem nenhum problema", afirmou.

Para encerrar o assunto "amor e sexo", Slim comentou que não foi complicado segurar a vontade durante o programa. "Já fiquei mais tempo sem (fazer sexo). O problema é ficar vendo toda hora uma bunda, um peito, isso, aquilo. Eu já fiquei seis meses, sete meses sem. Por escolha mesmo. Um tempinho de purificação e depois você volta à ativa com gás total", brincou.

Slim estrategista

Vários eliminados apontaram Slim como o principal estrategista da casa. E ele de fato mostrou essa faceta quando pegou a última liderança e indicou Tatiele Polyana para a berlinda. "Eu joguei para mudar. Não sou do tipo que gosta de apontar o dedo. Prefiro que as próprias pessoas sigam contra aquilo que acabaram de falar. Eu não tinha nada contra a Poly, achava ela super de boa, mas eu precisava fazer aquilo. E não fiz estratégia, sempre me aproximei. As coisas que tinha vontade eu fazia. Mas não fiquei fazendo esse joguinho de vai aqui, vai ali para conseguir voto como acho que muita gente fez. Fui eu mesmo e sou assim", garantiu.

Feliz da vida por onde chegou e o que conquistou, Slim se considera um vencedor apenas por ver a mínima felicidade de sua mãe. "Nunca coloquei o dinheiro como algo que justifique todos os meios. Posso fazer show, posso continuar a minha vida, conseguir meu dinheiro devagar, cuidar da minha mãe, que era meu maior sonho. Por incrível que pareça, saber que minha mãe saiu de casa, veio para o Rio, conheceu o Projac, o lugar das novelas a que ela assiste... As pessoas não têm noção do que é isso para mim. Minha mãe sempre cuidou muito do meu pai e eu queria dar uma oportunidade não de ter dinheiro, mas de fazer alguma coisa nova, diferente. Minha mãe nunca foi em um show meu. Tudo isso que aconteceu para mim já é a maior vitória. O dinheiro, sei lá... R$ 1,5 milhão é até dinheiro demais, alguém pode tentar sequestrar minha filha. Sei lá o que vou fazer, onde vou morar com tanto dinheiro assim. Eu prefiro ser honesto", finalizou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.