Miguel Falabella, Letícia Spiller, Fernanda Montenegro e Arlete Salles, entre outros, prestam uma última homenagem ao colega

Famosos comparecem ao velório de Ítalo Rossi
Photo Rio News
Famosos comparecem ao velório de Ítalo Rossi

Vários amigos de Ítalo Rossi compareceram ao Cemitério do Caju, no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (3), para prestarem uma última homenagem ao amigo. Entre eles, estavam os atores Letícia Spiller , Miguel Falabella , Antônio Pitanga , Diogo VilelaFernanda Montenegro e Arlete Salles . Veja algumas declarações dos amigos famosos e colegas de cena de Ítalo Rossi.

Fernanda Montenegro : "Trabalhamos desde 1954. Fizemos dez anos de teleteatro. Nos víamos praticamente há 20 anos, todos os dias, entre os trabalhos na TV e no teatro. Erámos muito amigos. Fiquei assustada com a morte dele. Por volta de 70, 80 anos, as baixas são dolorosas. O Ítalo só vivia para o palco, só se realizava no palco. Era uma alegria estar nele. Ítalo era uma pessoa doce, querida. Uma perda que não se pode fazer nada. Nada consola. É insubstituível por todas as razões."

Diogo Vilela: "Ítalo era uma pessoa maravilhosa. Trabalhamos três anos no 'Toma Lá, Da Cá' e foi maravilhoso. O assunto paralelo as gravações era tão interessante, que eu não queria parar de conversar com o Ítalo. Não sentia a tensão a gravação" .

Miguel Falabella: "Um homem que tive a honra de trabalhar na peça 'Um e Outro'. Fico feliz de ter proporcionado para ele um personagem de grande sucesso popular, que foi o Seu Ladir em 'Toma Lá, Da Cá'. Italo conquistou o Brasil com uma frase: "É mara" (o bordão do personagem de Ítalo). É uma grande perda. Uma pessoa generosa, do bem, profissional. Ele vai deixar um buraco enorme", disse ele, com a voz embargada.

Arlete Salles : "Guardo lembrancas lindas, de um grande ator, um homem elegante e competente. Profissionalmente convivi pouco com ele. Mas nunca vou esquecer o momento em que ele conquistou o Brasil com um ato: "É mara". Foi indiscutivelmente um sucesso. O programa era só dele. Ele deixou uma historia linda."

Eva Wilma: "Só tenho lembranças boas. Fizemos amizade, um parceiro fantástico. Grande ator e companheiro".

Antônio Pitanga: "O Ítalo era muito divertido. Uma pessoa magnânima", disse ele, que o conheceu na década de 50, quando atuaram na primeira novela diária "Morta sem Espelho". "Italo é um exemplo. Hoje é fácil falar do sucesso, mas estou me referindo a um tempo em que éramos marginalizados e não tínhamos reconhecimento na carteira de trabalho. Uma época difícil. Hoje, a gente reverencia e tira o chapéu para a pessoa que foi muito importante para o teatro e a televisão brasileira. A matéria se vai mas o pensamento fica para todo o sempre", continuou ele.

Letícia Spiller chegou à capela com um buquê de flores. Ficou por alguns minutos acarinhando as mãos de Ítalo e preferiu não se pronunciar.

Ítalo Rossi faleceu aos 80 anos na noite de terça-feira (2), vítima de insuficiência respiratória . O ator foi fumante por toda a vida, mas, segundo familiares, havia abandonado o cigarro há um ano. O corpo do ator está sendo velado desde às 10h na capela de São Francisco Xavier.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.