A atriz, que faleceu nesta quarta-feira (23), tinha um caso de amor com pedras preciosas

Elizabeth Taylor
Reprodução
Elizabeth Taylor
Elizabeth Taylor faleceu nesta quarta-feira (23), aos 79 anos, por problemas cardíacos , em Los Angeles. Além de suas contribuições ao cinema hollywoodiano e às causas sociais, uma das mulheres mais fotografadas do século 20 também deixou suas marcas com seu estilo e com as joias que desfilava pelos tapetes vermelhos.

Galeria: O estilo de Elizabeth Taylor

Seu caso de amor com as pedras preciosas começou já na infância. "Muinha mãe dizia que oito dias depois de nascer eu abri os olhos, mas a primeira coisa que vi foi o seu anel de noivado. Eu fiquei viciada nele!", disse ela, em entrevista, numa declaração que entrou para a galeria das frases célebres de Elizabeth.

A pérola
Reprodução
A pérola "La Peregrina" foi descoberta no século 16
Ao longo de sua vida, Liz colecionou as peças mais desejadas do mundo, de renomadas joalherias, como Bulgari, Cartier, Chopard ou Tiffany. Em 1945, comprou sua primeira joia, mas foi depois de seu casamento com o "showman" Mike Todd que começou a colecioná-las.

Paparicada pelos ex-maridos -- no total foram oito casamentos -- , Liz ganhou dezenas de joias de presente. Muitas foram agrados do ator britânico Richard Burton , falecido em 1984. Entre elas, está o diamente Krupp, que possui 33,19 quilates. Esta peça pertencia a Vera Krupp , membro de uma célebre família de industriais alemães.

A pérola "La Peregrina", também presenteada por Burton, era uma das favoritas da atriz. Descoberta no começo do século 16, foi oferecida ao príncipe Felipe II da Espanha, que a deu de presente à rainha da Inglaterra, Maria Tudor . Em 1969, foi adquirida por Burton em um leilão.

Além da famosa pérola, Liz possuiu o diamante mais pesado do mundo, o "Taylor - Burton", de 69,42 quilates, batizado com os sobrenomes de Elizabeth e de Richard, que comprou a peça em um leilão em 1969 com a pressuposição de que ele poderia ser nomeado pelo comprador.

A joalheria Cartier, de Nova York, fez com sucesso um lance para ele e imediatamente o batizou de "Cartier". Entretanto, no dia seguinte, Richard comprou a pedra para Liz por uma soma até hoje não revelada.

Liz Taylor e o maior diamante do mundo
Reprodução
Liz Taylor e o maior diamante do mundo

A primeira vez que a atriz o usou foi em um baile de caridade em Mônaco, na França, e ele fez parte do acervo pessoal da atriz por dez anos. Em 1979,  foi vendido por quase US$ 3 milhões e hoje se encontra na Arábia Saudita.

Sua paixão por joias era tanta que a atriz chegou a a publicar o livro "Elizabeth Taylor: minha história de amor com as joias", em 2002, e emprestar as peças para a famosa casa de leilões Christie’s, em Nova Iorque, que fez uma exposição com 30 peças.

O livro traz uma citação sua, em que se declara "guardiã" de suas peças: "Estou feliz por ter algumas das joias mais importantes do mundo… Eu acredito que eu sou uma guardiã, estou aqui para apreciá-las, dar-lhes o melhor tratamento do mundo, para assistir, dar segurança, e amá-las".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.