Funkeira diz que não tem medo de tocar em comunidades carentes

Reprodução
"Não tenho medo de tocar na favela", diz Valesca
Na madrugada desta quinta-feira (08) enquanto se preparavam para dormir, Valesca falou para Marlon e Gui sobre os shows em bailes funk que já fez nas comunidades carentes do Rio de Janeiro.

Perguntada sobre os riscos que o grupo corre e sobre a permissão para subir os morros a peoa disse que só era necessário abaixar os vidros do carro e reduzir a velocidade para ter acesso ao lugar.

“Não tenho medo de tocar na favela. Já fiz show em clube que teve tiroteio dentro do local”, continuou Valesca, que defendeu a cidade e disse que nas favelas geralmente é tranquilo. “Todo mundo fala que o Rio é o mais violento mas não é assim não. Você corre risco em todo lugar”, completou.

O paraquedista aproveitou para contar sobre sua experiência no Complexo do Alemão, onde disse ter conhecido um dos ‘donos’ do morro ao frequentar um baile funk com amigos.

Monique Evans pegou a conversa no final quando os confinados falavam sobre o tráfico de drogas e comentou sobre uma entrevista que fez com mulheres encarceradas para o programa que apresentava. "A maioria delas está presa porque era avião dos maridos", revelou a apresentadora ao falar que boa parte das mulheres que cumprem pena nas cadeias feminas são abandonadas pelos cônjuges.

"Eu vi uma matéria dessas em um programa de jornalismo desses grandes uma vez e as mulheres falaram que sentiam remorso pelo que fizeram", completou Gui.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.