“Craque aqui só se for de futebol”, Valesca dá a idéia

Enquanto temperava a carne, Gui Pádua participava da conversa
Reprodução
Enquanto temperava a carne, Gui Pádua participava da conversa
Enquanto começavam os preparativos para o almoço desta quarta-feira (31), Valesca , Raquel , Joana e Gui Pádua conversavam na cozinha. O Fazendeiro da Semana começou a falar um pouco do seu trabalho, quando Joana disparou: “Uma coisa que eu acho desnecessária é droga”. O paraquedista explicou que na sua profissão é muito comum essa mistura: “Eu já tive muitos amigos que se diziam controlados e que se perderam no meio da droga, uns até morreram”. E revelou: “Eu já tive a oportunidade de me envolver, porque paraquedismo nos EUA é muito pesado de droga”.

As meninas falavam que as crianças de hoje em dia se envolvem com drogas principalmente porque não têm atividades para fazer. “É o ócio que encaminha”, reforçou Joana. “Eu quero muito ajudar você (Gui) no projeto da Rocinha”, disse Valesca.

Gui Pádua, parece ser envolvido com projetos esportivos de caridade no Rio de Janeiro, e contou: “Lá em Minas, a mulecada de sete, oito anos ao invés de praticar esportes, vai trabalhar com o pai na roça”. E explicou: “Eu montei um projeto, de skate, bike, esportes em geral para incentivar essas crianças, levei o projeto para a câmara da cidade e não deu em nada”.

Valesca brincou com a turma dizendo: “Já inventei um nome pra nossa campanha, vai ser ‘Craque aqui só se for de futebol’”.

Parece que os peões estão bem conscientes dos problemas que a sociedade enfrenta, agora nos resta esperar se o projeto vá para frente!


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.