Baiano deixa competição pelos R$ 2 milhões

Compadre Washington bota o pé na estrada
Reprodução
Compadre Washington bota o pé na estrada
Na madrugada desta sexta-feira (09), Compadre Washington deu adeus ao prêmio milionário do programa com 66% dos votos. Escolhido pelo público para colocar o pé na estrada, o líder do grupo “É o Tchan” enfrentou a sua terceira berlinda com Thiago Gagliasso e Joana Machado .

Na primeira Roça, Compadre Washington competiu com Taciane Ribeiro . E na segunda lutou pela permanência no programa com Marlon e Anna Markun .

Além de perder a chance de concorrer ao grande prêmio, o peão da equipe Coelho deixa o jogo no dia em que acontece a prova pelos R$ 500 mil . Assim, Raquel e Monique terão que brigar sozinhas pelo dinheiro.

“Em contraste de sentimentos, um entra e o outro sai. Por decisão do público, que votou muito, quem vai botar o pé na estrada e não terá chance de participar da prova pelos R$ 500 mil é você, Compadre Washington”, disse Britto Jr.

Enquanto seguiam para a porteira, o cantor baiano disse: “Foi uma ótima experiência. Eu não me arrependo de nada, por mais que eu tenha falado muito. Eu sou assim mesmo e não fiz nada errado. Agradeço muito por ter tido essa oportunidade”.

Ele também afirmou que só disse tudo o que disse porque é um homem e não gostou das brincadeiras de Raquel.

Sono sem fim

Embora tenha perdido o sono algumas vezes, dormir foi a atividade mais realizada por Compadre Washington na casa, o que quase o levou para a Roça na segunda semana do reality. Na maioria dos dias, o peão costumava ser o primeiro a cair na cama.

Na votação que levou François à berlinda que o mandou para casa, Compadre empatou com o modelo depois de ter recebido votos por não ajudar muito nas tarefas diárias. Os companheiros alegavam que ele estava sempre dormindo . O cantor se defendeu dizendo que tomava remédios para conseguir dormir à noite, o que o deixava sonolento durante o dia também.

Ronco sem fim

Dormir não foi um problema que o músico enfrentou. Já seus companheiros de quarto não puderam dizer o mesmo. Desde o primeiro dia do confinamento, os integrantes tiveram problemas com os roncos do cantor. Thiago até chegou a cutucá-lo para que parasse de roncar.

Raquel também teve problemas e Dinei não ficou de fora da insônia provocada pelo ruído em alto e bom som produzido por Compadre Washington.

Seu ronco, que até atrapalhou conversas na casa, acabou virando um funk composto pelo próprio baiano.

Saúde frágil e corpinho nada sarado

O músico apresentou um físico nada sarado durante a participação no reality, o que foi motivo de chacota, De vez em quando ele praticava exercícios na academia da casa. Nos dias em que permaneceu no reality, Compadre Washington não demonstrou muita disposição para realizar tarefas pesadas. As provas que exigiam muito esforço físico desgastavam o cantor visivelmente.

A saúde do peão chegou a preocupar as companheiras da casa enquanto estava na Roça pela primeira vez. Ele foi atendido pela equipe médica do programa por estar com a pressão alta e se apresentar sempre ofegante.

Alegre, irreverente e com um Q de fofoqueiro

Apesar de ter sido, certa vez, considerado mal humorado pelas mulheres da casa, Compadre Washington esbanjou alegria e bom humor. Prometeu casamento para Monique e revelou gostar de mulheres casadas .

A emoção também tomou conta de Compadre. Em um dia, chorou à noite antes de dormir e se derreteu com algumas declarações dos amigos no confinamento durante algumas atividades realizadas com os integrantes da casa. No dia da eliminação, ele sonhou com seu filho que havia morrido.

Ao mesmo tempo, não segurou a língua para falar dos outros peões. Reclamou de João Kleber , falou de “cobras” na casa, fofocou à vontade com o amigo Dinei e declarou : “Quando não durmo, eu falo”.

Sem papas na língua

Depois que voltou da segunda Roça, Compadre já não era mais o mesmo. Os companheiros do peão falavam aos quatro cantos da casa que o músico estava diferente. Isso levou alguns dos confinados a votarem no cantor para ir para a berlinda.

A indicação irritou o baiano e foi motivo para que o peão vomitasse ofensas a torto e a direito na casa. Durante a escolha, Compadre discutiu com Raquel, xingou Monique e, ao retornar para a casa sede, mais confusão e ofensa. O músico chamou a ex-garota de programa de p... e ainda discutiu com Valesca.

Compadre adorava cuidar dos porquinhos e até “pediu” para que eles fizessem uma campanha para que ele ficasse na casa. Até música ele fez para comover o público.

Mas todo o esforço não surtiu efeito e a estada de Compadre Washington chegou ao fim. A pedido do público, o cantor vai passar a fazer companhia para Renata Banhara , François , Taciane , João Kleber , Dani Bolina e Anna Markun na cidade grande. A casa agora possui oito participantes na disputa pelo prêmio de R$ 2 milhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.