Pagodeiro sempre tem alguma história para contar aos peões

O peão que tem mais histórias para contar na quinta edição de “A Fazenda” é o pagodeiro Vavá . Para todos os assuntos, lá vem ele com suas experiências, uma mais divertida do que a anterior. Ele já contou história de pescador, de perseguição de fãs, de tombos que já levou (ou levaram) no palco. Por isso, tornou-se o contador oficial de histórias do reality, lembrando o filme "Forrest Gump: O Contador de Histórias", de 1994.

Acompanhe tudo o que acontece em "A Fazenda 5"

HISTÓRIA DE PESCADOR

“A gente sai da baía de Santos e vai até onde tem os cursos de mergulhos lá na laje de Santos”, começou. A garateia (o peixe), em cima tem uma cor abóbora bem forte. Eu já peguei uns 5 kg. Tu sentiu puxar, já joga no balde. A hora que ela inchar, fica tudo azul. Aí voa tudo longe. A gente fazia guerra. Difícil depois era limpar”, contou ele sobre suas aventuras de pescarias em que os peixes que ficam azuis chegam a voar “uns150 metros”.

ARANHA GIGANTE

O músico também contou a história de uma vez em que foi para o Acre se apresentar com o grupo Karametade, quando passou um grande susto no palco. “Tinha uma aranha gigante, dessas cascudas mesmo, na parede do palco. A gente se apresentando e olhando aquele bicho na parede, morrendo de medo”, falou ele, que ressaltou ter adorado a apresentação no local, apesar de ter ficado o show inteiro apreensivo.

LEIA MAIS:  Ângela Bismarchi e a visibilidade que vem do drama

O PALCO RUIU

A história do tombo do Vavá levou Gretchen e Ângela Bismarchi às gargalhadas. Do nada, o pagodeiro relembrou um vídeo em que Ângela está gravando em uma praia, quando vem uma forte onda e a derruba. Rindo da situação, ele relembrou o seu caso semelhante. “Aquele mico que tu pagou do tombo com as ondas, eu cag**** de rir. Na segunda ela rolou, tentava se cobrir e não conseguia [...] levou mó vaca no rasinho”, relembrou. “Fui fazer um show numa casa noturna uma vez, que eu ria tanto. O primeiro show da casa foi do Tom Cavalcante, aí tinha uma parte do show que eu virava e troquei a camisa no palco, a mulherada gritando. Na hora que eu coloquei a segunda camisa, o palco quebrou e eu caí. Meu, a banda não conseguia tocar e eu caído pedindo para me tirarem de lá. Aí eu saí com a canela toda arranhada, rindo pra caramba. O pessoal da banda chorando de rir. A gente tinha que parar o show toda hora com o pessoal rindo”. Ele contou também de uma vez em um show em Angola em que foi subir uma escada, pisou em falso e caiu com a cara no chão. Teve também uma experiência em que ele deu “um mortal” e derrubou toda a mesa de som.

E MAIS:  Ângela Bismarchi é avisada da morte da irmã e continua no reality

MICOS ALHEIOS

Vavá também já contou dos micos alheios. “Uma vez fui ao show do Daniel no antigo Olypia e ele tava com um sapato novinho. E lá tinha umas escadas que passavam pelo camarim. Meu, ele deu um tropeção. Quando conseguiu parar, ele falou: ‘É, sapato novo’, todo envergonhado. Mas eu sei como ele estava se sentindo”.

As histórias sobre shows são longas. Ele contou ainda sobre certa vez em que se apresentava em uma casa de espetáculos paulista e seu irmão gêmeo, Márcio, ainda não era famoso, mas estava na plateia o acompanhando. “Era Karametade, Leci Brandão, Art Popular e mais gente. O Karametade era bombado. Daqui um pouco um amigo do meu irmão cata ele e coloca no ombro. Na hora que a mulherada viu o meu irmão, o povo olhou no palco o Vavá e olhou no ombro do cara o outro Vavá, a mulherada atacou. Ele saiu do show todo rasgado. Ele ainda era bancário na época. Rasgaram ele inteiro”, contou.

LEIA AQUI: Irmã de Ângela Bismarchi atirou contra o próprio peito, diz namorado

CAFÉ COM SAL

Contando seu lado trapalhão, Vavá aproveitou a vez em que Penélope “adoçou” seu café com sal para contar mais um caso. O pagodeiro lembrou que colocou adoçante em uma feijoada. “Eu tava numa feijoada e coloquei adoçante em vez de sal”, contou. “Depois até tentei colocar sal pra ver se dava jeito, mas não rolou”, completou ele, que teve de jogar a comida fora.

INVASÃO DE DOMICÍLIO

Não faltaram também as histórias com fãs. “Uma vez a menina invadiu a casa da minha mãe, entrou no quarto do meu irmão e pegou ele de cueca. Meu irmão tocou a menina pra fora”, contou. Ele disse ainda que essa mesma menina, em um jogo beneficente de futebol, se jogou no capô de seu carro. Ele também revelou o caso de uma fã mais ousada, que ofereceu uma “doação” ao grupo. “A menina queria fazer uma doação. Então, ta! Você quer doar, então doa... Era uma grana de uma herança que ela tinha recebido e prometeu que ia doar. Ela descobriu onde eu morava e comprou um apartamento debaixo do meu”, falou. “Ela ia lá tocar a campainha do meu apartamento às 4h da manhã nuazinha, até o dia que toquei ela pra fora. Ela ia de roupão e falava: ‘tô aqui, sou toda sua [...] Até o dia em que percebi que ela era louca e falei pra ela voltar pra Curitiba. Ela ficou tão desesperada que uma vez entrou na minha casa e jogou a chave pela janela”.

VEJA MAIS: Morre irmã de Ângela Bismarchi

PADRINHO DE CASAMENTO

Certa vez, Vavá foi escolhido por uma rádio popular para ser o padrinho de casamento de um fã. Ele contou que foi à cerimônia do casal sorteado, mesmo sem conhecer nenhum dos presentes no evento. Ele contou que a situação foi constrangedora, pois só conhecia o seu empresário, que tinha ido junto à promoção. No entanto, o pagodeiro diz que o casal ficou muito agradecido e que ele fez tudo de boa vontade, já que o casal ganhou prêmios valiosos para a casa e o cachê conquistado também valia o sacrifício.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.