Atriz comemora ter vivido personagens distintos na TV, fala da saída da Globo para Record e defende "Os Dez Mandamentos"

A sua primeira personagem em rede nacional foi como a protagonista de "Maysa, quando fala o coração", minissérie da Globo de 2009. Seis anos depois, Larissa Maciel ainda é lembrada pelo papel e diz que até se sentiria triste se não fosse assim.

Neste tempo ela viveu a frágil Felícia, de "Passione", ainda na Globo, a sensual Sati, em “José do Egito”, já na Record, e agora é Miriã, em "Os Dez Mandamentos". A atriz comemora a mudança de personalidades das personagens, mas lembra que enfrentou cobranças após Maysa.


Neste papo exclusivo com o iG , Larissa lembra como foi ficar um ano contratada e sem trabalhar, conta como foi a mudança da Globo para a Record, defende a atual novela bíblica da nova casa e explica como concilia a gravação intensa de uma trama com a vida de mãe.

Maysa para sempre

Larissa Maciel já tinha 11 anos de carreira quando foi convidada por Jayme Monjardim para viver Maysa. Entretanto, a experiência na carreira era no teatro e no sul do Brasil. A protagonista da minissérie foi a primeira personagem para todo o país. “Sei que as pessoas me conheceram como Maysa, caracterizada como a personagem. Tinha gente que pensava: ‘Nossa, acharam uma pessoa como a Maysa’. Mas na verdade eu me transformei, eu fiquei igual a Maysa com um trabalho muito minucioso da Globo. Eu não falo daquele jeito, não respiro daquele jeito, não olho daquele jeito. Tudo foi feito para eu ficar parecida com a Maysa”, lembra.

“E até hoje ainda comentam e eu fico bem feliz que as pessoas ainda lembrem-se dela. Eu levei um ano da minha vida voltado para isso, se ninguém lembrasse eu ficaria muito triste”, comenta Larissa.  “Não tive medo de ficar marcada, não. Eu teria medo de ficar marcada por um trabalho ruim, e eu tive um retorno muito positivo”, completa.

A Maysa é totalmente diferente da Felícia, que é diferente da Sati e muito diferente da Miriã. Sabia que tinha ferramentas para fazer personagens diferentes"

Camaleão da TV

Depois de Maysa, Larissa viveu Felícia, personagem secundária da trama de “Passione”. Aí começaram as cobranças. Mas para a atriz, a troca de perfil foi comemorada. “Muita gente também esperava que eu fizesse outro papel com uma mulher forte. Mas eu fiquei feliz quando apareceu o convite para a Felícia porque era uma mulher frágil, sem atitude, escondida na sombra da mãe e que era completamente diferente do primeiro trabalho na TV Globo. Achei bom porque já tinha feito uma protagonista muito marcante. E também por isso não tive medo de ficar marcada como atriz de um personagem só”, analisa.

Depois da Globo, Larissa soma duas personagens em tramas bíblicas da Record. Agora, ela comemora esse lado camaleão, com papeis tão diferentes.  “A Maysa é totalmente diferente da Felícia, que é diferente da Sati e muito diferente da Miriã. Sabia que tinha ferramentas para fazer personagens diferentes. Eu estudei muito e levei uma vida para me tornar atriz. Quem acompanha o meu trabalho eu tenho certeza que não vai encontrar muito de um personagem no outro e nem vai encontrar muito de mim nos personagens”, explica.

Contrato sem papel

Antes de seguir para a Record, Larissa passou um ano como contratada da Globo, mas sem trabalho. A situação a incomodava. “Isso pode parecer a profissão dos sonhos, estar contratada, recebendo e não precisar trabalhar, mas para o ator é muito difícil. Dificilmente você vira ator porque é obrigado, você vai por paixão. E é ruim porque você não pode fazer um outro trabalho porque você tem o vínculo com a emissora, mas ao mesmo não está no ar. É uma posição desconfortável”, lembra.

Era a escolha entre ficar em uma casa que não tinha um projeto, onde já havia ficado um ano sem trabalhar e não queria arriscar outro ano assim, e uma casa que queria que eu trabalhasse"

Maysa pode ter influenciado nesta “geladeira”. “Sempre tive um relacionamento muito bom lá a Globo e não sei explicar porque fiquei um ano sem trabalho. Eu fiquei solta lá dentro. Quem me levou para lá foi o Jayme e acho que dificilmente vou trabalhar com ele de novo”, comenta Larissa. O papel de Maysa pode ter sido marcante demais para o diretor e filho da cantora. “Foi muito forte para ele me ver como a personagem. Acho que para sempre ele vai olhar para mim e me ver como Maysa. Essa é a minha impressão, mas posso estar totalmente errada. Mas eu entenderia se foi isso que aconteceu. Ele é filho dela. Deve ser difícil para ele olhar para mim e me imaginar sendo uma personagem de outra novela qualquer”, explica.

Neste momento, ela recebeu uma proposta da Record que era financeiramente melhor que a da Globo e com um papel engatado, a Sati, de “José do Egito”. Sem pensar muito, mudou de emissora. “Foi uma transição tranquila. Era a escolha entre ficar em uma casa que não tinha um projeto, que já havia ficado um ano sem trabalhar e não queria arriscar outro, e uma casa que queria que eu trabalhasse”, conta.

Hoje na gravação! Porque será que elas estão assim? @novelaosdezmandamentos #NovelaOsDezMandamentos #osdezmandamentos

Uma foto publicada por Larissa Maciel (@larimaciel) em


“Os Dez Mandamentos”

Como a temática é bíblica, logo se pensa em religião, mas estamos falando da história da humanidade. A forma que a novela é feita não é pregando, é contando uma história"

Larissa vive agora Miriã, irmã de Moisés na novela “Os Dez Mandamentos”. A atriz comemora o sucesso da trama na Record e defende a obra. “É uma novela para o público em geral, não vejo como um trabalho religioso. Como a temática é bíblica, logo se pensa em religião, mas estamos falando da história da humanidade. A forma que a novela é feita não é pregando, é contando uma história. Tem toda a licença poética e dramática para transformar o que está na Bíblia em uma novela”, afirma.

O desafio em viver a Miriã é recompor um cenário tão antigo quanto a civilização egípcia. “Os dramas humanos são os mesmos desde sempre o que é totalmente diferente é a época que se passa a história. Eu entendo a Miriã, entendo os sentimento dela, e tenho onde buscar os sentimentos, mas as tarefas do dia a dia que acabam sendo as mais desafiadoras. Eu não sei triturar grão para fazer pão, não sei lavar louça com areia. Tive que, pelo menos, aprender a lidar com isso e fazer as cenas do cotidiano da novela com naturalidade”, comenta. O pior disso é que nem dá para aproveitar as novas habilidades para o dia a dia. “É tudo muito diferente hoje, só aprendi para a novela mesmo”, brinca.

Mamãe e atriz

Fora das telas, Larissa Maciel se derrete pela filha Milena, de um ano e três meses. A atriz fala que sofre por ter que se manter afastada da pequena com o ritmo intenso das gravações. A tranquilidade mesmo só ao saber que a babá de Milena é uma tia de André, marido de Larissa, que mora com eles no Rio de Janeiro. “A Milena tem três avós”, diverte-se.

Além disso, vale apelar para a tecnologia. “Graças a Deus a gente tem o celular e o whats up e eu consigo receber notícias e fotos dela o dia inteiro. Fico imaginando como era quando não tinha nem telefone”, comenta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.