Apresentador confirmou conversa com “CQC”, mas disse não ter nada certo. “Primeiro, preciso resolver com quem me paga”


Rafael Cortez está de férias da TV desde agosto, quando foi ao ar o último episódio do reality “Me leva contigo”, que apresentava na Record. Mas, mesmo sendo por apenas dois meses, o fato de estar na geladeira tem incomodado o apresentador. “Não gosto dessa cultura de marajá. Para mim, quem recebe sem trabalhar é marajá”, afirmou Rafael em entrevista ao iG. O apresentador ainda lembrou que, quando mais jovem, foi para as ruas no movimento Caras Pintadas, exatamente por ser contra essa política que fazia parte do governo da época.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias nos famosos

Rafael destacou que esse incomodo não é por ego e, sim, por não gostar de ficar parado. “Nem é por ego, por querer aparecer. Amo TV, tenho diploma de jornalismo. Quero trabalhar. A história de ganhar para ficar em casa não é comigo”.

O apresentador contou que, parte desse período na geladeira se deve a ele mesmo. “Estou na geladeira porque disse 'não' para algumas coisas. A Record não te obriga a nada”, afirmou Rafael. O apresentador contou que, algumas dessas negativas foi para o posto de repórter em programas da casa. “Estou interessado em apresentar. Vim para cá como apresentador”, contou.

Retorno para Band?

Questionado se teria problemas em retornar para a reportagem do “CQC”, ele garantiu que não tem resistência alguma em retomar seu posto anterior. “Não pensei muito nisso. O que digo é que não tenho resistências de ‘ai, ele voltou’. Adoro o projeto, a Band é uma casa muito boa, fiz o ‘CQC’ na primeira geração e ‘CQC’ nos fez. Fez de mim quem eu sou. Não teria problemas em voltar. E nem em fazer reportagens”, afirmou Rafael, destacando que ele não pensou ainda sobre um reposicionamento de imagem, pois ainda não há nada certo sobre sua volta ao “CQC”, como foi noticiado recentemente. 

Apesar de não ter nada certo, Rafael não nega a sondagem nem as conversas com a emissora. “Eu não disse nem que sim, nem que não para nada”, afirmou ele, que garantiu não ter fechado seu retorno. “Muito menos para a bancada”, contou Rafael, se referindo aos comentários de que entraria no posto ocupado hoje por Dani Calabresa .

A maior preocupação do apresentador, hoje, é resolver sua situação com a Record, com quem tem contrato até dezembro deste ano. “Preciso saber em que pé que vamos ficar, se vai renovar contrato ou não. Primeiro, tenho que resolver lá e, só depois, agilizar as conversas. Para mim, isso é mais ético. Preciso resolver com quem me paga, com quem tem fidelidade comigo”, destacou.

Rafael ainda declarou que isso deve acontecer nos próximos dias, embora garanta não estar cobrando nenhum posicionamento, pois entende a posição atual da emissora. “Entendo que tem os processos deles lá. A Record deu um gás na ‘Fazenda’, tem também as eleições, mudanças de cargos internos. Às vezes, tem que segurar a onda e não encher o saco, só porque está ansioso”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.