Colegas da peça “Tô Grávida” lamentaram o ocorrido pelas redes sociais e anunciaram cancelamento de apresentação


Recado postado pelo produtor Leo Fuchs nas redes sociais
Reprodução/Instagram
Recado postado pelo produtor Leo Fuchs nas redes sociais

Morreu neste domingo (11), o pai de Paulinho Vilhena , o economista Sérgio Atz de Vilhena Moraes . O ator estava no interior de São Paulo, aonde seguia com a turnê de sua peça “Tô Grávida”. O espetáculo, que conta com Fernanda Rodrigues no elenco, tinha passado por Vinhedo, no sábado (10), e seguia para Americana. Mas a apresentação na cidade neste domingo (11) foi cancelada. 

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias nos famosos

“Com muita tristeza comunicamos que não vamos fazer a peça hoje em Americana. Contamos com a compreensão de vocês e agradecemos todas as orações e pensamentos positivos!”, escreveu Fernanda, sem informar o motivo da morte.

Em seu Instagram, a atriz ainda reproduziu a imagem publicada mais cedo pelo produtor Leo Fuchs na rede social.

Christiane Vilhena, irmã do ator, usou seu Facebook para deixar uma homenagem emocionante ao pai. Ao final, ela informou que o velório do economista será neste domingo (11), no Cemitério do Araça, em São Paulo, à partir das 16h. "Pai, que sua poesia inspire os anjos. Vai com Deus e até um dia. Numa atmosfera que misturava realidade, fantasia e espiritualidade, ouvimos de nosso pai na UTI: 'Ah, mas vocês fizeram essa festa para mim?' Festa?, sustentamos a conversa. É, disse ele. Tem até bolinho! A gravidade do caso aliada à sensibilidade do médico responsável resultaram na remoção da Unidade de Tratamento Intensivo para que no quarto pudesse estar próximo aos seus. Começou a festa. Apesar da canseira de muitos e muitos meses na luta para se manter firme, ontem Serjão, nosso pai, estava radiante. Bem humorado e espirituoso recebeu a todos com carinho e alegria, mas sobretudo, com muita dignidade. Sabia que seu fim por aqui estava próximo, mas era apenas sorriso. Não falava sobre o que não sabia, mas também não chorava sua condição. As divagações filosóficas, espirituais, domésticas e campistas eram curtas, como seu fôlego, mas suficientes. É incrível como a morte nos livra dos excessos. O suficiente basta. Os queridos que por lá passaram ontem, representantes de tantos outros que não puderam ali estar, participaram da festa de nosso pai. A noite, decidiu que era hora de partir. Trocou o oxigênio por uma palavra mágica: mãe. E a ela recorreu para acompanhá-lo do plano em que estava. Precisava de outros ares. A seguir veio o pai... E numa corrente mágica vimos pai, mãe e filho (nosso pai) partirem para uma outra festa. ... E assim comunicamos a passagem de nosso pai Sergio Atz de Vilhena Moraes por volta das 4 horas da manhã do dia 11 de maio". 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.