Grazi Massafera, Juliana Paes e mais famosos revelam dificuldade em administrar trabalho com a rotina dos pequenos


À primeira vista, babás à disposição, motorista particular para levar os filhos à escola e permissão do chefe para receber os pequenos no ambiente de trabalho parecem regalias dos famosos para conciliar a carreira com a rotina dos filhos. É comum ver artistas serem auxiliados por funcionários para cuidar das crianças durante um evento ou em um simples passeio pela praia. Também não é difícil acompanhar pelas redes sociais das celebridades as frequentes visitas dos filhos aos estúdios de gravação e sets de filmagens. 

Curta a fanpage do iG Gente e receba notícias dos famosos

No entanto, chegando mais perto e batendo um papo com mães e pais do showbiz, é possível verificar que eles também fazem das tripas coração para administrar a carreira com a rotina dos pequenos e o dilema é igual para a maioria dos casais, famosos ou não. Numa ponta, estão grandes estrelas da TV e de Hollywood, como as atrizes Juliana Paes e Gwyneth Paltrow , que tentam lidar com o sentimento de culpa na volta ao trabalho após a maternidade. Na outra, estão pais mais desprendidos, como o ator Rodrigo Lombardi - que explica que "o papai tem que trabalhar senão a gente não come" - , e mães como a atriz Maria Fernanda Cândido , que decidiu não ter contrato fixo com a Globo para poder escolher os trabalhos que não atrapalhem a rotina doméstica.

Choro no banheiro

Afastada da TV desde o nascimento de seu segundo filho, Antônio , há sete meses, Juliana Paes volta agora em sua primeira novela das 18h, "Meu Pedacinho de Chão". "Vivo com aquele sentimento de culpa porque estou ficando muito tempo no Projac e pouco tempo com meu filho. Mas é sempre mais fácil o segundo filho com relação a tudo. Você sabe que vai sentir culpa por um tempo, mas depois consegue repor. A gente dá aquela choradinha no banheiro, mas sabe que vai conseguir equilibrar as coisas", conta Juliana.

Grazi e a filha, Sofia
AgNews
Grazi e a filha, Sofia

"Entro em crise"

Grazi Massafera , mãe de Sofia , de um ano e 10 meses, voltou ao trabalho quando a menina tinha apenas dois meses, mas ainda não se acostumou a ficar longe da filha. "Entro em crise quando fico muito tempo sem estar com ela. Daí mexo na minha agenda. Ela é minha prioridade. Se estou enlouquecida e preciso estar com ela, preciso estar com ela. É importante também que ela saiba que preciso trabalhar. Comigo, isso foi bom com a minha mãe, e é uma das coisas que eu quero repetir com ela", diz Grazi, apontando a contradição de sentimentos. "Mas não quero estar longe em dias importantes, como o primeiro dia no colégio. Não vou estar trabalhando. Não vou. No primeiro aniversário, fiquei doida porque estava trabalhando e fiz um pedido antes para não estar. Mas ok, aconteceu, não teve como. No sábado eu compensei", lembra a atriz.

Culpa

Gwyneth Paltrow , uma das atrizes mais bem pagas de Hollywood em 2013, com 25 milhões de dólares, revelou que sofreu de "culpa materna" por voltar a trabalhar após a maternidade. Mãe de Apple e Moses , do casamento com Chris Martin , do Coldplay, ela ficou bastante chateada ao levar os filhos de Londres, na Inglaterra, para acompanhá-la aos Estados Unidos quando começou a filmar a sequência de "Homem de Ferro". "Moses, na época com 1, dizia 'não quero deixar minha casa'. Então, sempre sinto culpa por isso", afirmou a atriz à revista "Wenn". "Tento dizer: 'nós vamos nadar e vai estar ensolarado'. Tento apontar o lado positivo".

Estou sempre lá, indo à escola, sempre por perto e, de repent,e começo a desaparecer por 14 horas por dia para poder filmar... é difícil para eles entender"

Gwyneth ainda acredita que seu comportamento contribui para aumentar o problema em casa. "Mal tenho feito filmes, estou com eles o tempo todo. Mas, de certa maneira, isso torna a transição ainda mais difícil. Sinto que, se tivesse trabalhado o tempo todo, eles teriam se acostumado. Mas, se estou sempre lá, sempre indo à escola, sempre por perto, e de repente começo a desaparecer por 14 horas por dia para poder filmar... é difícil para eles entender".

"Se papai não trabalhar, a gente não come"

Por causa do ritmo do trabalho, Rodrigo Lombardi é consciente de que não consegue acompanhar diariamente o crescimento do filho Rafael e que o menino, de 6 anos, entende a ausência. "É impossível. Desde quando ele começou a entender o que é trabalho, todo dia, antes de sair de casa, ele me pergunta se estou saindo para o trabalho. Eles são muito melhores do que a gente. A gente fica cheio de dedos. 'Filho, papai tem que trabalhar, porque… É…'. E ele: 'papai, você tem que trabalhar senão a gente não come, né?'. Eles entendem muito mais".

Raoni Carneiro , casado com a atriz Fernanda Rodrigues , também gosta de conversar com a filha, Luisa , 4 anos, antes de ir trabalhar. "Não saio para trabalhar com culpa porque se não sair, não vou poder dar para ela tudo que eu quero. Mas o final de semana é para ela. O almoço de domingo, o passeio de sábado", contou o ator em participação recente no programa "Encontro com Fátima Bernardes", da TV Globo. A mulher de Raoni, no entanto, têm atuado menos na televisão e, desde o nascimento da menina, fez apenas duas séries.

Sem babá e sem contrato

Numa atitude mais extrema, a atriz Maria Fernanda Cândido  preferiu diminuir o ritmo de trabalho após a maternidade.

Mãe de  Tomás , 7 anos, e Nicolás , 5, do casamento com o empresário francês Petrit Spahija , a atriz e o marido decidiram, inclusive, não ter babá para cuidar das crianças. "Ficou mais puxado, mas é totalmente possível. E as crianças ganharam com isso, porque ficaram mais autônomas".

Em 2009, Maria Fernanda deu uma diminuída no ritmo de trabalho e decidiu não manter contrato fixo com a TV Globo em 2011: "A coisa ficou apertada. Com duas crianças de idades diferentes, a logística muda. Por enquanto não quero assumir compromissos do porte de uma novela. Se você tem contrato, precisa dar um retorno para a empresa."

*Colaboraram Nina Ramos e Felipe Abílio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.