Bem-sucedida em Hollywood aos 30 anos, atriz estreia como produtora de “Latitudes”, no cinema nesta sexta-feira (28)


Alice Braga
Divulgação
Alice Braga

Ao trancar o curso de Artes do Corpo na Puc de São Paulo aos 19 anos para atuar no filme "Cidade de Deus", Alice Braga conquistou mais do que um papel de destaque no filme de Fernando Meirelles . "Eu chamo o Fernando de padrinho porque foi o primeiro diretor que acreditou em mim. Tive a sorte de fazer o 'Cidade de Deus' e o filme virar sucesso mundial. Isso me ajudou muito a abrir portas lá fora. Aí, fui dando a cara para bater e fazendo teste. Para o 'Eu Sou a Lenda', por exemplo, fiz dois testes e a coisa aconteceu", lembra.

Aos 30 anos - prestes a fazer 31 em abril -, a atriz já contracenou com figurões do cinema contemporâneo, como Matt Damon ("Elysium"), Will Smith ("Eu Sou A Lenda"), Gael Garcia Bernal e Juliane Moore ("Ensaio Sobre a Cegueira"). 

Em 11 anos de carreira, Alice contabiliza mais de vinte filmes e desponta como a artista brasileira mais requisitada em Hollywood. Em bate-papo com a reportagem do iG , ela concorda com a apresentação, mas com certa modéstia. "O Rodrigo ( Santoro ) está bem safado também. Acabou de filmar com o Will Smith, ele está superbem", observa, durante o lançamento do filme "Latitudes", que estreia no cinema do shopping center Frei Caneca, em São Paulo, nesta sexta-feira (28).  

Estreia como produtora

O longametragem é a primeira obra de ficção distribuída pela O2 Play, novo núcleo de distribuição em cinema e VOD da O2 Filmes, dirigida por Igor Kupstas . O projeto transmídia, que começou série no Youtube e no canal pago TNT antes de chegar ao cinema, também marca a estreia da atriz como produtora. "Esse projeto veio do desejo meu e do Felipe ( Braga , diretor) de fazer algo transmídia, entender como a ficção se aplica nesse mundo online e também fazer cinema e televisão ao mesmo tempo. E hoje em dia isso é muito possível por causa da internet. É um desejo de também não esperar o telefone tocar e fazer uma coisa nossa. É como um filho nascendo, uma emoção muito grande. O fato de eu ser um pouco mais conhecida ajuda, abre portas para captar recurso e contatos para tirar o projeto do papel. Espero que isso abra mais portas porque o projeto aguçou meu desejo de produzir mais coisas, não só minhas", adianta.

No exterior, quando é viagem rápida, prefiro ligar para alguém e falar:' vou ficar no seu sofá'"

Sem dinheiro

Alice circula bem à vontade pelas dependências da O2 Filmes, produtora de Fernando Meirelles e Paulo Morelli, na zona oeste da capital paulista. "Sou cria da O2, aqui me sinto em casa", explica. De sorriso fácil, ela cumprimenta todo mundo, abraça e conversa com os amigos, combina um jantar regado a vinho e logo pede uma "ajudinha com o estacionamento". "Parei o carro e só depois vi que não aceitam cartão. Só tenho uma moeda de um real na carteira. Sabe? Sou do tipo que não anda com dinheiro. Hoje em dia, até vendedor ambulante aceita cartão", diverte-se.

Sofá de amigo

O carinho que tem com os amigos da capital paulista, cidade onde a artista nasceu, não é diferente quando ela viaja. No exterior, Alice prefere a casa de conhecidos a hoteis. "É o que rola para mim. Tenho a chave da casa de um amigo e, toda vez que eu viajo, acabo ficando lá. Se estou por um projeto, fico em um apartamento que o projeto me coloca. Quando é viagem rápida, prefiro ligar para alguém e falar:' vou ficar no seu sofá'. É tão gostoso chegar num lugar diferente e estar com alguém".

Na moda

Usando sandália rasteirinha e camiseta regata, Alice esconde no visual simples a nova relação com a moda, que conquistou ao interpretar a protagonista do filme, Olivia, uma executiva de moda que se envolve com o fotógrafo José, interpretado por Daniel Oliveira . "Sempre fui uma garota mais simples, quando pintou o 'Latitudes', fui me aproximando mais da moda. A personagem me levou totalmente para dentro desse universo", explica. Para o figurino, Alice contou com a consultoria da OQVestir. "Eles entraram como parceiros ajudando com o acervo de roupa. Continuo simples, não sou de marcas, mas ao mesmo tempo gosto de uma roupa com corte bom. Essa camiseta e a saia são Alexander Wang ", mostra.

Maternidade

Outra semelhança com Olivia - a executiva viaja para três continentes na história -, é a rotina agitada. "Estou uma hora em cada lugar, mas eu amo. Pelo menos por hora, porque daqui a pouco quero ser mãe. Agora estou aproveitando o máximo que posso esse momento de ter a possibilidade de viajar", explica."Estou solteira. Por enquanto ter filho não é uma possibilidade, mas é um plano de vida. Também não tem aquela coisa de me preparar, acho que isso não existe. A gente nunca está preparado para ser mãe até ser", conclui.

No DNA: Prima de Alice, Luisa Moraes é a produtora Flavinha de 'Em Família'
TV Globo/ Divulgação
No DNA: Prima de Alice, Luisa Moraes é a produtora Flavinha de 'Em Família'

"Em Família"

A paixão pela dramaturgia é coisa de família. A filha da atriz Ana Braga e sobrinha de Sônia Braga , agora é exemplo para a prima  Luisa Moraes , que também busca seu espaço como intérprete da produtora Flavinha da novela "Em Família", da TV Globo. "A Lu é aplicada, estuda bastante atuação e já está encaminhada. Estou superfeliz por ela, superorgulhosa. Eu e ela viemos de uma família muito conectada, somos em sete primas muito unidas", explica. Sobre as dicas para a parente novata, Alice brinca. "Devo ter falado o básico: 'faça com alma e acredite, porque se você acreditar todo mundo vai acreditar. Seja verdadeira'. Mas vou mandar um email para ela agora para perguntar: 'Lu, te falei isso? Se não disse, lá vai a minha dica".

CDF

Adepta dos bloquinhos de rua no período pré-carnavalesco, Alice é como a maioria dos brasileiros: vai aproveitar o feriado para descansar . "Nos bloquinhos eu me diverto horrores, aquela coisa bem carnaval, todo mundo junto, suado na chuva, cantando.  Durante o carnaval prefiro fugir e curtir os cinco dias no interior. Principalmente porque logo mais começo a filmar novamente. Sou meio CDF, não consigo me jogar e depois trabalhar", explica, sobre o breve período para recarregar as energias antes de se debruçar no novo projeto, o filme "Magia do Mundo Quebrado", de José Eduardo Belmonte , que começa a ser rodado no dia 17 de março.



Assista ao trailer do filme "Latitudes":






    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.