Tamanho do texto

Os três juízes da Segunda Corte Distrital de Apelações da Califórnia mantiveram por unanimidade a sentença de 2011

Um tribunal da Califórnia manteve a condenação de primeira instância ao médico Conrad Murray , condenado como responsável não intencional da morte do cantor Michael Jackson , ocorrida em 2009.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba notícias dos famosos

Os três juízes da Segunda Corte Distrital de Apelações da Califórnia mantiveram por unanimidade a sentença de 2011, considerando que havia indícios suficientes e que não existiram irregularidades processuais.

Murray, de 60 anos, foi libertado em outubro de uma prisão de Los Angeles, após cumprir dois anos de pena.

O médico foi responsável por administrar a dose letal de medicamentos que matou Jackson, na época em que o astro pop se preparava para uma temporada de shows em Londres. Ele tinha 50 anos.

No julgamento em primeira instância, os promotores argumentaram que Murray agiu de forma negligente ao administrar os medicamentos, que serviam para ajudar Jackson a dormir. A defesa do médico alegou, sem sucesso, que o próprio cantor se injetou a dose letal.

Julgamento sobre espólio de Michael Jackson e seguradora

O espólio de Michael Jackson e a seguradora da temporada de shows "This Is It", para a qual o cantor se preparava na época da sua morte, fecharam um acordo judicial sobre uma apólice no valor de 17,5 milhões de dólares, segundo um advogado familiarizado com o caso.

Após três anos de litígio, o caso entre o espólio de Jackson e a seguradora Lloyd's of London deveria ir a julgamento no mês que vem.

"O espólio e a Lloyd's of London estão felizes que o assunto tenha sido resolvido", disse em nota Howard Weitzman, advogado do espólio. Os termos não foram revelados.

A seguradora havia pedido anteriormente a um tribunal de Los Angeles que anulasse a apólice, alegando que a empresa não havia sido informada que Jackson fazia uso de medicamentos fortes.

O "Rei do Pop" morreu em 2009, em Los Angeles, vítima de uma overdose do anestésico propofol. Na ocasião, ele ensaiava para a temporada de shows que faria em Londres, e com a qual pretendia relançar a carreira.

Conrad Murray
Getty Images
Conrad Murray


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.