Para Boni, executivo que durante 30 anos comandou os rumos da Rede Globo e criador do “padrão Globo de qualidade”, 2014 será riquíssimo para a televisão. "É hora de renovação"

Boni, ex-comandante geral da Globo, prevê um ano dinâmico para a TV em 2014
Divulgação/Cláudio Augusto
Boni, ex-comandante geral da Globo, prevê um ano dinâmico para a TV em 2014

2014 - a televisão entra em campo.

Com a Copa do Mundo no Brasil, o ano será de um agito sem precedentes na nossa mídia. Em especial na televisão. Do ponto de vista de polarização, televisão e Copa do Mundo serão uma coisa só. Programas, promoções e eventos vão marcar o primeiro semestre. E em junho, quem não estiver nos estádios estará fazendo reuniões em casa para transformar cada jogo do Brasil em festa. Haja coração. Salgadinhos, cervejinha, foguetório e gritaria. Mas, senhores narradores, só em casa, tá bom? Nelson Rodrigues estava certo. Na Copa do Mundo, a seleção é “a pátria de chuteiras”, mas não precisamos exagerar. Não gritem com a gente. Somos inocentes.

Além do mais, como gritar não vai transformar um gol em dois, a prática é inútil.

Útil é a movimentação que Copa do Mundo traz para o mercado abrindo centenas de oportunidades de negócios. Uma delas, do ponto de vista da televisão, é a alavancagem da venda de aparelhos de TV HD – de alta definição. Como o apagão do sistema de televisão analógico foi antecipado pelo governo, na maioria das cidades , para 2015, a contribuição da Copa do Mundo para o aumento de televisores digitais nos lares brasileiros é importantíssima.

É hora de renovação. Momento que as emissoras de televisão devem aproveitar para rever seus posicionamentos e a grade de programação. Eu estou cheio de esperanças. Para a Globo, em particular, eu vejo um momento único. Sinto renascer o espírito de corpo e o profissionalismo que reinou na Globo por tanto tempo.

A Copa no Brasil vai possibilitar um desvio histórico no foco da programação e, quando a fartura de futebol acabar, estou convicto de que o segundo semestre trará uma televisão nova e revigorada. É minha aposta para o próximo ano. A televisão brasileira tem, no exterior, uma reputação tão grande quanto a do nosso futebol. Vamos torcer pelos dois, lembrando que a Copa passa, mas a televisão permanece no nosso dia a dia, na nossa vida, na nossa cultura. 2014, ano da Copa do Mundo. Ano da televisão brasileira.

*José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, é empresário, publicitário e foi diretor-geral da Globo até 1997


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.