Ator se inspirou em nota de 50 dólares para a mudança no visual que compôs para a minissérie "Amores Roubados", mas não vê a hora de raspar os pelos

Murilo Benício exibe a barba que está dando tanto trabalho:
Felipe Assumpção e Felipe Panfili/AgNews
Murilo Benício exibe a barba que está dando tanto trabalho: "Estou doido para tirar"

Para Murilo Benício , já deu o tempo de brincar de barbudo. O ator, que mudou o visual para compor o personagem da minissérie "Amores Roubados" , que estreia em janeiro na Globo, falou com o iG sobre os cuidados com os pelos durante apresentação da série à imprensa, na noite de quinta-feira (28), no Rio.

"É um saco. Tem que lavar, secar, passar xampu. Estou doido para tirar", disse. A ideia de deixar a barba crescer, segundo ele, pintou em uma das idas para Nova York. "Eu não sabia como iria fazer o papel e vi essa barba na nota de 50 dólares. Achei que era uma barba poderosa, de quem manda. Eu falei com o Zé (José Luiz Villamarim) e ele topou", falou.

Sempre muito reservado, o ator garantiu que a namorada, Débora Falabella , aprovou a mudança. "Ela só acompanhou o sofrimento no começo. Ela gosta, claro. É um ator que está buscando, que ainda está em plena atividade. Quando você está buscando coisas, quer fazer diferente, é porque você ainda está na ativa, está querendo fazer alguma coisa nova", afirmou.

Nova York, inclusive, é o destino de maior frequência do casal, que começou o namoro nos bastidores de "Avenida Brasil" . “A gente vai muito para lá. Pega três dias, quatro, vai para lá, vê o que a gente quer ver e volta. A gente sempre descansa trabalhando, né? Vendo coisa, assistindo, trabalhando…", contou.

Sobre a minissérie, Jaime, personagem de Murilo, vai, mais uma vez, ser traído. Mas calma, não tem nada de Tufão na história. "Se é bom, se é rico, eu faço 500 vezes o traído. Para mim, é chato fazer o mocinho e bobo. Eu prefiro ser o traído, porque você tem 500 milhões de coisas para trabalhar. O Jaime é traído de uma forma completamente diferente. Tufão e Jaime não tem nada a ver uma coisa com a outra."

E se "Amores Roubados" vai ou não ser um sucesso, isso são outros 500. O lance é que a satisfação pessoal é tão grande que agora o ator só pensa em comemorar por fazer parte do projeto.

"É um processo muito especial. A gente teve uma forma muito diferente de trabalhar, de ensaiar. As viagens, que sempre aproximam as pessoas, o modo como a câmera foi trabalhada. A mistura dos atores de Rede Globo, que fazem TV, com os que não fazem muito TV é um dos grandes achados da minissérie. Da mesma forma que eles nos inspiraram, nós os inspiramos também, eu tenho certeza. E a gente teve uma flexibilidade muito grande de trabalhar, propor. Sempre quem ganhava era a ideia boa. Era uma coisa muito artesanal, aberta. É muito impactante, interessante e eu fiquei muito feliz em fazer."

Veja fotos da apresentação da minissérie no Rio: 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.