Tribunal de Costa Rica decidiu que os dois guarda-costas são culpados pela tentativa de homicídio a dois paparazzi em 2009, no dia do casamento da modelo

Gisele Bündchen e o marido Tom Brady
Getty Images
Gisele Bündchen e o marido Tom Brady

Nessa sexta-feira (15), um tribunal de Costa Rica condenou dois seguranças de Gisele Bündchen a cinco anos de prisão. Os profissionais contratados pela modelo e pelo marido, Tom Brady , foram considerados culpados das acusações de tentativa de homicídio contra dois fotógrafos que tentavam fazer imagens do casamento deles em 2009. Os guarda-costas trabalham para uma empresa especializada em segurança, que foi contratada pelo casal que fez a cerimônia no litoral do Oceano Pacífico. 

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba notícias dos famosos

De acordo com o tribunal de Puntarenas, os dois seguranças são culpados por tentativa de homicídio por terem efetuado os disparos, mesmo sem ter ferido os profissionais.

Os fotógrafos Yuri Cortez   e Rolando Avilés   alegam que faziam fotos à distância do casamento de Gisele e Brady e dizem ainda que nunca entraram na casa dos dois. Os paparazzi também relatam que os seguranças os abordaram no meio da rua e exigiram a devolução do material. Os dois se recusaram a entregar as câmeras fotográficas e após discussão pegaram o carro e foram embora, mas os seguranças atiraram quando eles já estavam a uma certa distância. O tiro quebrou o vidro traseiro.

Yuri e Ronaldo entraram com uma ação contra Gisele e o marido por negligência na contratação da equipe, mas a Justiça encerrou o caso. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.