Diretor do evento fez um rápido balanço sobre o primeiro dia de desfiles no Píer Mauá

AgNews
"Cidades que estão recebendo grandes eventos estão passando por transformações", diz Paulo Borges

Muito se falou sobre a confusão que poderia se tornar esta edição do Fashion Rio. No olho do furacão estava Paulo Borges , diretor do evento, que decidiu manter a semana de moda carioca no Píer Mauá mesmo com o fechamento da Perimetral, via localizada no acesso aos armazéns, e com as obras do Porto Maravilha.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias

Para completar, nessa quarta-feira (6), primeiro dia de desfiles, a chuva dominou a Cidade Maravilhosa e o trânsito deu um nó desde cedo. A reportagem do iG   confessa: partiu para a saga Fashion Rio com um pressentimento negativo. Mas, impressionantemente, falando sobre trânsito, o esquema da Prefeitura funcionou e o tráfego não apresentava maiores problemas nos arredores da entrada do Píer. Nos corredores, conversamos com Paulo e pedimos um balanço sobre o primeiro dia.

"A última edição foi na Marina da Glória por alterações de datas. Todo mundo já sabia que o Rio de Janeiro estaria passando por um processo de transformação. E transformação se dá na vida real, está acontecendo para o bem, para o Rio de Janeiro, e todo mundo tem que conviver com isso. E coisas acontecem, como a chuva. Sobre o trânsito, as pessoas acharam que seria pior e estava tudo bem aqui perto do Píer. O trânsito estava ruim em Copacabana, em Ipanema, mas do Aterro do Flamengo para cá estava ótimo. Se você pegar todas as cidades que estão recebendo grandes eventos, todas estão passando por transformações. O Rio ainda mais, porque é para a Copa e para as Olimpíadas. É natural que aconteçam transtornos para o bem", disse.

LEIA TAMBÉM: "Troco qualquer fortuna por amor", diz Antônia Fontenelle

Luciano Szafir se prepara para chegada do novo herdeiro, David

Ainda falando em organização, se o trânsito deu uma trégua, o shuttle alugado para os credenciados precisa de adaptação. "Nem a gente sabe de organização, senhora", disse um dos motoristas, ao ser questionado sobre o embarque para retornar à Cinelândia, ponto de encontro da turma. "É porque hoje é o primeiro dia. Amanhã já vai funcionar melhor", completou o segurança da segunda van.

Sim, é preciso fazer baldeação para chegar ao bafafá do evento. No acordo da organização com a Prefeitura, ficou proibido o desembarque de passageiros na Avenida Rodrigues Alves. O jeito foi abrir a entrada principal do Píer e colocar, internamente, vans para a locomoção dos jornalistas e convidados (cerca de 300 metros de distância). "Agora pegamos a tirolesa, depois a barca...", brincou uma jornalista ao chegar no destino final.

Mais moda e menos fila A

Paulo ainda comentou sobre a fama do Fashion Rio ser um evento muito voltado para celebridades do que para o mercado da moda. O diretor comentou uma nota publicada no jornal "O Globo" e garantiu que o Fashion Rio abre caminhos no calendário do segmento no país.

"O Rio tem muito essa característica, de famosos nos desfiles. Hoje, aliás, tinha um monte de atriz, o que não condiz com a nota do jornal. O que eu li é que as pessoas (as grifes) estavam preferindo investir mais em modelos e desfile e não em gente contratada. Hoje, ficou provado que as pessoas não aparecem aqui só contratadas, as pessoas aparecem porque gostam do evento e gostam de moda. O Fashion Rio é sim uma plataforma de moda para o negócio da moda", afirmou.

Confira fotos dos famosos na noite dessa quarta-feira (6) no Fashion Rio:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.