Apresentador quer preencher a lacuna deixada por Rodrigo Faro; projeto é jovem e popular, garantiu o artista


O posto deixado por Rodrigo Faro nos sábados da Record tem movimentado apresentadores contratados da casa. Rafael Cortez , que assinou com a emissora em dezembro de 2012 para comandar o “Got Talent Brasil” no início deste ano, é um deles. O ex-repórter do ‘CQC’ garantiu que participa de um estudo do canal para definir o perfil perfeito para o dia.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias dos famosos

O iG   conversou com Cortez os bastidores de “Nova Família Trapo”, especial de fim de ano que traz o apresentador como ator no papel de protagonista, Quintino. “O meu namoro com a Record é um namoro de outras pessoas também. Eu estou em uma concorrência para apresentar o sábado na lacuna deixada pelo Rodrigo. Não estou dizendo que sou eu que vou fazer. Eu estou fazendo a minha parte e reitero que é isso que eu quero fazer. É um projeto jovem, popular, bacana, com linguagem descolada, que exige que eu seja mais eu mesmo do que fui no ‘Got Talent’, que era um programa com um formato internacional. Ali, eu segui um modelo e acho que fui até mais ator do que em outros momentos”, revelou.

Ator emprestado

O projeto que deve ter início em 2014 não é idealizado por Cortez, mas como seu contrato (já renovado uma vez) vai até o final do próximo ano, há grandes chances de o rapaz vencer essa disputa interna. Só para aquecer ainda mais sua cabeça, Cortez precisa pensar na possibilidade de existir uma temporada prolongada de “Nova Família Trapo”. Sobre assumir a faceta de ator, Cortez foi incisivo. “Eu vim para a Record para ser um apresentador da emissora, e é o que eu ainda quero fazer. Eu estou emprestrado agora para a dramaturgia para um especial de fim de ano, mas o meu foco na Record é apresentar projetos. Eu quero fazer isso em 2014”, contou. “Agora, eu não estou fechado para oportunidades. Eu sou um cara que sempre tem uma diretriz, mas sou esperto o suficiente para pegar carona nas coisas que me aparecem. Se a ‘Nova Família Trapo’ der certo, é legal para mim e bacana para todo mundo, por que não fazer? Só não farei se eu sentir que não dou conta do recado, porque não quero passar vergonha”, disse.

"CQC"

No papo, Cortez relembrou sua saída do “CQC”, onde estava em uma confortável posição, para assumir a adaptação brasileira do reality show de Simon Cowell. “Sair do ‘CQC’ eu já sairia. Eu já sinalizava para a Band desde o começo de 2012. Eu sempre disse que faria ali a política JK. Eu vivi 50 anos de experiências incríveis em cinco anos e sempre falei que não ficaria mais do que isso. Eu imaginei que sairia do ‘CQC’ para ficar na Band, mas tudo que eles queriam me dar tinha a condição de permanecer no ‘CQC’, e eu não queria. Daí a Record veio nessa época e me fez a proposta do ‘Got Talent’. Eu vim desapegado”, contou.

Críticas

Sobre as críticas negativas e baixa audiência do show de talentos, Cortez garantiu que, para ele, o formato brasileiro funcionou muito bem. “Eu não acho que o ‘Got Talent’ não deu certo. Eu acho que foi muito bom e deu muito certo para mim. Ele mostrou um Rafael que eu mesmo não conhecia, que nasceu por causa do programa, que é o Rafael apresentador. Agora, esses questionamentos e críticas é tudo relativo. Vai falar da audiência baixa? A gente sabe como é medido o Ibope… É uma referência que se tem na Grande São Paulo. No Rio de Janeiro foi super assistido, teve uma viralização espontânea de internet, e foi um programa bom sim. Mas é um formato internacional que depende de outros fatores que nem a própria emissora pode responder. Por isso, eu acho vitorioso o processo do ‘Got Talent Brasil’. Eu faria uma segunda edição amarradão se tiver e tenho o maior orgulho da atração”, contou.

Rafael Cortez
AgNews
Rafael Cortez



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.