Há quatro anos, a ex-modelo brasileira de 29 anos desponta no cinema americano ao lado de grandes atores e diz que abriu sozinha as portas de Hollywood. "Várias vezes pensei em mandar minhas fotos e vídeos para a casa do Clint Eastwood, mas nem precisei"


A atriz brasileira Rebecca da Costa já atuou em sete filmes com grandes atores como Robert De Niro e Val Kilmer
Morgan Chapman
A atriz brasileira Rebecca da Costa já atuou em sete filmes com grandes atores como Robert De Niro e Val Kilmer

Há quatro anos nos Estados Unidos e com sete filmes no currículo, a pernambucana  Rebecca da Costa já atuou com  Robert De Niro , John Cusack , Val Kilmer e Andie McDowell . "Tenho consciência de que já conquistei o que muitos em Los Angeles não conseguiram em dez anos. Mas acho também que a gente cria nossas oportunidades e é preciso estar preparado quando o momento chega. Estudei muito, estou sempre 100% focada", conta a atriz ao iG .

Persistente desde a adolescência, ela deixou a casa dos pais no Recife para ser modelo em São Paulo. "Trabalho desde os 14 anos, morando sozinha e ganhando meu dinheiro", explica, admitindo ter enfrentado dificuldades no início. "Muitas vezes, não tinha absolutamente nada. Acordava de madrugada chorando por não ter como pagar as minhas contas", lembra ela que deslanchou na carreira internacional pouco tempo depois e trabalhou para grandes marcas como Yves Saint Laurent, Moschino, Giorgio Armani e Missoni. "Até que desisti de tudo em 2008, liguei para os meus pais e disse: 'Estou indo para Los Angeles. Quero ser atriz'. Muitos disseram que eu era louca, falaram: 'mais uma tentando ser atriz.'"

Até que desisti de tudo em 2008, liguei para os meus pais e disse: 'Estou indo para Los Angeles. Quero ser atriz'. Muitos disseram que eu era louca, falaram: 'Mais uma tentando ser atriz'"

Assim que chegou nos Estados Unidos, Rebecca estudou no HB Studio NY de Uta Hagen , reconhecido por formar atores como Whoopi Goldberg . "A primeira dificuldade foi o inglês. É difícil atuar interpretando uma língua que não é a sua", conta ela, que contratou Jessica Drake , a mesma professora de Penelope Cruz , para melhorar a fluência. O début na TV aconteceu em 2009, em um episódio da série “Entourage”, do canal HBO. No ano seguinte, a brasileira entrou para a indústria cinematográfica de Hollywood com um papel no filme "Trick of the Witch", dirigido por Chris Morrissey . Em 2011, estrelou outros dois longas: “L.A. I Hate You” e “Freerunner”. "Meu primeiro papel foi em um filme pequeno. Quando você começa a trabalhar, por menor que seja o trabalho, tudo flui. Aí, peguei o segundo filme e no terceiro já era protagonista."

Improviso com Val Kilmer

Em 2012, a brasileira interpretou Courtney no thriller “Sete Almas”, co-estrelando ao lado de Val Kilmer e Ving Rhame . "O Val Kilmer é muito tranquilo. Na nossa primeira cena juntos, eu estava muito nervosa, era muito fã dele quando criança e os músculos do meu rosto tremiam. Pensei: 'Não vou conseguir'. Esqueci o texto E me deu um branco total. De repente, ele começou a improvisar e eu também. O diretor cortou a cena e disse: 'Incrível. Está perfeito'". conta. 

O Robert De Niro é o mais bem preparado, o John Cusack gosta mais de improvisar, mudar tudo na hora da filmagem. É aterrorizante, mas um ótimo exercício e me puxa da zona de conforto"


Em cena com Robert De Niro e John Cusack

Convidada para atuar com Robert De Niro e John Cusack no filme “Motel”, que tem estreia prevista para fevereiro de 2014, Rebecca chegou a treinar seu inglês mais de seis horas por dia para interpretar Rivka, uma femme fatale misteriosa que se envolve em uma história de crime e suspense. "O De Niro é o mais bem preparado, o John gosta mais de improvisar, mudar tudo na hora da filmagem. É aterrorizante, mas um ótimo exercício e me puxa da zona de conforto", analisa. "O John fica vivendo aquele personagem. Se o personagem é um matador de aluguel, ele vai encarnando aquilo, falando de um jeito diferente. Ele estuda a fundo, até me trouxe um livro de mitologia grega sobre a história do gato e falou: 'Leia porque tem tudo a ver com sua personagem'. Eram centenas de página para ler em uma semana", diverte-se

Os produtores mandaram um jatinho para irmos para Nova York filmar. Aí, o De Niro falou: 'Rebecca, você se importa se dermos uma carona para o Bradley (Cooper) e o Leonardo Di Caprio?'. Fiquei tensa"

Noite com Bradley Cooper

Depois das filmagens de "Motel", Rebecca diz ter ficado amiga de De Niro. "Um dia, ele me convidou para ir a uma festa e tínhamos que gravar cenas extras no dia seguinte. Os produtores mandaram um jatinho para irmos para Nova York filmar. Aí, o De Niro falou: 'Rebecca, você se importa se dermos uma carona para o Bradley (Cooper) e o Leonardo Di Caprio ?'. Fiquei tensa. Cheguei no avião e o Bradley já estava lá, deitado. Era uma hora da manhã e ele puxou assunto, foi muito querido. Ele é muito lindo", contou ela, lamentando a ausência de Di Caprio. "Na última hora, ele não quis ir". A vida em Los Angeles, emenda ela, é animada. "Festa sempre rola. Já fui a uma na casa do Steven Tyler . Você encontra as celebridades o tempo todo, no supermercado, em todo lugar. Mas é difícil manter uma amizade profunda porque todos estão sempre trabalhando, ocupados."

Preconceito


Em breve, a atriz também poderá ser vista no cinema no papel principal de “Breaking at the Edge”, ao lado de Andie McDowell e Milo Ventimiglia . A brasileira interpreta Bianca Wood, uma grávida que sofre de transtorno bipolar e devido as suas alucinações a vida de seu filho corre perigo. Apesar de ouvir falar no preconceito contra artistas latinos nos Estados Unidos, Rebecca não reclama. "Aqui, eles precisam de atores latinos porque a bilheteria dos cinemas é feita de muitos estrangeiros. A bilheteria internacional também supera a americana. Além disso, o Brasil está em alta. Todos adoram a nossa cultura e a nossa música e nunca fui maltratada", afirma.


Apesar de conhecer as dificuldades para chegar a Hollywood, Rebecca diz que abriu sozinha as próprias portas em terras americanas. "Sinceramente, não tive ninguém que me guiasse, que me apadrinhasse por aqui. Várias vezes eu pensei em mandar minhas fotos e vídeos para a casa do Clint Eastwood , mas nem precisei."

Rebecca da Costa no tapete: 'Eu mesma faço meu cabelo e maquiagem'
Reprodução
Rebecca da Costa no tapete: 'Eu mesma faço meu cabelo e maquiagem'

Tenho uma vida estável, ajudei minha mãe no Brasil, fiz meu dinheiro como modelo, mas a carreira de atriz paga melhor. Não sou a Angelina Jolie ainda, mas eu chego lá"

Vida simples em Hollywood

Solteira, ela atualmente divide o apartamento de Los Angeles com o irmão, Diego da Costa , lutador de jiu-jitsu, e admite viver uma vida simples, sem os luxos das celebridades vizinhas. "Limpo a casa toda e faço minha própria maquiagem e meu cabelo de 'red capert'. Eu também cozinho todo dia a nossa comida brasileira: feijão, arroz", conta, revelando como mantém os 58kg bem distribuídos em 1,80m. "Eu como muito. Esse é o segredo: comer nas horas certas", garante. "Tenho uma vida estável, ajudei minha mãe no Brasil, fiz meu dinheiro como modelo, mas a carreira de atriz paga melhor. Não sou a Angelina Jolie ainda, mas eu chego lá", brinca ela, que também investe em outras áreas. "Estou indo bem, graças a Deus. Mas tenho muitos planos. Sou uma aventureira. Agora, por exemplo, estou criando meus próprios cremes de beleza. A minha cozinha está uma loucura, tem aloe (vera) em todos os cantos", conta. 

Os próximos planos de Rebecca incluem atuar no país onde nasceu. "Adoraria fazer cinema no Brasil. Sou fã do Walter Salles e admiro muito a Fernanda Montenegro . Também gostaria muito de fazer TV. A qualidade da televisão brasileira é reconhecida internacionalmente e não tem nada melhor do que atuar na sua língua."





    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.