Atriz, sempre muito clean no visual, precisa encarar o batom vermelho e o salto alto para viver Silvia, em "Joia Rara"


É só colocar o salto alto, passar o batom vermelho, caprichar no olhar e na pose para Nathalia Dill deixar a doçura no camarim. Assim que a atriz termina a caracterização para “Joia Rara”, é a personagem Silvia quem assume o ambiente. Sempre muito clean na TV e na vida, esta é a primeira vez que a atriz tem uma maquiagem forte em cena. E ela está adorando a mudança.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias dos famosos

“Sem a maquiagem não dá. Isso é 50% do meu trabalho. Eu considero como um terceiro elemento: é cabelo, figurino e maquiagem. E faz uma puta diferença ter um batom vermelho, já vem uma outra coisa, uma energia diferente”, disse Nathalia para o iG Gente durante a coletiva de imprensa da nova novela das 18h da Globo.

Silvia é a vilã da trama e tem como objetivo na vida vingar o pai. Para isso, ela fará o possível e o impossível para acabar com Ernest, personagem de José de Abreu , o responsável por todo sofrimento do seu pai. “Você pode encarar ela de duas formas: ou como uma pessoa extremamente amorosa ou extremamente fria. Acho que ela é um pouco dos dois. É por esse amor pelo pai que ela se torna fria”, afirmou.

Nathalia se mostrou extremamente encantada pelo universo misterioso de Silvia: “É muito incrível. É um personagem muito forte, que tem muitos desenhos. O que acho muito bacana é que ela joga com todo mundo. Ela não é verdadeira com ninguém, só quando ela está sozinha no quarto. Com cada um ela cria um personagem que ela acha que se adapta melhor. Até com o Manfred ( Carmo Dalla Vecchia ), que é o parceiro dela. Ele é um parceiro de acaso. Os dois têm o rabo preso. É uma troca de interesses”.

De férias desde “Avenida Brasil”, Nathalia precisou igualar o tom do cabelo para um loiro acobreado e garantiu que aprovou a mudança. “Eu amei o cabelo. Trama de época não pode ter reflexo e nem luzes, por isso que a gente chapou tudo de uma cor só”, explicou. O novo look ajuda na concepção da vilã. Ela faz um jogo de sedução, constrói um personagem para cada pessoa com quem se relaciona e conquista pelo glamour e pelo mistério. E a cara de mocinha de Nathalia, como fica? A diretora Amora Mautner e o talento da jovem resolvem isso em um minuto.

“Quando comecei na TV com a Débora em ‘Malhação’, as pessoas falavam que eu era uma menina chata, patricinha… Diziam que eu nunca conseguira fazer uma mocinha. E daí, quando eu fiz uma mocinha, as pessoas comentavam que eu tinha muito cara de mocinha, mas que não dava para ser vilã [risos]. Eu acho engraçado. Na verdade, a gente acaba meio que dizendo o que as pessoas vão achar. A cada coisa que você propõe, as pessoas compram se for feito com verdade”, comentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.