Vendedora se recusou a mostrar uma bolsa para uma das mulheres mais ricas e mais poderosas do mundo, por achar que ela não poderia comprar

Oprah Winfrey afirmou ter sido vítima de racismo em uma loja de luxo em Zurique, na Suíça, onde estava no início do mês passado para acompanhar o casamento de Tina Turner com Erwin Bach

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias dos famosos

"Estava em Zurique outro dia, em uma loja cujo nome me recuso dizer. Não estava com os meus cílios, mas estava vestida como a Oprah Winfrey. Estava com a minha saia Donna Karan e com minhas sandálias. Mas, com certeza, "The Oprah Winfrey Show" não é exibido em Zurique", falou a apresentadora ao "Entertainment Tonight". "Entrei na loja e falei para a moça: 'com licença, posso ver aquela bolsa bem acima da sua cabeça?' e ela me disse: 'não, é muito caro'", completou Oprah, que queria comprar uma bolsa "Jennifer", desenhada por Tom Ford e batizada em homenagem à atriz Jennifer Aniston.

Ainda de acordo com a apresentadora, a vendedora chegou a sugerir uma outra bolsa "mais em conta", dando a entender que ela não poderia pagar. "Deixei a loja, mas isso prova que o racismo ainda é um problema."

VEJA TAMBÉM:  As bolsas mais caras do mundo

Trudie Gotz, dona da rede de luxo Trois Pommes, disse que tudo não passou de um mal-entendido entre a vendedora e uma das mulheres mais ricas e poderosas do mundo. "Minha vendedora é muito gentil. Ela apenas explicou que a bolsa era muito cara e que poderia mostrar modelos mais baratos", comentou a dona. "Acredito que o inglês dela (vendedora) não seja tão bom quanto o da Oprah", amenizou.

A dona da loja ainda negou negou a discriminação contra Oprah. "Esse é um desentendimento totalmente clássico. É claro que não é este o caso [racismo]. Quem não iria querer vender uma bolsa de 35.000 francos (R$ 87,5 mil)?", falou ela à Reuters.

Oprah, de 59 anos, que dirige sua própria emissora de televisão, ganhou 77 milhões de dólares de junho de 2012 a junho de 2013, cimentando o primeiro lugar na lista da Forbes no mês passado, a quinta vez que ela liderou o ranking de 100 celebridades.

Trudie Gotz, dona da rede de luxo Trois Pommes, amenizou as acusações de racismo
Reprodução
Trudie Gotz, dona da rede de luxo Trois Pommes, amenizou as acusações de racismo

*Com informações da agência de notícias Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.