Segundo o site "TMZ", documentos do processo trazem declaração de empregada do cantor que teria flagrado o patrão tomando banho com Wade Robson quando ele tinha oito ou nove anos. Advogado que defende espólio do astro diz que acusações são mentirosas

Quase quatro anos após sua morte, Michael Jackson está envolvido em mais um caso de abuso sexual. Wade Robson , de 30 anos, coreógrafo que já trabalhou com Britney Spears , Usher e Pink , diz que foi molestado pelo cantor durante a infância, informou o site "TMZ" nesta quarta-feira (8). 

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias dos famosos

Segundo o veículo, Wade se tornou amigo íntimo de Michael aos sete anos e costumava dormir nas propriedades do astro, inclusive no rancho Neverland, na Califórnia. Os dois teriam continuado próximos até o garoto completar 14 anos.

Em 2005, o coreógrafo testemunhou no julgamento de Michael e negou que tivesse sido molestado. Agora, de acordo com o site, ele pediu que uma queixa fosse anexada ao processo, alegando abuso. 

Um outro trecho do processo traria uma declaração de Blanca Francia , empregada do cantor, afirmando ter flagrado o patrão tomando banho com Wade quando ele tinha oito ou nove anos.

Ao "TMZ",  Howard Weitzman , advogado que cuida do espólio de Michael, disse que as acusações são falsas. "As alegações de Wade são ultrajantes e patéticas. É a palavra de um jovem que já declarou inúmeras vezes nos últimos 20 anos, sob juramento e em entrevistas, que Michael nunca fez nada inapropriado com ele", afirmou ele. 

Fontes ligadas ao caso contaram ao site que Wade Robson está dizendo que sofreu de "memória reprimida"  e por isso não prestou queixa contra Michael durante o julgamento em 2005. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.