Apresentadora diz não saber sobre seu futuro na emissora, onde tem contrato até o fim do primeiro semestre

Nesta terça-feira (07), Adriane Galisteu apresentou à imprensa seu novo projeto, “Paixões Perigosas”, programa que irá ao ar no canal a cabo Investigação Discovery (ID). Ela fará a narração e apresentação de casos reais de amor que terminaram em tragédias.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias dos famosos

Enquanto na TV fechada a apresentadora tem contrato certo e até data definida de estreia, 24 de maio, na Band seu futuro é indefinido. Mesmo a possibilidade de renovação do contrato, que termina em um mês, não foi discutida. “Vou gravar esta semana toda lá. Espero que alguém converse comigo, se não, vou bater na porta do meu chefe para saber o que vai ser de mim.”

Para complicar sua situação, Galisteu já gravou diversos episódios do reality show “Quem quer casar com meu filho”, que tinha previsão para estrear no começo do ano, mas que até agora também segue indefinido. “Provavelmente começará em agosto. Com o programa no ar, algo deve ser conversado para que eu continue na emissora, pelo menos por um tempo”, aposta.

"FOI UMA FASE MUITO PUNK"

Adriane deixa claro que deseja renovar com a casa, mas que não voltaria a fazer programas como o extinto “Muito +”, em que falava da vida de outras celebridades. “Foi uma fase muito punk. Eu sempre fui contra as pessoas julgarem os outros, os artistas, e me via em uma situação em que estava no meio disso. Se fizerem uma proposta como esta, eu agradeço, mas não faço novamente.”

Muito se falou recentemente que Galisteu poderia voltar para o SBT, graças a seu potencial comercial - ela é uma das campeãs de vendas da marca Jequiti (linha de cosméticos do Grupo Silvio Santos). Sobre essa possibilidade, ela desconversa: “Não recebi nenhuma proposta, não conversamos nada. Mas tenho um carinho especial pelas pessoas de lá, pela emissora”.

CRIMES PASSIONAIS

A apresentação de “Paixões Perigosas” destaca logo de início os temas que serão abordados no programa: “traições, triângulos amorosos, romances tórridos e clandestinos”. Ao ser questionada sobre se identificava-se com os assuntos, Galisteu não hesitou em responder. “Minha vida foi sempre muito aberta. Essas situações poderiam ser parte da minha vida, se não fosse pelo fato de terminar em tragédias”, diz a apresentadora, que confessa já ter traído e ter sido traída, e que em ambos os casos não houve perdão.

Sobre a possibilidade de um homem ideal - em um relacionamento aparentemente perfeito, como o que ela vive com o marido, Alexandre Iódice - eventualmente se tornar um lobo, Galisteu não descarta a hipótese. “Acho que tudo pode acontecer. Um dia desses, depois de ter gravado um dos episódios, cheguei em casa e perguntei para o meu marido se ele era capaz de matar alguém por amor”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.