Ator participa de coletiva de imprensa do longa “Crô”, inspirado no seu personagem em “Fina Estampa”, e conta porque ele caiu nas graças do público. “Era de verdade”, afirma

Em breve os fãs de Crodoaldo Valério, vivido por Marcelo Serrado em “Fina Estampa”, vão poder matar a saudade do personagem. Isso porque começam nesta terça-feira (7) as filmagens do longa “Crô”, dirigido por Bruno Barreto , que tem previsão de estreia no final de novembro deste ano. “Depois de um ano e meio, foi uma surpresa quando soube do projeto. Mas o Crô caiu no gosto do público, as pessoas pediam por esse filme e revivê-lo será bem engraçado”, disse o ator, durante uma coletiva de imprensa realizada na manhã desta segunda-feira (6), em São Paulo.

Siga o iG Gente no Twitter e acompanhe todas as notícias sobre sua estrela favorita

Para Serrado, o seu personagem ganhou tamanha popularidade por ser verdadeiro, além do lado cômico. “Tem viado em tudo quanto é novela (risos), o Crô deu certo porque ele era de verdade, tinha sentimento, alma. Nem eu, nem o Aguinaldo Silva (autor) imaginávamos que ele teria essa vida. O Crô agradou as crianças porque tinha um quê de desenho animado. Foi tema de escola de samba, vai virar livro, boneco, fico até assustado".

O ator brincou ao comentar que acabou pegando alguns trejeitos do mordomo após interpretá-lo na novela. “Tive que fazer boxe depois. Porque a mão fica meio mole”, contou, entre risos.

Partipação de Ivete Sangalo

Serrado ainda falou sobre a participação de Gaby Amarantos , Ana Maria Braga e Ivete Sangalo , que fará o papel de sua mãe, no longa. “Percebi com elas que todas as divas têm o seu Crô (risos). Não sabia disso e achei engraçado. Mas a Ivete é incrível, superdisponível, quer fazer muito bem esse filme. É bacana, porque ela queria fazer uma personagem que fosse bem diferente dela. E a Ana Maria Braga também foi incrível, fez um improviso com a gente que virou uma cena”, comentou.

Sem beijo gay

Segundo o diretor do filme, Bruno Barreto, não haverá beijo gay em “Crô”, apesar do personagem ter um namorado. “Não é necessário, não faz parte da história”, explicou. Serrado completou deixando claro que, apesar disso, o filme não tem intenção de ser politicamente correto. “Mas acreditamos que os pais levarão os filhos para assistir, pois é divertido”.

Pai de gêmeos

Serrado está tendo que se desdobrar para conciliar o trabalho – fora “Crô”, ele está em cartaz em São Paulo com a peça “Rain Man” e o stand up comedy “Tudo É Tudo e Nada É Nada" – com os cuidados com os filhos, Felipe e Guilherme , que completam um mês no próximo dia 9, de seu casamento com Roberta Fernanda . “Eu não sei mas quem eu sou, porque minha vida está uma loucura (risos)”, declarou. "Mas a falta maior é ficar longe dos meus filhos, que acabaram de nascer. Minha vida está toda em São Paulo, mas vira e mexe vou vê-los no Rio. E são só quatro semanas de filmagem, vai ser rápido. Sempre fico triste em deixá-los, mas é o trabalho do pai, faz parte, eles têm que aprender a lidar com isso. Eles são supertranquilos, dormem a noite toda e a mãe é muito presente. Ser pai é muito prazeroso", finalizou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.