Ator estreia a comédia, "Vai que Dá Certo", nega que Guta Stresser seja motivo de brigas de "A Grande Família" por embriagues, e conta os motivos que o levou a seu primeiro musical, "O Mágico de Oz"

Lúcio Mauro Filho interpreta Danilo, único trabalhador de um grupo de amigos desempregados e frustrados com o mercado de trabalho no filme, “Vai que Dá Tudo Certo”. Estável na vida, não o impede de planejar - e a executar - a maior loucura de sua vida. “Meu personagem também não está satisfeito com o emprego porque é um sonhador meio louco e tem o plano de roubar a própria transportadora onde trabalha”, disse ele na pré-estreia do longa, na noite desta segunda-feira, (11), no Cinemark Iguatemi, no Shopping Iguatemi, em São Paulo.

Siga o Twitter do iG Gente e acompanhe todas as notícias dos famosos

Com direção de Maurício Farias e no elenco Fabio Porchat , Danton Mello , Bruno Mazzeo , Gregorio Duvivier , Felipe Abib , Natália Lage entre outros, o longa-metragem estrea nos cinemas dia 22 de março. Em conversa com o iG, Lúcio fala ainda sobre atuar pela primeira vez ao lado do pai, Lúcio Mauro , no cinema, sobre o fim do programa “A Grande Família”, da TV Globo, assunto que perdura até hoje, e do desafio de fazer o primeiro musical de sua carreira, o clássico “O Mágico de Oz”, que está em cartaz na capital paulista. Confira a entrevista:

iG: Como o seu personagem, o Danilo, que tem registro na carteira, resolve assaltar sem nunca ter roubado?

Lúcio Mauro Filho: Danilo é primo do Rodrigo, personagem do Danton Mello, que está muito ferrado e pede empego na transportadora de valores onde ele trabalha. Ele vê no desespero do Rodrigo talvez a porta para se conseguir um parceiro para esse golpe. Ele faz a proposta de roubar o carro forte, simular um sequestro. Só que eles precisam de uma turma para isso e todos são uns idiotas e só da confusão atrás de confusão.

iG: Você já trabalhou com o seu pai diversas vezes. Porque dessa vez foi diferente?

Lúcio Mauro Filho: Faltava esse encontro no cinema. É a primeira vez. Foi uma participação especial dele. Ele chegou mandando caco de primeira, botando todo mundo pra rir. É mais garoto do que todos nós. Ele faz o meu avô e foi fácil (ver ele como avô) porque temos uma experiência maravilhosa. Fizemos dois anos de espetáculo juntos e aí depois disso você já está preparado (para interpretar)

iG: Porque só agora você resolveu fazer seu primeiro musical?

Lúcio Mauro Filho: São oito quilos de fantasia, lã, é uma loucura. Minha próxima folga é em junho, trabalho de segunda a segunda. De quinta faço “A Grande Família”, no Rio, pego um voo e faço a sessão de “O Mágico de Oz”, em São Paulo. Então tem esse pluz ai. Só um trabalho apaixonante com a força do Mágico de Oz, essa oportunidade de trabalhar com o Charles Muller e Claudio Botelho sabe, acho que todo ator brasileiro tem que querer trabalhar com esses caras, eles são demais, então assim, é um esforço, a família sofre um pouco, os filhos, mas dá-se um jeito traz família um final de semana porque é aquilo, é único, um momento histórico.

Tem que aproveitar a juventude agora, chegando aos quarenta fico pensando se daqui há cinco anos vou querer me vestir de leão. Na dúvida, já aceitei agora o desafio. Foi um convite muito especial e eu tenho muito orgulho.

iG: Você deu início as gravações de “A grande Família” que volta ao ar na última semana deste mês. Faz uns cinco anos que saem notícias de que o programa vai acabar mas não acaba. O que acontece? O elenco está de saco cheio?

Lúcio Mauro Filho: Saco cheio é impossível porque ali é o file. Se você abre a porta e olha pra fora dificilmente você vai encontrar uma coisa mais bem cuidada do que o programa. Obviamente a nossa questão é muito mais você fazer o mesmo personagem durante 13 anos. Ninguem experimenta isso. São raros os artistas aí, artistas incríveis que não podem chegar e falar passei 13 anos num programa. Então assim ao mesmo tempo que a gente tem a questão de falar cara a gente tem que fazer outros trabalhos, a gente tem um patrimônio ali, que é muito especial, um grupo muito especial que se ama muito e que por isso mesmo passa por cima de tudo, de briga, de confusão, de boato de que vai terminar. O que eu posso dizer é que hoje em dia eu não aposto as minhas fichas de que a Grande Família vai terminar nunca.

iG: Você afirma que há brigas então. Uma das brigas que saem é entre o Pedro Cardoso e a Guta Stresser, que formam um casal na atração. O Pedro implica com a Guta que chega a gravar bêbada. É verdade?

Lúcio Mauro Filho: Todo mundo já brigou na Grande Família. Vocês acham que a gente passa 13 anos trabalhando e convivendo como se fosse uma família? Só porque o do Pedro e da Guta vazou, aí criou obviamente isso. Só que isso (beber) não existe porque primeiro trabalhamos na Rede Globo, a maior empresa de televisão. (Se ela bebesse) Manda embora né? Claro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.