Criticada por sua voz durante o programa, ela fala em entrevista ao iG que está acima dos comentários maldosos, que prepara um novo CD e diz que só participou do reality show da Band para mostrar seu talento

Apesar de ter sido massacrada pelas outras participantes do "Mulheres Ricas" e até pelo top produtor musical Rick Bonadio , que lançou bandas como Charlie Brown Jr., CPM 22 e Mamonas Assassinas, Aeileen  mostra bastante confiança apesar da pouca idade. Aos 21 anos, a cantora de Vitória foi a participante mais jovem das duas edições do "Mulheres Ricas". No programa, falaram mal da voz, do peso e até do nariz de Aeileen.

Visivelmente mais magra, ela, no entanto, garante que não se importou com as críticas e nem de ser chamada de desafinada. "Eu emagreci um pouco, sim, mas prefiro não dizer quanto". Já sobre a audição com Bonadio, que rendeu um programa todo, ela pondera: "Realmente não foi bom. Eu estava chorando, desequilibrada, tremendo, nervosa, não lembrava de música nenhuma. Aquilo ali não sou eu. Então, ninguém me ouviu cantando de verdade. Eu me considero uma boa cantora, sim".

Siga o iG Gente no Twitter e receba as últimas notícias dos famosos

Em entrevista exclusiva ao iG , Aeileen também relembra alguns imprevistos durante as gravações, como na vez em que foi barrada no aniversário de Andréa de Nóbrega - " Não sei porque não virei as costas" - e quando Cozete Gomes perguntou se ela ainda era virgem: "Ninguém sai na rua com um outdoor falando sobre a intimidade e eu não vou falar sobre isso também".

Aeileen: 'Do que adianta ser toda bonita, toda montada, se lava o rosto e vira um estrupício?'
André Giorgi
Aeileen: 'Do que adianta ser toda bonita, toda montada, se lava o rosto e vira um estrupício?'



Confira abaixo o bate-papo com a cantora:

iG: Desde a sua primeira aparição na segunda temporada de “Mulheres Ricas”, choveram críticas sobre seu talento musical. Arrepende-se de ter participado do programa?
Aeileen: Não me arrependo. Quando a gente está exposto na mídia, está ali para receber tanto elogios, quanto críticas negativas. E isso é normal. Só que eu sabia qual era o meu papel no “Mulheres Ricas”. Sabia que ia começar lá embaixo, mas terminando com um grande show, em um grande momento. Eu sabia que, por isso, ia receber mais críticas. Estava tudo previsto na minha cabeça.

iG: E apesar das críticas negativas, você se considera uma boa cantora?
Aeileen: Eu me considero uma boa cantora, sim. Até agora, o que saiu meu cantando no programa? Quanto eu cantei lá de verdade? Foi só aquela audição do Rick Bonadio , que realmente não foi bom. Eu estava chorando, desequilibrada, tremendo, nervosa, não lembrava de música nenhuma. Aquilo ali não sou eu. Então, ninguém me ouviu cantando de verdade no “Mulheres Ricas”, por isso que saem falando, mas eu não ligo.

iG: Considera que foi prejudicada em algum momento com a edição do programa?
Aeileen: Não sei se a edição me prejudicou, mas foi a proposta de mostrarem como se eu fosse uma aprendiz e sei que não sou. Por exemplo, na festa da Narcisa. Aquilo ali não tem nada a ver. Eu, em sã consciência, não faria aquilo. Não acho legal parar a festa dos outros. O violão estava superdesafinado, eu não ia carregar o violão para o Rio de Janeiro do nada. Mas faz parte da minha história e as pessoas que acompanham gostaram de mim porque falaram que sou determinada.

iG: Você é a integrante mais nova de todas as edições. Ficou insegura em algum momento?
Aeileen: Sou bem segura de quem eu sou. Principalmente pelo que elas falam de mim. Isso é o que menos me abala. Talvez se outra pessoa falar, pode me abalar. Mas elas, naquele programa... Entra por um ouvido e sai pelo outro. Sei que de música ali ninguém é expert para poder me julgar. E o que elas falam de mim é que sou feia, sou gorda. Se você acha isso o problema é seu, não vai mudar em nada a minha vida. Continuo vestindo P, continuo do mesmo jeito e não tô nem aí, porque mulher gosta de falar mesmo.

Aeileen: 'As pessoas gostaram de mim porque me acham determinada'
André Giorgi
Aeileen: 'As pessoas gostaram de mim porque me acham determinada'

iG: Você acabou de dizer que continua vestindo P, mas é visível que emagreceu desde o início do programa. Quantos quilos você emagreceu?
Aeileen: Eu emagreci um pouco, prefiro não dizer quanto. TV engorda, mas também não estou muito mais magra. Mas as pessoas me defendem nas ruas. Alguns dizem que, mesmo que eu estivesse gorda, não tem nada a ver com a minha voz. Eles também dizem que não estou gorda. E se estivesse também, o problema é meu. Cabe a mim querer mudar, ou não. Tô nem aí.

iG: A Val Marchiori comentou que você tinha que emagrecer pelo menos 10 quilos. O que você diz a respeito dessa declaração?
Aeileen: A Val falou isso e não sei o que mais. Então eu tinha que virar uma boneca. Tinha que virar uma coisa artificial. Se ela acha bonito ser artificial, que viva assim. Mas eu não acho bonito, não me gosto artificial. Do que adianta ser toda bonita, toda montada, se lava o rosto e vira um estrupício? Não adianta fazer plástica no nariz, não quero perder dez quilos, sei que vou virar um ‘vara pau’. Então não ligo pro que a Val fala de mim.

iG: Algumas das integrantes, principalmente a Val, dizem que suas roupas são um pouco "bregas". Isso te incomoda?

Aeileen:  Óbvio que não. Cada um tem uma opinião, um gosto, e se veste de acordo com o que acha bonito. Se a Val gostar de mim, não vou ficar mais feliz. Se não gostar, não vou ficar mais triste. Ela expõe a opinião dela, é o que ela adora fazer. 

iG: E tem alguma delas que você considera brega?
Aeileen: Não... Eu acho que ser brega é não ter personalidade para se vestir e não assumir seu estilo. Provavelmente eu não gostei da roupa de uma algum dia, da de outra, em outro. Mas não acho que as pessoas têm que mudar pelo meu gosto. As pessoas têm que expressar sua opinião, mas ninguém tem obrigação de mudar por causa disso.

Aeileen: 'Eu emagreci um pouco, sim, mas prefiro não dizer quanto'
André Giorgi
Aeileen: 'Eu emagreci um pouco, sim, mas prefiro não dizer quanto'

iG: A Cozete Gomes ajudou no início da sua carreira. Acha que ela fez isso para ganhar dinheiro?
Aeileen: A Cozete não pegou o dinheiro da minha família. Ela me ajudou, e se quisesse alguma coisa em troca, não acho errado. Se ela tivesse investido em mim e quisesse receber, beleza. Mas no programa também não rolou nenhum investimento, então ela não ganhou nada em troca e fez por amizade.

iG: Seu pai não aparece no "Mulheres Ricas", ao contrário de sua mãe. Por que essa escolha?
Aeileen: Eu não quis envolver a minha família. Minha mãe aparece porque ela faz parte da minha trajetória profissional. O que eu mostro no programa é a minha busca pelo meu lado profissional. Não aceitaria participar de um programa que fosse só para me expor, só para mostrar o que eu tenho, porque a minha família não tem nada a ver com isso. 

iG: E você se considera uma "Mulher Rica"?
Aeileen:  Rico não precisa mostrar o que tem. Você nunca me viu na mídia falando que sou rica. As pessoas podem saber, posso estar usando uma roupa cara, estar em um lugar caro, mas nunca vou falar e ostentar isso. Não expus minha família, minha casa lá em Vitória. Não expus o que tenho, ou deixo de ter. Não é isso o que vai fazer quem eu sou. Ficar mostrando o que se gasta não é legal. Ainda mais no Brasil, que tem tanta desigualdade. Ficar esfregando na cara do outro que você tem muito dinheiro, que faz e acontece, é até falta de respeito com quem está trabalhando duro e ainda não conseguiu chegar lá.

iG: Mas você sente culpa de ser rica?
Aeileen:  Não me sinto culpada por ter dinheiro. Ser rico não é pecado, na Bíblia está escrito que prosperar não é pecado. Trabalhe e faça por onde. Desde que você não ganhe dinheiro roubando, desde que não faça coisas ilegais. Graças a Deus que tenho dinheiro e isso me ajuda a conseguir realizar meus sonhos, mas não é o dinheiro que banca a minha felicidade. O dinheiro banca a minha subsistência, minha comida, meu prazer, meu divertimento. Mas não a minha educação, o meu caráter, a minha dignidade, nada disso.

iG: Então tem aqueles dias que sai comprando tudo o que tem vontade?
Aeileen: Não faço extravagância financeira, nunca saí de um limite. Quer dizer, não de um limite, porque eu não tenho um limite, mas nunca saí de um valor que eu ache errado, que meus pais julguem errado. Sou uma pessoa muito tranquila em relação a gastos. Gasto o que for necessário. Compro uma roupinha nova, outra, mas nada que eu diga: ‘nossa, esse mês fiz uma mega extravagância’. Não sou assim.

iG: E o que é ser rico para você?
Aeileen:  Comprar um carro de R$ 500 mil não é ser rico. Isso é agir por impulso, porque não é um carro que vai me deixar apaixonada. Se eu foi investir esse dinheiro em um CD, vou investir superalegre. Se eu for comprar uma bota de R$ 4 mil, OK, porque são coisas que a gente dá valor na vida. E isso não são coisas que me deixam necessitada. Nunca me apaixonei por um carro e falei: ‘quero comprar’.

Aeileen sobre ser virgem: 'Não sou obrigada a falar sobre a minha vida, ainda mais em rede nacional'
André Giorgi
Aeileen sobre ser virgem: 'Não sou obrigada a falar sobre a minha vida, ainda mais em rede nacional'

iG: E por falar nisso, você gasta muito dinheiro na sua carreira? Produzindo shows, CDs e participações, uma vez que não era famosa até entrar no reality?
Aeileen: Hoje em dia não estou gastando mais. Já investi no começo da minha carreira quando comecei a cantar, lá pelos meus oito anos. Graças a Deus já consegui montar um caixa, consegui manter uma estrutura que estou eu mesma investindo em mim sem precisar dos meus pais para bancarem meus luxos.

iG: Durante o reality, você teve um desentendimento com Andréa de Nóbrega (a atriz barrou a cantora em seu aniversário). Por que você continuou na festa e não foi embora?
Aeileen: Não sei porque não virei as costas. Fui boba na hora. Se eu tivesse a oportunidade de viver isso novamente, teria ido embora. Em qualquer situação: no programa, ou na vida real. Fiquei muito sem reação, porque num primeiro momento o segurança não falou que eu tinha sido barrada. Eu não sou uma pessoa assim, achei que fosse mentira.

iG: Você acha que ela teve algum motivo para fazer isso?
Aeileen: Não sei porque ela fez isso. Quando eu cheguei, achei que fosse mentira. Pensei que fosse impossível alguém fazer aquilo. Mas aí na festa ela me deixou lá isolada. Não fiz nada também em respeito ao programa que estava sendo gravado. 

iG: Você ficou bastante ofendida quando a Cozete perguntou se você era virgem. Por quê?
Aeileen:  Eu não respondi se era virgem e ficou por isso mesmo. Acho que cada um tem o direito de falar o que quiser da sua vida e para quem quiser. Não sou obrigada a falar sobre a minha, ainda mais em rede nacional. Ninguém sai na rua com um outdoor falando sobre a intimidade e eu não vou falar sobre isso também. 

iG: Mas você já teve namorados?
Aeileen: Sim, já namorei (risos).

Aeileen: 'Nunca fiz extravagância financeira, nunca saí do limite. Quer dizer, não tenho um limite'
André Giorgi
Aeileen: 'Nunca fiz extravagância financeira, nunca saí do limite. Quer dizer, não tenho um limite'

iG: Afinal de contas, você é virgem?
Aeileen: Pode tentar perguntar sobre isso mil vezes que eu não vou responder (risos). Não vai mudar em nada na vida do Brasil (risos).

iG: Você aceitaria posar nua?
Aeileen:  Não aceitaria, morro de vergonha só de pensar. Também por respeito à minha família. Nada contra quem faça, mas eu não faria.

iG: E o CD para conhecermos melhor o seu talento, vai demorar a ficar pronto?
Aeileen: Ainda estou gravando algumas músicas, mas não vai demorar muito. Nos próximos meses já deve estar saindo. Tem composições minhas, de outras pessoas. Tem a música que o Bonadio me prometeu no programa e eu ainda não gravei, mas vou gravar.

iG: E já tem algum projeto engatilhado após o término de "Mulheres Ricas"?
Aeileen:  Ainda não tenho nada, estou focada no CD mesmo. Mas já trabalhei como apresentadora também, se tiver alguma oportunidade... Tenho vontade de voltar para a televisão, porque são minhas duas paixões: televisão e música.

Agradecimento:

Karaokê Tequila's  

Rua da Glória, 543, Liberdade, São Paulo - SP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.