Em entrevista exclusiva ao iG, a atriz assume seus defeitos, diz que vive tudo de maneira intensa e garante que não tem segredos: "Quando vejo, já falei".

Um insight na madrugada levou Nívea Stelmann a exercitar uma de suas facetas, a de jornalista. Começou a escrever na cama para curar as dores de um amor e encantou-se pela descoberta de sua verve poética. Ao falar de seu primeiro livro, “Dedo Podre”, em parceria com a escritora Lua Veiga , não crava que o título faça referência ao maior quiproquó de sua história - o fim truculento do relacionamento com o jogador Elano -, mas dá a entender.

"Estava numa fase que queria me vingar do mundo”, recorda, em um único momento em que parece não viver em um mar de rosas. Durante a hora em que passou com a reportagem do iG no palco do Teatro das Artes, em São Paulo, onde esteve em cartaz com a peça “Uma batalha de arroz num ringue para dois”, a carioca de 39 anos desfilou sua invejável boa forma com um sorriso largo no rosto. “Agora estou mais tranquila, namorando, em paz com a vida”, empolga-se, ao falar de  Marcus Rocha . ( Veja fotos dos dois aqui )

Siga o Twitter do iG Gente 

O manequim 36 é resultado de bons hábitos alimentares, muito suor e disciplina. E, com ar satisfeito, emenda: “Não dá pra comer uma travessa de pipoca! Fecho a boca e saio correndo”. Em 18 anos de carreira, ela acumula 15 novelas, oito peças e dois longas no currículo, mas está afastada da TV desde “Morde & Assopra” (2011).

A minha vida é exposta, mas não tenho problema com isso. Desde que a mídia fale a verdade, podem falar o que quiser sobre mim

Pressa de voltar ao ar tão cedo ela não tem. “Tenho contrato com a Globo sei lá há quantos mil anos”, justifica a mãe de Miguel , de 6 anos, de sua relação anterior com o ator Mário Frias . Para coroar o bom momento da atriz, ela protagonizará o filme “Esquadrão Sofia”, que será filmado em junho e continua com a peça no Rio até dezembro. Já posar para a “Playboy” é quase uma carta fora do baralho. “Eu não negocio, é o que cobrei ou então não faço. Na verdade, não tenho vontade de ficar pelada.” Ela teria pedido cerca de R$ 2 milhões para a revista.  Confira o papo:

VEJA TAMBÉM: Nívea Stelmann: "Nunca posei nua porque pedi dinheiro demais"

Nívea Stelmann
André Giorgi
Nívea Stelmann

iG: A peça “Uma batalha de arroz num ringue para dois” fala de um casal sem moralismos. Onde se enxerga nessa relação?
Nívea Stelmann: É um casal louco, não é um casal normal em hora nenhuma. É um texto para o teatro, é muito fora da realidade. Pode ser que existam casais assim, mas é muito fora da casinha. Fora do condomínio, nem da casinha! A Ângela (personagem) não tem nada a ver comigo! Mas a gente se diverte em cena, fazer a peça com um amigo e ainda se divertir não tem preço.

Fiz 39 anos, estou mais tranquila, já não brigo com qualquer coisinha. Antes eu era uma ariana meio doida

iG: Quem foi o grande amor da sua vida?
Nívea Stelmann: De homem? Não posso declarar, pegaria mal. O grande amor da minha vida é o Miguel, é o homem da minha vida! A vida inteira ele vai continua sendo. Acho que ele só perderia o posto se eu tivesse outro filho, aí eu terei que dividir.

iG: Você está namorando?
Nívea Stelmann: Sim, há um bom tempo, mas ele não é do meio. O Marcus ( Rocha ) trabalha com comércio exterior. A gente mora no mesmo bairro, é muito tranquilo. O que é ótimo, porque consigo dar uma preservada. Quer dizer, a minha vida é exposta, mas não tenho problema com isso. Desde que a mídia fale a verdade, podem falar o que quiser sobre mim; eu não minto e nunca menti para a imprensa. É assim: está namorando? Estou. Terminou? Terminei. Nunca escondo nada. Então estou namorando uma pessoa incrível e estou super feliz.

Nívea Stelmann e Maurício Machado, seu parceiro de cena na peça 'Uma batalha de arroz'
André Giorgi
Nívea Stelmann e Maurício Machado, seu parceiro de cena na peça 'Uma batalha de arroz'


iG: Na peça, o casal briga o tempo todo. Você é uma pessoa litigante?
Nívea Stelmann: Sou, mas já fui mais. Fiz 39 anos, estou mais tranquila, já não brigo com qualquer coisinha. Antes eu era uma ariana meio doida. O que eu tenho do ariano é a determinação, a possessividade, sou cabeça dura, ciumenta, teimosa, isso eu tenho.

Fiz dois curtas, fiz um livro, me preparei para a peça, quer dizer, trabalhei mais do que se estivesse na TV

iG: Você está fora da TV desde “Morde & Assopra”, que acabou em novembro de 2011. Por quê?
Nívea Stelmann: Por opção. Tenho contrato longo com a Globo sei lá há quantos mil anos. E nunca interrompi o contrato. Fiz uma novela atrás da outra e quis experimentar outras coisas. A Globo é muito bacana, uma empresa incrível de trabalhar. Não te colocam a faca no pescoço: teeeeem que trabalhar! Tem gente que fica contratada oito, sete anos em casa. Não tem uma regra, e também não significa que eu não vá voltar este ano. Ninguém sabe.

Nívea Stelmann
André Giorgi
Nívea Stelmann

iG: Tem outros projetos?
Nívea Stelmann: Sim, vou rodar o longa “Esquadrão Sofia” em junho. Até dezembro eu tenho a peça (no Rio), então este ano devo ficar mais no teatro.

iG: Em 18 anos de carreira, qual foi o momento mais marcante?
Nívea Stelmann: São muitos! Eu consegui fazer 15 novelas, trabalhar um ano no “Video Show”, fazer oito peças, dois longas, muito curtas. Acho que eu tenho uma vida abençoada, nunca parei de trabalhar. Nem grávida e amamentando.

iG: E o mais difícil?
Nívea Stelmann: Não tive momento difícil na minha carreira, sempre trabalhei. Em novembro de 2012 fez um ano do fim de “Morde & Assopra”. E nesse tempo, fiz um piloto para TV que foi o melhor de 2012. Fiz dois curtas, fiz um livro, me preparei para a peça, quer dizer, trabalhei mais do que se estivesse na TV. A TV não permite que se faça muita coisa, quando você faz uma novela, fica totalmente à disposição. Se a personagem cresce, não dá para fazer mais nada.

Agora estou mais tranquila, namorando, em paz com a vida. A nossa vida é de fases e estou sempre disposta a mudar

iG: Quais são suas qualidades?
Nívea Stelmann: Sou muito amiga, amicíssima. Quando sou amiga, sou amiga até debaixo de chuva de ácido. Sou muito determinada, quando eu foco nas coisas, eu faço bem feito. Trabalhei com diversos diretores e sempre fui muito elogiada por isso. Sou muito disciplinada: chego cedo, com o texto decorado, me dedico, não brigo com ninguém, não arrumo confusão, faço o que eu tenho que fazer. Sou muito entregue!

iG: Defeitos?
Nívea Stelmann: Eu até já escrevi sobre isso no livro: sou vingativa! Quando eu escrevi, estava numa fase muito vingativa, queria me vingar do mundo. Agora estou mais tranquila, namorando, em paz com a vida. A nossa vida é de fases e estou sempre disposta a mudar. Meus defeitos são aquilo que eu falei: teimosa, ciumenta e vingativa, acho que é isso.

Nívea Stelmann
André Giorgi
Nívea Stelmann

iG: O que ninguém conhece a seu respeito?
Nívea Stelmann: As pessoas conhecem, sou muito verdadeira, eu falo tudo. Não tenho nenhum segredo! Quando eu vejo, eu já falei.

iG: É chorona? Lembra da última vez que chorou?
Nívea Stelmann: Deve ter sido hoje, no filme da “Sessão da Tarde” (risos). Choro todos os dias!

Eu escrevo, eu desabafo com as amigas, choro muito. Já tive muitas dores, de passar mal, de sofrer. Sou muito intensa, ariano é assim

iG: Como se liberta das dores?
Nívea Stelmann: Eu escrevo, eu desabafo com as amigas, choro muito. Já tive muitas dores, de passar mal, de sofrer. Sou muito intensa, ariano é assim. Tanto para o lado bom, quanto para o ruim. Quando eu sofro, sofro mesmo, mas nada que me deixe traumatizada.

iG: Qual foi o maior absurdo que já saiu na imprensa ao seu respeito?
Nívea Stelmann: Não falaram, porque se falam eu desminto imediatamente. Antes do Twitter, mandava simplesmente uma carta de advogado. Nunca houve, a imprensa é legal comigo, não posso reclamar, seria injusto. Tudo o que eu falo para eles (os jornalistas), eles cumprem. Também porque estou sempre à disposição, sou sempre solícita, trato todo mundo bem. Desde uma revista de qualquer coisa, até uma “Nova”, “Marie Claire”. Todo mundo que me liga é atendido do mesmo jeito. 

iG: Você não bebe e não fuma, já disse que não tem vícios. Onde você perde o controle?
Nívea Stelmann: De repente, esperar muito ou quando está muito trânsito.

iG: E a "Playboy", quando sai?
Nívea Stelmann: Quando eles quiserem e pagarem o que eu pedi! Eu não negocio, é o que cobrei ou então não faço. Na verdade, não tenho vontade de ficar pelada. É um trabalho bonito, bacana, a "Playboy" é chique. Como vou escolher as fotos, escolher tudo, não tenho medo de fazer, não tenho pudor. Só que eu quero fazer do meu jeito, para mudar a minha vida, do contrário, não.

Nívea Stelmann
André Giorgi
Nívea Stelmann

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.