Lea T.: "Nunca vou ser 100% mulher, mesmo depois da cirurgia"

Por iG Gente |

Texto

Modelo transexual, filha de Toninho Cerezo, falou pela primeira vez após a troca de sexo. "Não aconselho essa cirurgia a ninguém", declarou

Lea T. falou pela primeira vez após a cirurgia de mudança de sexo. 'Nunca vou ser 100% mulher, mesmo depois da cirurgia'. Foto: Reprodução/TV GloboLea T. falou pela primeira vez após a cirurgia de mudança de sexo. 'Nunca vou ser 100% mulher, mesmo depois da cirurgia'. Foto: Reprodução/TV GloboLea T. falou pela primeira vez após a cirurgia de mudança de sexo. 'Nunca vou ser 100% mulher, mesmo depois da cirurgia'. Foto: Reprodução/TV GloboLea T. falou pela primeira vez após a cirurgia de mudança de sexo. 'Nunca vou ser 100% mulher, mesmo depois da cirurgia'. Foto: Reprodução/TV Globo

Lea T. falou pela primeira vez com a imprensa após a cirurgia de troca de sexo, realizada em março de 2012 na Tailândia. A modelo transexual, de carreira internacional, conversou com Renata Ceribelli para o "Fantástico" exibido neste domingo (27). 

Siga o Twitter do iG Gente e acompanhe todas as notícias dos famosos

"É uma coisa muito íntima. Tô meio sensível", disse a modelo, explicando o motivo de esperar quase um ano para comentar sobre o assunto. "Consegui falar a respeito da cirurgia, sobre essa pequena e grande mudança, só agora. Hoje está tudo certinho", explicou. "Não é um peito, uma coisa assim é muito difícil", completou.

Mostrando certo arrependimento com a cirurgia devido à dor e por não ter alterado sua essência, Lea T. desaconselha o procedimento cirúrgico. "Eu fiquei um mês sentindo dor. Não aconselho essa cirurgia a ninguém", falou ela. A modelo contou que precisou ficar deitada um mês e meio após a troca de sexo. Segundo ela, o tempo em repouso serviu para reflexão. "Eu achava que minha felicidade era embasada na cirurgia", iniciou. "Fiquei mais à vontade, mas a felicidade não é um peito, ou uma vagina", continuou.

Mesmo sem o órgão sexual masculino, Lea T. diz que não se sente plenamente mulher. "Nunca vou ser 100% mulher, mesmo depois da cirurgia. Tenho minhas partes masculinas. Tenho ombros largos, tudo mais. Eu reprimia muito". A modelo comentou ainda que a troca de sexo é "um detalhe importante na sociedade".

Lea mostra-se cautelosa em relação ao convívio social. "Vai ter sempre a pessoa que vai jogar na cara que você era homem. Depois desse cirurgia é uma facada no coração", acrescentou. Perguntada se o prazer sexual mudou depois da cirurgia, a modelo comentou, meio sem graça, que ainda está se adaptando. "Eu tava tão focada em fazer essa cirurgia que eu nem pensava nisso (prazer). Mas ainda estou aprendendo", falou ela, aos risos.

Antes de concluir a entrevista, a modelo revelou a vontade de se tornar mãe. "Eu gostaria bastante. Mais do que de encontrar um príncipe encantado. Gostaria muito de adotar uma criança", comentou. Sobre o sexo do filho, Lea não escolhe. "Indiferente".

A equipe de reportagem do "Fantástico" também falou com Toninho Cerezo, ex-jogador de futebol e pai de Lea T.. Emocionado, ele pediu para que a filha tomasse cuidado com as pessoas que pudessem magoá-la. "A Lea levantou uma bandeira. Ela minha filha, quero que ela seja feliz", falou. "Só tenha cuidado. Você é uma mulher inteligente, uma modelo. Olha a sua importância para pessoas que se sentem acuadas. Você que vive nesse mundo cheia de pessoas com preconceito. Muitas pessoas vão querer pisar no seu calo, mas com uma palavra doce você vai passar por cima delas", aconselhou ele.

Leia tudo sobre: Lea T.
Texto

notícias relacionadas