Em sua estreia como atriz de cinema, repórter do "Pânico na TV" lembra seu tempo de "sister" e seu namoro com Dhomini, que está de volta ao BBB

Há 10 anos, os olhos puxados, o jeito hippie, o sotaque caipira e a pose de moleca de Sabrina Sato conquistaram o Brasil ao participar da terceira edição do Big Brother Brasil. De lá para cá, muita coisa mudou na vida dela. Recém-saída da casa, assinou contrato para ser uma das apresentadoras do humorístico "Pânico", virou queridinha do mercado publicitário e uma das mulheres mais desejadas do país. “Passou muito rápido, mas sou a mesma pessoa. Nada mudou na minha vida. Por ter sempre a minha família por perto, mantive o pé no chão”, afirma.

Agora, a paulista de Penápolis se prepara para encarar um novo desafio em sua carreira: ser estrela de cinema. Estreia como a atiradora de facas Martinha no filme “Concurso Público”, de Pedro Vasconcelos .

Foi no set de filmagem que ela conversou com a reportagem do iG, lembrou de seus tempos de "sister" e declarou seu voto em seu ex-namorado Dhomini, que está de volta à casa uma década depois. “Tenho gratidão por ele e pelo programa. Não tenho assistido porque tenho trabalhado muito e estava de férias em Miami. Mas quando ele entrou na casa, recebi milhões de mensagens pelo WhatsApp, todo mundo me sacaneando. Imagina quando eu voltar para o Pânico? Eles vão pegar no meu pé (risos)”. Confira abaixo a entrevista:

iG: Este ano faz 10 anos desde que você participou do Big Brother Brasil. Como avalia sua carreira?
Sabrina Sato: Passou muito rápido, mas sou a mesma pessoa. São 10 anos que trabalho todos os dias no Pânico, que ralo muito, que bato o cartão todos os dias. Mas não reclamo. Gosto muito do meu trabalho. Não tenho medo de ter muito trabalho. E sempre fui muito feliz porque tenho o apoio da minha família. Sempre fiquei com pé no chão.

iG: O que deseja realizar nos próximos 10 anos? Quer apresentar um programa só seu?
Sabrina Sato: Não tenho vaidade de querer fazer uma coisa só minha. Ah, não sei. Tenho muitos, mas não posso contar porque senão, não se realiza (risos). Fazer cinema era um sonho. Ser mãe, ter muitos filhos e casar também é. Sou igual a qualquer outra mulher. Quero ter muito trabalho e amor.

iG: Muitas mulheres ficam neuróticas com o relógio biológico ao chegar aos 30. Você se sente assim?
Sabrina Sato: Não. Se eu quisesse ter agora, eu poderia ter. Mas não é isso. Tem de ser na hora certa. Hoje em dia pode se ter filho até os 60. Você não viu a Marcia Goldsmith que teve dois filhos aos 50? Perguntei até para o ginecologista e ele falou que posso ter filho mais tarde. Sou muito tranquila em relação a isso.

iG: Ano passado, você terminou o namoro com o deputado federal Fábio Farias e até participou de um reality show para procurar um namorado. Como está a vida amorosa?
Sabrina Sato: Estou trabalhando tanto que não tenho nem tempo de pensar em mim. Estou filmando todos os dias, sou rainha de duas escolas de samba – Gaviões da Fiel, em São Paulo, e Vila Isabel, no Rio de Janeiro - e segunda começa as reuniões no Pânico. Não tenho tempo para namorar. Mas 2013 vou me dar bem (risos).

iG: Seu ex-namorado Dhomini voltou ao Big Brother Brasil. Ficou preocupada?
Sabrina Sato : Imagina! É meu passado, tenho felicidade em falar dele. Tenho gratidão pelo BBB e Dhomini. Não tenho assistido, estava de férias em Miami e, desde que voltei, estou gravando o filme. Trabalhado muito. Mas quando ele entrou na casa, recebi milhões de mensagens pelo WhatsApp, todo mundo me sacaneando. Imagina quando eu voltar para o Pânico? Eles vão pegar no meu pé (risos).

iG: Torce para ele vencer o programa?
Sabrina Sato: Ele foi uma pessoa muito importante na minha vida. Conheço a atual mulher dele e os filhos. São muito bacanas. Mas não estou assistindo o programa para dizer para quem estou torcendo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.