Gloria Perez se emociona na missa dos 20 anos da morte da filha Daniella

Autora de "Salve Jorge" se uniu ao ex-genro, Raul Gazolla, e ao fã clube para homenagear a atriz, brutalmente assassinada em 1992

Priscila Bessa , iG Rio de Janeiro |

Glória Perez , amigos e familiares realizaram na noite desta sexta-feira, (28), uma missa em homenagem à memória de  Daniella Perez , morta há vinte anos. A mãe da atriz e autora de " Salve Jorge " chegou dez minutos antes do início da missa, que começou pontualmente às 19 horas, na Paróquia da Ressurreição, no Rio de Janeiro.

Siga o Twitter do iG Gente e acompanhe as notícias dos famosos

Na entrada da igreja, Glória foi recebida pelo fã clube de Daniella, que se formou no dia do assassinato da atriz, em 28 de dezembro de 1992, e mal conseguiu conversar com a imprensa devido à emoção.  Raul Gazolla , ex-marido da atriz, chegou logo após Glória e também não segurou a emoção ao abraçar a ex-sogra. "Quando você perde uma esposa ou um marido você fica viúvo. Quando você perde seus pais você fica órfão. Agora, quando você perde um filho, não tem um nome para isso. Não há dor pior do que perder um filho", disse o ator da Record.

A missa que durou 40 minutos, foi realizada pelo padre  José Roberto . Um dos momentos mais marcantes da noite foi o desabafo do padre sobre a impunidade no Brasil em relação aos autores do crime bárbaro que, após cumprir pena vergonhosa, estão soltos . "É importante que exista justiça para que outras pessoas não passem pelo mesmo. Gloria aprendeu a fazer denúncias naquilo que escrevia em suas novelas. Com certeza, a perda de sua filha lhe deu voz para falar por tantas pessoas. Infelizmente não deveria ser assim", disse. "Esse gesto de cada um de vocês de estarem aqui hoje é muito importante. Não deixem que o tempo apague essas coisas. Precisamos repudiar a maldade humana", completou.

Durante a missa, houve outras manifestações.  Duda Ribeiro , intérprete de Adam, em "Salve Jorge", chegou a namorar Daniella e leu uma carta escrita para a ocasião sobre suas lembanças com a ex. "E lá se vão vinte anos. Confesso que os primeiros cinco ou seis anos foram inexplicáveis. Eu me vi sem rumo. Dentro do que acredito espiritualmente, acho que ela está bem", disse. "Na minha mente fica a lembrança de como ela mordia o canto da boca, da sua gargalhada, de como ela dirigia o carro com o banco lá na frente, das férias em Búzios e de uma cena em que ela me convidou para assistir, em que chorava e ali eu vi que se encontrava uma atriz", lembrou.

Integrantes do fã clube da atriz também se pronunciaram.  Mariana Donley , 29 anos, assistente administrativa e fundadora e organizadora da associação falou do empenho em estar a frente da "Minha Amada Daniella Perez". "No Orkut chegou a ter 600 pessoas, depois fizemos um grupo fechado com pouco mais de 100 pessoas, por causa das polêmicas em torno da tragédia. Há exatos vinte anos, o grupo vem sendo ativo postando fotos e videos", contou. Já  Janaina Pimenta , 28 anos, técnica de informatica e integrante do fã clube é fã da atriz, apesar, de na época ter oito anos de idade. "Acompanhava de "Corpo e Alma" e era fã da personagem Yasmim, que a Daniella interpretava. A tragédia devastou a vida de todo mundo. Eu era criança mas sofri muito. Vinte anos se passaram, mas eu nunca equeci", disse. Uma das atrizes que chegou a contracenar com Daniella, em "Barriga de Aluguel" (1990),  Lady Francisco faz jus ao ser encarregada do cargo madrinha do fã clube. "A impunidade impera mas ela não será equecida".

Entenda o crime

Aos 22 anos, Daniella foi assassinada com 18 golpes de tesoura em 1992, quando interpretava Yasmin na novela de sua mãe "De Corpo e Alma". Os autores do crime foram seu companheiro de cena, o ator Guilherme de Pádua , e a mulher dele na época, Paula Thomaz . Daniella era casada com o ator Raul Gazolla .



Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG