Antônio Fagundes faz homenagem emocionada à colega de profissão e Regina não segura as lágrimas na exposição que celebra seus 50 anos de carreira

A simples presença de Antônio Fagundes  na inauguração da exposição "Espelho da Arte - A Atriz e o Seu Tempo", em comemoração aos 50 anos de carreira de Regina Duarte , na noite dessa quinta-feira (22), em São Paulo, foi motivo suficiente para multiplicar a emoção da atriz. 

O ator, que já fez par romântico com Regina em diversas ocasiões, participou da homenagem como um grande companheiro de estrada. "Não esperava a presença de Fagundes. Me emocionei mais ainda. Relembramos  coisas que fizemos juntos. Alguns personagens marcantes como Nina, Raquel, Helena", lembrou ela, citando três casais de novelas de três décadas diferentes. (Em "Nina", de 1977, Regina fazia a personagem título, uma professora do interior, e Fagundes era Bruno, imigrante italiano; em "Vale Tudo" (1988), eles foram o casal de protagonistas, Ivan e Raquel; em "Por Amor" (1997), Regina e Fagundes repetiram a dobradinha como a decoradora Helena e o arquiteto Atílio).

O nó na garganta da atriz apertou ainda mais quando ela notou que sua primeira professora de declamação, que foi quem a ensinou a dizer as palavras com sentimento, também estava lá. "Para mim é muito emocionante rever a minha vida ali na exposição. Minhas glórias, meus sofrimentos, a ausência com relação aos meus filhos por conta do meu trabalho. A profissão me deu muita alegria, mas me privou de muitas coisas. Todo este sentimento culminou com a presença da minha primeira professora de declamação de Campinas, a senhora Maria Silva Ferraz, que dos meus 11 aos 15 anos me ensinou tudo, como lidar com as palavras, como colocar o sentimento. Ela declamou dois poemas de que gosto muito. E foi tudo de surpresa. Foi muita emoção e chorei."


Siga o iG Gente no Twitter e receba as últimas notícias dos famosos

A exposição sobre os 50 anos de carreira de Regina Duarte foi visitada por mais de 18 mil pessoas no período em que ficou em exibição no Rio de Janeiro, no Centro Cultural Correios.

Agora é a vez de os fãs paulistanos verem a mostra, que fica em cartaz até 24 de fevereiro. Uma linha do tempo, dividida por décadas, conduz os visitantes pela montagem, que relaciona os principais trabalhos da atriz com fatos históricos do Brasil e do mundo.

A evolução tecnológica ocorrida no período é mostrada através de cenários que reproduzem os ambientes internos de uma casa, com elementos característicos de cada época.

Serviço:

Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo

Rua Jorge Miranda, 656 – São Paulo – SP - Estação Tiradentes do Metrô

Tel: (11) 2155 3300

Visitação: 22 de novembro a 24 de fevereiro de 2013 – terça a domingo, das 12 às 19h - ENTRADA FRANCA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.