Jornalista é homenageada no Troféu Raça Negra e diz que ainda existe preconceito. Ela também fala sobre as filhas e declara: “Não tem nada melhor no mundo”


Glória Maria foi uma das homenageadas do Troféu Raça Negra 2012, que aconteceu na noite desta segunda-feira (19), em São Paulo. Em entrevista ao iG Gente, ela falou sobre a emoção de participar do evento. “Eu acho que no momento que a gente tem o Obama se reelegendo presidente americano, além desse troféu estar comemorando 10 anos e resolver homenagear alguma pessoas e eu estar entre elas, é um orgulho enorme. Eu estou louca para chegar em casa e mostrar para as minhas filhas. É um reconhecimento de uma vida inteira, tentando mostrar que nós, negros, somos bacanas, que não existe diferença. Eu estou muito, muito feliz”, disse.

Siga o Twitter do iG Gente e acompanhe todas as notícias dos famosos

Porém, a jornalista desataca que ainda é preciso mudar muitas coisas para acabar de vez com o preconceito racial. “Quando eu comecei, tinha eu e mais três repórteres negros. E de lá pra cá mudou muito pouco. Eu tenho 33 anos de jornalismo, não é possível que nesses anos todos não tenham aparecido outros negros de talento, se apareceram tanto brancos talentosos. Alguma coisa está errada, é uma conta que não bate. Então, com relação ao mercado de trabalho e ao racismo a gente caminhou pouco”, desabafou.

Glória Maria ainda revelou ser contra o termo ‘afrodescendente’. “Acho uma idiotice. Nós somos negros e ponto. Quando eu cheguei na televisão, todo mundo me chamava de ‘neguinha’ e eu era muito feliz! Acho que a ofensa está na maneira e no tom que você diz”, opinou.

“Hoje eu vivo plenamente, antes só existia”

Quando o assunto é as filhas, Maria , de 4 anos, e Laura , de 3, Glória Maria mostra que é uma verdadeira mãe coruja. A jornalista contou que as duas meninas, apesar de novinhas, já são cheias de personalidade. “A Maria adora uma passarela, eu não sei de onde ela tirou isso. Ela vê um corredor e quer desfilar. A Laura é completamente diferente, a coisa dela é música, ela escuta música o dia inteiro. Canta bem e gosta de cantar alto, e é afinada. A Laura puxou minha musicalidade e meu lado moleque. E a Maria puxou meu lado aventureiro e ler, ela adora ler”, relatou.

Glória acredita que as filhas mudaram completamente a sua vida. “Hoje eu vivo plenamente, antes eu só existia. Quando você é mãe madura, adulta e gosta desse exercício da maternidade, não tem nada melhor no mundo!”, declarou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.