Sentença foi baseada em entrevista que a apresentadora conduziu em outubro de 2000. Se a família não contestar a decisão, o valor será descontado de sua herança

Hebe Camargo
Claudio Augusto
Hebe Camargo

Em outubro de 2000, a mulher de Chitãozinho , Márcia Regina Alves , moveu uma ação contra Hebe Camargo por danos morais, tendo como base uma entrevista que a apresentadora fez em seu programa de televisão com a ex-mulher do sertanejo, Adenair Lima , e com os filhos do casal. À época, Hebe conduzia o programa "Hebe", no SBT.

Chitãozinho e Márcia Alves
Franscisco Cepeda/AgNews
Chitãozinho e Márcia Alves

Na ocasião, Hebe disse que a ex-dançarina do Grupo Banana Split seria prostituta e frequentadora do prostíbulo de luxo “Café Photo”. E ainda perguntou aos filhos de Chitãozinho o que achavam da namorada do pai, o que para a Justiça foi uma maneira “de partidarizar” a opinião dos filhos.

Siga o iG Gente no Twitter 

Após 11 anos de processo, com réplicas e tréplicas, a ação foi julgada improcedente, mas Márcia apelou, e ganhou. Na última sexta-feira (28), um dia antes de morrer, Hebe foi condenada pela Justiça a pagar 220 mil a Márcia, entre indenização, despesas e honorários dos advogados.

LEIA MAIS:  Fãs não poderão acompanhar a missa de sétimo dia de Hebe

Com a morte da apresentadora, na madrugada de sábado (29 ), o processo ficará suspenso até que seu espólio seja integrado à ação. Caso a família de Hebe não entre com um recurso, o valor da condenação será descontado de sua herança. Em comunicado oficial, Chitãozinho e Márcia lamentam a perda "da maior apresentadora de televisão de todos os tempos". "O casal deseja que Hebe descanse em paz e que a família da artista seja respeitada nesse momento de sofrimento e dor. Ressaltamos que qualquer tipo de desentendimento do passado já havia sido superado há tempos."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.