A apresentadora e primeira-dama da RedeTV! fala sobre a filha Alice, de cinco meses, do casamento com Amilcare Dallevo, a crise financeira da emissora e novos desafios na carreira


Um minuto antes do horário combinado, Daniela Albuquerque chega à locação de seu primeiro ensaio desde que se tornou mãe da  pequena Alice. Em um salto Loubotin de 20 centímetros, a primeira dama da RedeTV! - ela é casada há cinco anos com Amilcare Dallevo - desce do carro com a ajuda de seu motorista, mas logo descontrói qualquer figura de diva, tema das fotos propostas pelo iG .

Siga o iG Gente no Twitter e receba as últimas notícias dos famosos

Carregando uma sacolinha plástica, abre um sorriso e começa a falar com seu jeitinho mato-grossense, puxando o "r". Cinco meses após dar à luz, a apresentadora exibe uma ótima forma, explicada na tal sacolinha, que contém um litro de suco de soja e uma garrafa d’água, que ela segue carregando para cima e para baixo. Da mesa de quitutes montada pela produção, onde brilhavam mini quindins, queijos e biscoitos, Daniela se serve de tomate cereja e frutas secas.

Siga o iG Gente no Twitter e receba as últimas notícias dos famosos

Ainda sem uma nova atração definida na RedeTV!, ela confirma que já está fora do "Manhã Maior", ela deve voltar ao trabalho em um mês e diz que por enquanto está curtindo a vida de dona-de-casa.

iG: O que mudou em você com a maternidade?
Daniela Albuquerque: Acho que eu estou mais humana, mais sensível. É uma dádiva ser mãe. Digo que é um amor que dói, que falta ar e que cresce a cada dia. Estou vivendo a melhor fase da minha vida. Sempre fui uma pessoa feliz, com o pé no chão, mas agora com a Alice tudo é diferente, o brilho do olhar é outro.

Daniela Albuquerque: 'Eu nunca maltratei ninguém, faço meu trabalho bem feito, e errar todo mundo erra'
André Giorgi
Daniela Albuquerque: 'Eu nunca maltratei ninguém, faço meu trabalho bem feito, e errar todo mundo erra'

iG: A infância que você teve é muito diferente da que ela terá. Como você pretende trazer ela para a realidade, ter esse pé no chão que você sempre teve?
Daniela Albuquerque: Vou ter que tomar muito cuidado, eu sei. Eu não tinha um quarto quando era pequena, dormia junto da minha mãe e dos meus irmãos, todos no mesmo quarto, e a Alice hoje tem o quarto só dela. Nem berço eu lembro se tive. Quero que ela seja criada em contato com a minha família, sabendo de onde eu vim e onde eu cheguei. Mostrar o que eu vivi no passado, que em nenhum momento deixei de gostar das coisas de antes. Por exemplo, eu adoro restaurantes bonitos, mas se você me chamar para comer um cachorro quente na esquina, eu vou adorar! Eu não mudei os meus gostos, eu só acrescentei. Eu quero que ela tenha os pés no chão, que não fique deslumbrada com o que ela vai ver, que desta vida a gente não leva nada, só amor e família.

O Amílcare pagou o enxoval e fiz questão de pagar o quarto da Alice. Fui lá, pechinchei, parcelei o quartinho dela. Dou muito valor pra isso por não ter tido um quarto só meu. A Alice não tem o berço mais caro do mundo, nem o mais barato, mas tem o que eu pude comprar

iG: Qual a coisa mais importante que sua mãe te ensinou?
Daniela Albuquerque: Minha mãe me deu muita educação, me ensinou a ser uma pessoa agradável, a respeitar os mais velhos. Até hoje chamo ela de 'senhora' e peço sua bençao. E eu quero que a Alice seja sempre bem-vinda, uma criança que todo mundo fique feliz de saber que ela está chegando. Não quero que falem: ‘Ai meu Deus, a Alice chegou, essa criança mal educada’ (risos).

Daniela Albuquerque: 'Não estou me gabando, mas as pessoas gostam muito de mim na RedeTV!'
André Giorgi
Daniela Albuquerque: 'Não estou me gabando, mas as pessoas gostam muito de mim na RedeTV!'

iG: A Alice vai crescer em um mundo com muito dinheiro, vai poder ter todos os brinquedos, as viagens que ela quiser. Como você vai lidar com isso?
Daniela Albuquerque:   Eu quero que ela viva no mundo real, que se divirta numa viagem incrível e também numa feira de verduras. Eu me lembro que só tinha presente em aniversário, Natal e, às vezes, no Dia das Crianças. A minha primeira boneca Barbie eu só tive quando comecei a trabalhar. Antes era a falsificada do Paraguai. Eu quero que ela entenda o significado, o valor de um presente e principalmente o de doar os outros brinquedos quando ganhar um novo.

iG: Como você é com dinheiro? É muito consumista?
Daniela Albuquerque: Eu gosto muito de coisas bonitas, eu sou mulher, mas eu não sou do tipo que tem necessidade de estar sempre no shopping. Eu só compro uma coisa quando eu realmente estou apaixonada, sou meio mão de vaca, viu? Eu tenho a minha conta, sou bem econômica, pechincho. As coisas da Alice mesmo: o Amilcare pagou o enxoval e eu fiz questão de pagar o quarto dela. Eu fui lá, pechinchei, parcelei o quartinho dela, e dou muito valor pra isso, acho que por eu não ter tido um quarto só meu. A Alice não tem o berço mais caro do mundo, nem o mais barato, mas tem o que eu pude comprar. 

iG: Você se sente cobrada de estar sempre linda e com coisas caras ou "de marca" por ser casada com um executivo como o Amilcare?
Daniela Albuquerque: Imagina! Eu uso as coisas porque acho bonito e não porque é caro. Eu tenho coisas de marca e coisas muito baratas. Eu me sinto é muito esperta quando chego com um vestidinho baratinho em uma festa e todo mundo acha lindo. Eu faço questão de falar que é barato. Eu não tenho necessidade de estar sempre de Gucci para estar bem. Eu me acho muito esperta quando saio na vantagem de usar um vestidinho baratinho e ficar linda (risos).

Eu me lembro que só tinha presente em aniversário, Natal e, às vezes, no Dia das Crianças. Minha primeira Barbie eu só tive quando comecei a trabalhar. Antes era a falsificada do Paraguai. Eu quero que a Alice entenda o valor de um presente

iG: Como o Amilcare é com a Alice, já que os outros três filhos dele já são grande?
Daniela Albuquerque: Ele está babando. Acorda já com ela rindo às seis da manhã, levanta, vai buscá-la para eu dar de mamar. Ele diz que tem sono de manhã, mas não tem como não acordar bem com ela rindo e fingindo que está com tosse para chamar nossa atenção. Ele está um superpai. Ele só não é bom em dar banho, trocar fralda, é meio durão com essas coisas. Ele tenta, mas não dá muito certo (risos). Ele até fez curso de pai comigo, mas ele tem muito medo. Ela começa a pular e ele já fica desesperado. Eu que conduzo as coisas de casa.

iG: Você não parava em casa antes, como está a vida agora de casa?
Daniela Albuquerque: É verdade, eu não parava. Trabalhava todos os dias, fazia teatro, era uma loucura. Eu estou curtindo viu. Antes eu não tinha tempo de ir para o supermercado, agora eu estou adorando fazer as compras.

Tenho certeza que todas as empresas passam por dificuldades, mas como funcionária da RedeTV! estou ali e visto a camisa. Acredito que tudo vai melhorar. A estrutura é sensacional, o ambiente é gostoso. Eu não trocaria a RedeTV! por nada, e não estou falando porque é do meu marido

iG: Você deixaria sua carreira para ser dona de casa?
Daniela Albuquerque: Olha, eu trabalhei até o último dia de gravidez, mas quero aproveitar ao máximo a licença-maternidade. Eu acho muito importante amamentar, cuidar da Alice, mas também quero sair para trabalhar. Quero que ela saiba que a mãe trabalha, que a mãe precisa sair, mas volta, que a mamãe precisa de um tempo para o papai, que pode estudar. A gente precisa ter o nosso tempo sempre.

Daniela Albuquerque: 'Quando vim trabalhar como modelo passei muita necessidade. Dividia apartamento com um monte de gente, as coisas na geladeira tinham que ser marcadas, o papel higiênico escondido'
André Giorgi
Daniela Albuquerque: 'Quando vim trabalhar como modelo passei muita necessidade. Dividia apartamento com um monte de gente, as coisas na geladeira tinham que ser marcadas, o papel higiênico escondido'

iG: Vocês e o Amilcare conseguiram administrar esse tempo só de vocês no casamento?
Daniela Albuquerque: Sim, claro. A gente consegue separar muito essas coisas. Eu fico com dor no coração de sair de casa, mas daí eu penso que preciso ter os momentos de mulher, se não a relação fica desgasta. No nosso caso não temos muito esse problema, porque o Amilcare é muito pai também, então ele não pensa que eu não ligo mais para ele nesse momento de amamentação, que é quando a gente quer muito ficar com o bebê.

Eu nunca maltratei ninguém, faço meu trabalho bem feito, e errar todo mundo erra. Já cometi gafes, mas isso faz parte. Se você não se jogar, se não corre atrás, você não progride, fica limitada

iG: Como é ser casada com uma pessoa que está 100% na sua vida? Amílcare é seu marido, o pai da sua filha e se patrão...
Daniela Albuquerque: É lógico que ele gosta de desabafar, de compartilhar as coisas comigo e nessas horas eu sou a mulher e amiga dele e não a funcionária. Eu sei separar muito bem as coisas. Quando eu estou na emissora eu nem o vejo. Ele fica na presidência e eu na ala artística, lá embaixo.

iG: Agora que você já realizou o sonho de ser mãe, qual é o seu sonho profissional?
Daniela Albuquerque: Meu maior sonho é trabalhar. Não importa se for no “Dr. Hollywood”, no “Manhã Maior” ou em outro programa. Eu sou feliz progredindo. É só ligar uma câmera que eu me sinto bem. Não importa o formato.

Daniela Albuquerque: 'Eu não tenho o cacife da Hebe, ainda tenho que ralar muito para ter um programa como o dela'
André Giorgi
Daniela Albuquerque: 'Eu não tenho o cacife da Hebe, ainda tenho que ralar muito para ter um programa como o dela'

iG: Você quer ser apresentadora de um programa com plateia?
Daniela Albuquerque: Eu não tenho essa coisa de estar no palco, de comandar. Eu gosto muito é de fazer externas, viu? Eu acho que eu fico mais solta, que eu cresço mais quando eu saio na rua. No estúdio a gente fica muito quadrada. Eu gostava do “Super Dani”, um quadro em que eu tinha que colocar a mão na massa, experimentar as diferentes profissões. Eu gostava tanto que gravei até o sétimo mês de gravidez e só não fiz mais porque a barriga estava muito grande. A Mônica Pimentel (Diretora Artística da RedeTV!) tem um projeto para mim voltado à beleza, mas prefiro não comentar ainda.

iG: Você gostaria de assumir o lugar da Hebe, por exemplo?
Daniela Albuquerque: Eu acho que não tem nada a ver comigo um programa de entrevista, de ficar ali sentada. Eu gosto de movimento, de estar junto das pessoas. Eu não tenho o cacife da Hebe, ainda tenho que ralar muito para ter um programa como o dela.

iG: Quem é o apresentador que você mais admira na TV?
Daniela Albuquerque: Olha, eu queria ser uma mistura de três apresentadores. Ter o carisma da Hebe, a segurança de falar sobre qualquer coisa da Sônia Abrão e a simpatia do Amauri.

Faço questão de falar que um vestido é barato. Eu não tenho necessidade de estar sempre de Gucci para estar bem. Eu me acho muito esperta quando saio na vantagem de usar um vestidinho baratinho em uma festa e todo mundo acha lindo (risos)

iG: Você tem algum arrependimento na TV?
Daniela Albuquerque: Eu nunca maltratei ninguém, faço meu trabalho bem feito, e errar todo mundo erra. Já cometi gafes, mas isso faz parte. Se você não se jogar, se não corre atrás, você não progride, fica limitada. Quando eu comecei no “Manhã Maior”, eu não cometia nenhuma gafe, mas também não era legal. Quando eu me joguei, errei, curti o que estava fazendo, começou a ficar mais divertido, mais legal. Ninguém gosta do perfeitinho, é muito chato.

iG: E na sua vida, você tem algum arrependimento?
Daniela Albuquerque: Não, viu? Minha vida é cheia de surpresas, e boas. Quando eu vim para São Paulo, para trabalhar como modelo, eu passei muita necessidade, dividia apartamento com um monte de gente, as coisas na geladeira tinham que ser marcadas, até o papel higiênico tinha de ser escondido para não acabar. Mas se eu não tivesse vivido tudo isso, eu não daria valor para tudo o que eu tenho hoje.

O Amílcare está um superpai. Ele só não é bom em dar banho, trocar fralda, é meio durão com essas coisas. Ele tenta, mas não dá muito certo (risos). A Alice começa a pular e ele já fica desesperado

iG: E com 19 anos você imaginou que hoje, aos 30 anos, estaria onde está?
Daniela Albuquerque: Trabalho desde os meus 13 anos, então quando eu cheguei em São Paulo eu era diferente das outras modelos. Quando as meninas veem para cá, elas costumam chegar com o dinheiro da passagem, alguma coisinha para comprar comida e só. Eu já cheguei com R$ 5 mil na conta, que eu ganhei trabalhando muito. Eu cheguei e pensei: ‘Não vou gastar um centavo desse dinheiro. Eu vou viver como elas vivem, porque se eu começar a gastar meu dinheiro, já não vai valer a pena estar aqui’. E foi isso mesmo, a gente comia gelatina e miojo, andava de ônibus. Posso te dizer que até hoje eu nunca gastei esses meus R$ 5 mil. Isso foi primordial para eu dar valor ao que eu tenho hoje.

iG: Como as notícias sobre a crise financeira da RedeTV! ou a falta de pagamento dos funcionários te afetam? As pessoas continuam te tratando bem na RedeTV!?
Daniela Albuquerque:  Não estou me gabando, mas as pessoas gostam muito de mim na RedeTV!. As pessoas que trabalham comigo me respeitam, torcem muito para eu voltar logo. Eu sou muito fácil de trabalhar, não sou estrela, não fico dando problema.

iG: Como funcionária, você acha que a RedeTv! está em crise?
Daniela Albuquerque: O povo inventa muita coisa. Tem verdades, claro, mas não tudo. Não é fácil você ter um monte de funcionários, pagar todo mundo, manter uma empresa. Eu tenho certeza que todas as empresas passam por dificuldades, mas eu como funcionária estou ali e visto a camisa. Eu estou ali para trabalhar e eu acredito que tudo vai melhorar. A estrutura da RedeTV! é sensacional, o ambiente é gostoso. Eu não trocaria a RedeTV! por nada, e não estou falando porque é do meu marido, mas porque eu gosto mesmo. Pra mim é um luxo ser funcionária de lá. Não é dificuldade nenhuma estar ali. Dificuldade é a história da minha mãe que teve que educar três filhos sozinha. Eu não tenho autonomia para ficar falando disso. Eu respondo pelo meu trabalho e pela Daniela, não pela emissora.

Daniela Albuquerque: 'Eu sou muito fácil de trabalhar, não sou estrela, não fico dando problema'
André Giorgi
Daniela Albuquerque: 'Eu sou muito fácil de trabalhar, não sou estrela, não fico dando problema'

iG: Qual o momento mais difícil da sua vida?
Daniela Albuquerque: Foi perder meu pai. Ter que voltar a morar com minha avó, perder nossa casa, dividir um quarto com meus irmãos e minha mãe. Foi bem difícil.

iG: Sua mãe vem muito para São Paulo?
Daniela Albuquerque: Ela vem sim, viu? Mas dá dez dias já quer voltar. Gosta da casa dela, das coisas dela, voltou a estudar, está terminando o colegial. Mas quando ela vem faz as comidinhas que eu gosto. Coxinha de mandioca, rabada com mandioca, arroz com a rapinha de queimado, ah, não tem igual.

iG: Você que a incentivou a voltar a estudar?
Daniela Albuquerque: Sim. Ela lutou e trabalhou muito, não tinha tempo para estudar. Agora ela está muito feliz. Aliás, a família toda está estudando.

Eu acho que não tem nada a ver comigo um programa de entrevista, gosto de movimento, de estar junto das pessoas. Eu não tenho o cacife da Hebe, ainda tenho que ralar muito para ter um programa como o dela

iG: Você quem ajuda?
Daniela Albuquerque: Sim, claro, eu faço questão de ajudar todos da minha família.Mesmo quando eu era modelo eu ajudava, agora então, mais ainda. Dar um conforto, uma casa, um carrinho para sua mãe.

iG: E para você, o que o dinheiro te comprou de melhor?
Daniela Albuquerque: Uma faculdade. Eu sempre sonhei em estudar e foi muito emocionante pra mim me formar. E agora pagar meus cursos, que são caros. E também viajar, ou pagar a lua-de-mel da minha mãe, que casou de novo. É muito bom poder dar isso pra ela.

Agradecimentos:

Produção de moda: Claudio Vaz
Maquiagem: Marco Diniz
Locação: Casa Panamericana ( www.casapanamericana.com.br/ )
Vestidos e acessórios: Martha Medeiros, Lucas Anderi, Caos, Angelo Lemos, Studio TMLS, Shirley de Oliveira e Emar Batalha 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.