Ex-fazendeira fala sobre sua participação no reality show, o processo judicial contra Penélope Nova e a expectativas de ter um quadro na TV

“Pensa numa pessoa abençoada. Essa sou eu”. Assim se define Simone Sampaio , ex-participante do programa “A Fazenda 5”, reality que consagrou Viviane Araújo como vencedora. A vida da assistente de palco no jogo não foi fácil dentro do confinamento: teve um atrito com Nicole Bahls e Shayene Cesário , foi acusada por Rodrigo Capella de ter mudado de comportamento ao longo do programa, Diego Pombo  a chamou para uma conversa séria e até discutiu com Viviane Araújo, quem já conhecia fora da casa.

Mas, após a final do programa da Record e longe de discussões, Simone faz um balanço positivo de sua participação. “Eu não trouxe nada lá de dentro que não fosse legal para mim, só boas experiências. Encerrou um ciclo e a gente começa outro. Não me arrependi de nada", analisa ela. "Tenho uma meta e alguns valores que regem minha vida e eu não iria passar por cima disso. Para mim, ia ser difícil eu sair aqui e, de repente, minha filha ( Mahryan , de 12 anos) tivesse algum motivo pra sentir vergonha de mim”, continuou a ex-peoa de 36 anos.

Siga o Twitter do iG Gente e acompanhe todas as notícias dos famosos

A única recordação negativa consequente ao jogo é um processo que está movendo contra Penélope Nova . Simone descobriu, já fora do reality, que, durante uma conversa com outros peões, a apresentadora teria a chamado de piranha. “Achei muito pesado, injustificável e muito infeliz”, afirma a rainha de bateria da Dragões da Real.

De volta à vida real, Simone conta que demorou um pouquinho para se dar conta que não era observada por câmeras 24 horas por dia. Seu primero banho fora da casa foi de lingerie. "Foi muito natural. Eu estava muito cansada", diverte-se. Confira o bate-papo:


Sou uma pessoa que tenho orgulho da pessoa que me tornei na vida, enquanto caráter, postura de vida. Minha história tristinha vocês nunca vão saber”


iG: O que sua filha achou de sua participação?
Simone Sampaio: Ela estava toda orgulhosa quando eu saí. Ela estava tão mais crescida, tão senhora de si. Ela me fez uma pessoa melhor porque a cada dia eu me policio mais. A minha família é em primeiro plano sempre, fui lá por eles. Eles também sabiam que eu não seria qualquer coisa pela grana. Algumas vezes fui citada como “a hipócrita”, porque trabalho no carnaval, mas não quero me expor. Trabalho com muito orgulho, mas tudo dentro de um contexto. Meu nu, minha sensualidade, está dentro do contexto do carnaval e que eu posso encarar. Nunca olhei o que faço com uma conotação vulgar. Não entrei lá para que as pessoas falarem: ‘vamos por essa negra na Playboy’. Não vou dizer que nunca faria, mas o dinheiro tinha que me convencer de uma forma absurda e que não é o caso hoje. Já coloquei um preço alto pra não ter que fazer. Tenho outras metas. 

iG: No reality você até escondia um pouco, tomava banho de camiseta e shorts, não ia na piscina...
Simone Sampaio: Não é nem esconder. Quando eu ia lavar o (cabelo) black, eu punha uma camiseta porque eu ia demorar muito. Não ando de biquíni na minha casa. Trabalhei muito e  queria que as pessoas vissem além daquela mulher que pode estar montada. Sou mais que isso. Mas cada um sabe as dores e as delícias de ser o que é. Se eu saísse aqui fora e ficasse reprisando meu peitinho para minha filha ver, para os amiguinhos do colégio da mesma idade, eu ia olhar e pensar: ‘nossa, que desnecessário’.

Não me encaixo muito nessa modernidade toda de hoje não. É tudo muito rápido, muito momentâneo. Se não é pra ser especial, pra que precisa ser na minha vida?”

iG:  Como está o andamento do processo contra a Penélope? Por que ficou tão chateada?
Simone Sampaio: Foi um momento ruim porque minha filha estava ao meu lado. Então, quando eu vi o vídeo, achei muito agressivo. A palavra que foi usada e a carga emocional que tinha, era muito pesada e injustificável. Mesmo que fosse justificável, ela não tem esse direito. Achei extremamente ofensivo. Tem coisa que você passa batido, mas tem coisa que não. Como você fala para uma pessoa “piranha”? Não sou nenhuma santa, também tenho meus momentos estopim.  Mas é uma palavra que tem uma conotação pesada. Não consegui deixar passar porque ela foi bem injusta. Achei muito pesado, injustificável e muito infeliz.

iG: Ela te pediu desculpas?
Simone Sampaio: Não, a gente não se falou. Não preciso da desculpa dela para seguir minha vida, mas acho importante a gente lutar pelos direitos da gente como cidadão, como por exemplo não ser ofendida. Se existe lei para isso, então que seja executada de alguma forma.

iG: Outro momento que você parece ter ficado chateada na casa foi quando Vivi deu a entender que você usava anabolizante para aumentar as medidas...
Simone Sampaio: Emagreci lá dentro. Trabalhei demais, foi a minha fuga. Mente vazia é a oficina do cão. Quero estar com o corpo bonito, mas acima de tudo, não sou mais moleca. Minha meta é chegar aos 40 melhor do que eu estou hoje. Vocês vão me ver aos 40 saradíssima, delícia, se Deus quiser. Não gosto de nada que eu fique dependente. Por isso, quando a Vi falou, não conseguia entender. Sou contra anabolizantes e defendo isso. Não uso, me incomodou a insistência e por isso gerou aquela situação.

iG: Tem medo de cair no ostracismo?
Simone Sampaio: É um medo que não tenho. Minha origem é muito simples, vivia trepada num pé de seriguela, sonhando que ia estar na televisão. Naquela época, já chamava atenção pelo black, me apelidavam de Elba. Eu ganhava o concurso da sala, do colégio e ia lá com o governador visitar a cidade. Mas sempre fui eu, pé no chão. Eu tinha um quadro no Raul Gil de 45 minutos, eu ia pro Rio de Janeiro e não conseguia andar nas ruas. Mas voltava pra casa e era a filha da dona Maria e a mãe da Mahryan. Não faço muita questão da notoriedade a qualquer preço. Mas também tenho plena consciência que o (esquecimento) é natural. Já já vem BBB, e depois os outros fazendeiros. Isso foi um momento da minha vida. Só espero que isso venha me ajudar mais para dar continuidade no meu trabalho, para as coisas que quero fazer.

Não fico, não gosto, acho broxante essa coisa de encontrar alguém e já beijar. Sempre brinco que tem que pegar minha cabeça. Pegou minha cabeça, tem todo o resto”

iG: E quais são essas coisas?
Simone Sampaio: O foco é comunicação, é TV, rádio. Minha meta é um quadro num lugar bacana, é que eu possa conquistar cada vez mais. Dependendo das escolhas que a gente faz, o caminho é mais estreito mesmo, mas não tenho problema com isso. Dificuldade para mim é muito natural. Sei que vou enfrentar, mas também sei que vou conseguir as coisas que almejo.

iG: Quando você estava na Fazenda, conversamos com Eduardo Costa e ele comentou que vocês tiveram um relacionamento e que estava na torcida por você. Já se encontraram depois que saiu?
Simone Sampaio: O Du falou isso? Vou te dizer, em nenhum momento você viu eu falando de namorados.

iG: Mas cantou bastante a música dele...
Simone Sampaio: Muito. Ele é a trilha sonora da minha vida. É muito bacana quando você conhece o outro lado. Sei que existe muita firula para vender imagens, mas Eduardo é uma surpresa muito agradável, muito feliz na minha vida. Ele é um guerreiro. Tem uma história de vida extraordinária. As dificuldades que ele enfrentou na vida só fizeram ele ser grande como ele é. Fato: admiração, respeito, um carinho gigantesco, tudo isso é amor. Mas é isso. Não encontrei ele ainda, não vi o Du. Não tive tempo, assim como não vi muitos amigos meus ainda. De resto, não existe nenhum detalhe a dar. E até porque não sou uma pessoa de “ficos”.

Leia também: Eduardo Costa brinca sobre vaidade: “Hoje estou vivendo uma completa viadagem na minha vida”

iG: Mas surgiram alguns boatos que você teria ficado com o Lui Mendes...
Simone Sampaio: Não ligo pra essas conversinhas. Não fico, não gosto, acho broxante essa coisa de encontrar alguém e já beijar. Gosto de dar a primeira, segunda olhada, papo interessante. Sempre brinco que tem que pegar minha cabeça. Pegou minha cabeça, tem todo o resto. Não gosto de ficar fazendo test drive, bitoquinhas. Às vezes, o prazer que você vai ter não paga a dor de cabeça futura. Não me encaixo muito nessa modernidade toda de hoje não. É tudo muito rápido, muito momentâneo. Se não é pra ser especial, pra que precisa ser na minha vida?

Dependendo das escolhas que a gente faz, o caminho é mais estreito mesmo, mas não tenho problema com isso. Dificuldade pra mim é muito natural”

iG: Dos meninos da casa, algum poderia se tornar especial?
Simone Sampaio: Não pensei com relação a isso não. Falaram do Felipe... pelo amor de Deus. Felipe é um homem lindo, mas a identificação que tive com Felipe foi de postura, caráter, disposição de trabalho, disposição para o mesmo jogo. Gustavo é um homem espetacular de corpo, mas nunca olhei ele com nenhum desejo de nada. E com relação ao Lui, nem saí pra jantar. Isso não existe.

iG: Você foi muito julgada e as pessoas te definiam da maneira que queriam. Mas, você, Simone Sampaio, como se define?
Simone Sampaio: Difícil isso. Estou sempre em busca. Sou uma pessoa que tenho orgulho da pessoa que me tornei na vida, enquanto caráter, postura de vida. Minha história tristinha vocês nunca vão saber porque ficou só para meu aprendizado mesmo. Por mais que as pessoas julgassem minha conduta, meu julgamento é o mais importante. A visão que tenho de mim mesma é muito importante pra mim. Sou mais um ser humano aqui como qualquer outro brasileiro na luta, mas, pensa numa pessoa abençoada... Essa sou eu!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.