Junto com elenco do programa, apresentador lança quinta edição do reality

Nesta terça-feira (28), Marcos Mion se reuniu com Fafá de Belém , Supla e Marco Camargo para, juntos, anunciarem as novidades do “Ídolos”, reality show que chega a sua quinta edição na Record. O programa estreia no dia 4 de setembro e contará com 30 episódios, indo ao ar todas as terças e quinta-feira, às 22h15. Os primeiros episódios serão gravados, já que as duas primeiras fases do programa já aconteceram. As audições, que reuniram 100 mil candidatos em São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Goiânia e Porto Alegre; e a “panela de pressão”, que selecionou os quinze finalistas que seguirão na atração. Esta última parte aconteceu em um resort, onde toda a equipe permaneceu por sete dias. Outra novidade é o prêmio dado ao vencedor: R$ 500 mil.

Siga o Twitter do iG Gente e acompanhe todas as notícias dos famosos 

Marcos Mion , que estreia na atração no lugar de Rodrigo Faro , falou sobre a importância do trabalho em sua carreira. “Está sendo uma experiência incrível. Um crescimento profissional único. Sempre fui o cara da criatividade com baixo orçamento, do ‘deixa lá que ele se vira’. De repente, vejo uma coisa desse tamanho”, afirmou o apresentador, que disse estar cada vez mais perto de sua meta profissional de se tornar um comunicador popular.

Ele ainda falou sobre seu trabalho junto aos candidatos. “Minha obrigação não é julgar. Minha posição é estar ao lado dos candidatos, passar por estas etapas com eles. Recebo todos os tipos de emoção. Da mais triste a mais feliz. Cai tudo no meu ombro”, contou o apresentador, que encarou frio, chuva e sol durante as seletivas ao lado dos candidatos.

Trio de jurados

Marco Camargo ganhou dois novos aliados: Fafá de Belém e Supla. O trio forma o novo júri da atração e, apesar dos desentendimentos na hora da seleção, mostraram entrosamento no trabalho. “O programa está muito divertido. Está dando prazer em ver todos esses caras em todo o Brasil. Sertanejo, samba, rock, até o funk. Estou me divertindo. Se não tivesse, não estaria aqui”, afirmou Supla. O roqueiro falou sobre a experiência de julgar outros ritmos, em especial, o sertanejo, que foi marcante nas audições de Goiânia. “Avalio se ele sabe cantar, se tem presença. Não tenho nada contra o sertanejo. Se o cara cantar bem, não importa o estilo”, declarou o músico.

O sertanejo parece ter ficado tão marcante entre o grupo, que Fafá de Belém chegou a ter um sonho com o ritmo. “Sonhei com o Supla cantando ‘Evidências’”, se divertiu a cantora. Coroada como a chorona desta edição, disse que ficou angustiada desde o momento em que recebeu o convite para participar da atração. “Não é fácil julgar alguém. Você está julgando sonhos. Hoje todo mundo quer ser uma celebridade”, declarou a cantora, que sonha em ver uma mulher vitoriosa, pela primeira vez na atração.

Avaliação

Para dar o sim ou o não para os candidatos, Fafá disse avaliar alguns itens: “Observo timbre de voz, postura, atitude, relação que tem com a música. E alguém que não queira ser alguém, imitar alguém. Fui buscar um Brasil”. A cantora ainda fez uma crítica para quando os candidatos tentam imitar os trejeitos de Whitney Houston e Mariah Carey.

Supla também pontuou alguns critérios de avaliação. Mas antes, deixou um recado. “Avalio assim: primeiro preciso dizer que não sou louco. Falo o que penso e pronto. Carisma, como fala com a gente, body language, como se veste. Hoje está cheio de cara sertanejo com estilo Bon Jovi”.

E como o assunto sertanejo foi discutido durante toda a coletiva, Marco Camargo elogiou um dos músicos. “Acho o (Michel) Teló um mega músico. Fez essa música (Ai, se eu te pego) porque ia dar dinheiro. Deu e ele está milionário”. O jurado ainda falou sobre a fama de duro que tem com os candidatos. “Quem é desafinado, é desafinado. A escola é aprimoramento para quem nasce com o dom. Quando eu digo que a pessoa não canta nada, estou fazendo o papel de amigo. Quero que a pessoa volte seu talento para outra carreira. Ela pode ser ídolo na cozinha, na advocacia, no médico...”.

Ídolos Kids

Este ano, estreia também uma edição para as crianças. Cássio Reis fica a cargo da apresentação. Já no júri, estão Kelly Key , Afonso Nigro e João Gordo. O vencedor mirim, que deve ter entre 5 e 12 anos, vai faturar R$100 mil. “É um desafio grande trabalhar com as crianças. Sou fã incondicional de crianças. O desafio maior é lidar com os pais. Têm pais malucos, frenéticos. Eu acompanho a entrada deles até a sala de jurados e ser julgado não é fácil. Muitos nunca lidaram com o ‘não’. Mas o ‘sim’ também foi muito surpreendente de ver as reações”, contou Cássio.

Kelly contou que já recebeu várias cantadas dos candidatos e que o projeto é a cara da cantora. Já João, entrou no mesmo quesito que Supla e falou sobre a quantidade de canções sertanejas apresentadas. “Só dava ‘Amar não é pecado’ e ‘Balada boa’. Mas tirando essa torturinha, é incrível como tem crianças com talento, que já nasceram para isso”.

Ele ainda comentou que a criançada o adora. “A criança que tem medo de mim, é reflexo da opinião dos pais. ‘Esse gordo, drogado, cheio de piercings, prostituído’. Eles não sabem que tenho dois filhos”, afirmou o apresentador.

Afonso aproveitou sua vez de falar para resumir o clima de descontração entre o grupo, visto na coletiva. “Tivemos uma química imediata”. “Ídolos Kids” estreia na quarta-feira (05), as 21h45.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.