Emissora conseguiu na justiça o início da execução dos bens do apresentador, avaliados em R$ 30 milhões, para pagamento de dívida de 2003

Datena
André Giorgi
Datena

A penhora dos bens de Datena -  avaliados em R$ 30 milhões - foi autorizada pela Justiça nesta terça-feira (21) para pagamento de dívida com a Record. A briga do apresentador com a amissora começou em 2003, por quebra de contrato. Em julho de 2011, quando voltou ao canal, o apresentador assinou uma confissão de dívida, que não seria cobrada caso ele cumprisse seu contato até o fim.

Como ele voltou para a Band dois meses depois, rompendo novamente o acordo, a multa poderá ser executada. A linha de defesa do jornalista, no entanto, alega que a Record foi notificada antes de sua saída e a culpa pela quebra do contrato de cinco anos é da emissora do bispo Edir Macedo .

Siga o iG Gente no Twitter e receba as notícias das celebridades

Datena
André Giorgi
Datena

Segundo o advogado do apresentador, José Diogo Bastos , descumprimentos contratuais, falta de espaço no programa e de pessoal de apoio teriam motivado o segundo rompimento de Datena com o canal. “Se for preciso ir ao tribunal, ao STJ (Superior Tribunal de Justiça), nós o faremos. A culpa da rescisão é da Record”, explica ele, acrescentando que a multa só poderá ser autorizada com a decisão do juiz.

VEJA TAMBÉM:  Letícia Wiermann: “Ser filha do Datena não abre portas”

Caso o recurso de Datena seja considerado inválido, parte de seu patrimônio será executado na dívida, mas Bastos não saberia discriminar quais imóveis e empresas seriam afetados. Nem dizer o por quê de o apresetador ter dito ao vivo que estaria falido: “Infelizmente com a questão patrimonial eu não posso te ajudar”. A reportagem entrou em contato com Datena para esclarecer tais declarações, mas seu celular está desligado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.